Publicidade
Publicidade
:
Sáb
23/09/17
Araguaína

Possibilidade de Chuva

36º 19º

Advogado de Hiago nega que morte de Fabrício foi premeditada

12/07/2017 11h10 | Atualizado em: 13/07/2017 12h28
Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:
Portal O Norte
Daniel Bispo é advogado de defesa de Hiago Pereira da Silva.

Daniel Bispo, advogado de defesa de Hiago Pereira da Silva (24 anos), autor do assassinado do estudante Fabrício Martins, morto em maio deste ano mas que só teve o corpo encontrado no início de junho, concedeu entrevista ao Portal O Norte para falar sobre o caso.

Na entrevista, o advogado rebateu as alegações apresentadas em denúncia pela promotoria do Ministério Público Estadual (MPE) e garante que Hiago não premeditou o crime: “Para o MPE, Hiago agiu de forma cruel, premeditada e com dissimulação, mas a verdade é que ele foi motivado por um momento de forte emoção quando matou Fabrício”, destacou Bispo relatando que Hiago foi provocado. “Claro que não estou justificando o crime, mas levamos em consideração a pressão que ele estava sofrendo para agir em um momento de fúria e isso pode inclusive ser avaliado como atenuante de pena”, disse o advogado.

Daniel Bispo defende que desde de março, Hiago vinha sendo pressionado, chantageado e extorquido pela vítima: “ele realmente filmou Fabrício mas depois disso passou a sofrer ameaças diárias e constantes, pelo Facebook e WhatsApp”, contou o advogado explicando que segundo o relato de Hiago, na noite do crime ele não tinha intenção de matá-lo: “Fabrício foi buscar todo o dinheiro que ele havia cobrado de Hiago mas ele disse que só tinha R$ 1 mil reais, nesse momento Fabrício teria ficado furioso e iniciou uma discussão onde Hiago desferiu golpes de faca contra ele”, disse.

O advogado reforça a tese de que o crime não foi premeditado destacando que na noite do homicídio, horas depois foi que o autor entrou em contato com uma amiga – por volta de meia noite – para que ela emprestasse um carrinho de mão utilizado por ele para desovar o corpo no córrego onde Fabrício foi encontrado. “Isso descaracteriza qualquer premeditação do crime”, observou.

Bispo mantém a tese de que Hiago praticou o crime sozinho: “Provas testemunhais e técnicas não deixam dúvidas sobre isso”, garante.

Daniel Bispo destacou ainda, que na semana passada foi apresentada uma defesa prévia sobre o caso. Questionado sobre o motivo de Hiago ter ficado em silêncio e não ter procurado a polícia quando começou a ser chantageado, o advogado argumentou: "As circunstâncias do crime são variáveis. Hiago teve medo da exposição, medo de perder o emprego e por isso suportou toda aquela situação até que chegou ao seu limite”.

Entenda

O caso Fabrício Martins ganhou repercussão, após desaparecimento do estudante desde o último dia 19 de maio, quando familiares e amigos começaram a se mobilizar na tentativa de encontrar o rapaz.

Na manhã do último dia 3 de junho, o corpo do jovem foi encontrado em um córrego próximo ao Parque Cimba e já estava em avançado estado de decomposição. Ele foi reconhecido através da camisa que usava, que foi um presente dado pela sua mãe às vésperas de sua morte.

No dia 08 de junho, Hiago Silva foi preso apontado pelas investigações como principal suspeito do assassinato. À polícia, o jovem que trabalhava com Fabrício em um frigorífico, confessou o crime e alegou que estava sendo chantageado pela vítima e que tudo teria começado depois que ele fez um vídeo de Fabrício mostrando as partes íntimas dentro de um banheiro do frigorífico, depois ele disse que teria enviado esse vídeo para Fabrício que passou a chantageá-lo, exigindo que Hiago pagasse R$ 4 mil reais para ele, caso contrário ele apresentaria o vídeo no Recursos Humanos da empresa, denunciando o fato.

Segundo aponta as investigações, Fabrício foi morto na noite em que desapareceu, quando foi até a residência de Hiago. A moto da vítima foi encontrada abandonada no dia seguinte, no setor Jardim Paulista.

Depois de matar a Fabrício, Hiago revelou que enrolou o corpo em um lençol e com um carrinho de mão emprestado de uma amiga e levou o corpo do estudante para ser jogado em um córrego que fica nas proximidades do Parque Cimba. 

Acompanhe nossas atualizações em tempo real:

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe via E-mail
Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

“Os comentários aqui postados são de inteira responsabilidade de seus autores, não havendo nenhum vínculo de opinião com a Redação da equipe do Portal O Norte”

Tem uma reportagem, fotos, vídeos, histórias ou curiosidades?

Mande para nossa redação. Seja você o REPÓRTER.