Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Araguaína

Gestão da UPA registra taxa de 95% na resolução dos atendimentos

22/05/2019 10h56 | Atualizado em: 22/05/2019 11h05

Divulgação

A Unidade de Pronto Atendimento do Araguaína Sul (UPA 24 horas) vem registrando bons indicadores desde o início do ano. Um levantamento feito pelo Instituto de Saúde e Cidadania (ISAC), que administra a unidade, mostrou que, na comparação entre janeiro e abril, o aumento no volume de atendimento foi de 43%.

A meta de resolutividade estabelecida internamente pelo ISAC para a unidade é de 95% e foi superada em abril. Em janeiro foram 6.705 atendimentos na UPA, entre clínica médica e pediatria, uma média de 216 atendimentos/dia.

Já em abril, esse número passou para 9.585 atendimentos, com uma média de 319,5 atendimentos diários. Nos meses de março e abril, a UPA de Araguaína funcionou acima da capacidade estipulada conforme dimensionamento da unidade, que é de 8 mil atendimentos por mês.

Apesar dos dados positivos, o ISAC reconhece que, devido ao alto número de atendimentos, há uma necessidade imediata de melhora no tempo de espera dos pacientes e também redução no tempo de atendimento total, melhorando os fluxos internos.

“Estamos focados na resolução como um todo. Importante ressaltar que a UPA é uma unidade destinada para urgências e emergências, no entanto, a maioria dos nossos atendimentos são para casos clínicos menos graves”, explica Maria Dulcimary Fonseca, diretora geral das unidades.

Azul e verde

A maioria dos pacientes atendidos no primeiro quadrimestre do ano, 50%, foi classificada na cor verde, seguido da cor amarela com 41%, cor laranja 8%, cor azul com 1% e, por último, pacientes classificados pela cor vermelha, que não chegaram a representar 1%.

O paciente classificado com a cor verde indica que ele não corre risco de morte, podendo aguardar mais tempo para atendimento, dando prioridade para casos amarelos, laranjas ou vermelhos.

Quanto aos pacientes identificados com a pulseira azul, são aqueles que poderiam resolver o problema na rede básica de saúde.

“Os pacientes azuis já foram em maior número, mas há algum tempo estamos fazendo um trabalho de orientação, informação e conscientização, com a coordenação da nossa assistência social, junto a essas pessoas indicando qual o melhor caminho para sanar as situações”, acrescenta a diretora.

Cálculo

A taxa de resolutividade apresentada pelo instituto é calculada da seguinte forma: número de atendimentos totais, menos as transferências e menos os óbitos. O valor é dividido pelo número de atendimentos totais e multiplicado por 100.

“Após as mudanças implementadas na UPA desde o início do ano, estabelecemos a meta dos 95%, mas ela pode e deve ser alterada para mais, ou seja, o ideal é chegarmos acima de 98%”, explica Vinícius Menezes, gerente de qualidade do ISAC.

Fonte: Singular Assessoria

Compartilhe

Os comentários aqui postados são de inteira responsabilidade de seus autores, não havendo nenhum vínculo de opinião com a Redação da equipe do Portal O Norte

Publicidade
Publicidade

Facebook

Twitter

Vc é o Repórter

Tem uma reportagem, fotos, vídeos, histórias ou curiosidades?

Mande para nossa redação. Seja você o REPÓRTER.