Publicidade
Publicidade
Publicidade
:
Sáb
19/01/19

Movimento protesta contra a paralisação do transporte público

25/05/2016 10h32 | Atualizado em: 26/05/2016 07h58
Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:
Divulgação

Da Redação

Está marcada para tarde desta quarta-feira (25), uma mobilização popular em protesto contra a paralisação do transporte público em Araguaína. Nas redes sociais como Facebook e WhatsApp, o movimento vem ganhando repercussão convidando toda a população para participar.

De acordo com os organizadores, o intuito é pressionar o poder judiciário para que sejam tomadas providências urgentes para solucionar o problema: “Não podemos mais esperar, diante da irresponsabilidade dos gestores do transporte público que foram incapazes de manter a ordem e o controle sobre o serviço e hoje a população está pagando o preço”, diz a mensagem.

O movimento é coordenado pela Organização Não Governamental (ONG SOS Liberdade) e deve ter início às 16 horas, com concentração na Praça do Galo no setor Entroncamento.

Entenda o Caso

Os cerca de 11 mil usuários que dependem do transporte coletivo em Araguaína estão sem usufruir o serviço. Isso porque na madrugada do último sábado (21), as vans da Cooperlota, responsável pelo transporte alternativo na cidade, foram apreendidas em cumprimento a um mandado judicial, devido ao não pagamento do financiamento dos veículos ao banco credor.

Uma outra alternativa para a situação são os táxis lotação. O serviço não é regulamentado, mas mesmo assim os operadores que estão atuando na cidade tem oferecido transporte nas paradas de coletivos espalhadas por Araguaína, correndo risco de serem multados e terem seus veículos apreendidos.Sobre esta questão, o prefeito Ronaldo Dimas foi categórico em afirmar que o serviço é ilegal e não abre mão de penalizar os infratores.

Já em relação à retomada do transporte coletivo, a prefeitura informa que está tomando as devidas providências, destacando que tem um processo de licitação em aberto e que quatro empresas já apresentaram interesse em atuar na cidade.

Apesar da justificativa, o município não apontou um prazo para que a situação seja regularizada, mas garantiu que está trabalhando e avaliando todas as alternativas possíveis e a mais rápida para que a população não fique sem transporte coletivo.

 

Acompanhe nossas atualizações em tempo real:

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe via E-mail
Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

?Os comentários aqui postados são de inteira responsabilidade de seus autores, não havendo nenhum vínculo de opinião com a Redação da equipe do Portal O Norte?

Publicidade
Publicidade

Tem uma reportagem, fotos, vídeos, histórias ou curiosidades?

Mande para nossa redação. Seja você o REPÓRTER.