Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Gerônimo fala sobre retorno à TV, entrega de chambaris e polêmica no PMDB

Da Redação


Em entrevista exclusiva ao Portal O Norte, o vereador peemedebista, Gerônimo Cardoso, falou entre outras questões, sobre a briga interna do PMDB, sua derrota nas últimas eleições, a tão polêmica entrega do “chambari” e de seu retorno à televisão.



Durante as sessões dessas duas primeiras semanas de trabalho da Câmara Municipal de Araguaína, o vereador Gerônimo Cardoso participou ativamente dos debates acirrados sobre questões voltadas para a administração pública do município.

Gerônimo foi um dos parlamentares que levantou sérios questionamentos sobre a ineficiência da gestão municipal. Durante as sessões, foi bastante polêmico e incisivo em suas colocações e em entrevista exclusiva ao Portal O Norte fez um resumo de sua opinião sobre os fatos expostos.

Orçamento
Inicialmente o alvo de suas críticas foi direcionado a Altair Bandeira, segundo Gerônimo, o secretário “só faltou chorar”, ao afirmar que não tinha recursos suficientes para serem administrados pela pasta. “Com o porte econômico que Araguaína tem, vê um secretário chegar ao ponto de falar que não tem acesso aos recursos e não sabe quanto dinheiro tem para trabalhar é inadmissível, quando sei que o Fundo de Participação do Município (FPM) em 2011 teve um aumento mensal de R$ 1 milhão de reais, o que ouvi recentemente do próprio prefeito Valuar. Como vereador, isso me deixa preocupado e mais inquieto ainda como araguainense” e completa “A cidade está evoluindo e infelizmente o que a gente observa é que o Poder Público não está acompanhando esse crescimento e está deixando muito a desejar”, diz.


Engrossando ainda mais a questão, Gerônimo destaca ser um absurdo ver o secretário de esportes justificar os problemas financeiros da pasta falando da administração anterior, depois de mais de dois anos de gestão. Ele lembra que o orçamento de 2010 foi votado ainda em 2009 e que o plano de gastos com o recurso destinado, foi enviado pela própria Secretaria.

Moradia
Gerônimo, ainda em entrevista destaca que não tem observado no trabalho da prefeitura, prioridades e diz faltar uma ação prática da gestão pra trazer resultados positivos. Relembrando a participação do secretário, Jota Patrocínio, em sessão na semana passada, questiona também os reais motivos pelos quais nenhuma casa popular ainda não foi entregue pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação.”O que dizer pra população que já está cansada de ouvir falar em cadastramento, recadastramento, enfrentar fila de madrugada pra tentar conseguir uma moradia?”

Em nome do Legislativo Municipal, Gerônimo afirma que a Câmara sempre buscou se posicionar de forma coesa e unida para aprovar projetos enviados pelo Executivo em busca de objetivos que favorecessem o bem comum, porém observa que na prática não tem visto resultados.


Recursos federais
Outra questão levantada pelo vereador foi sobre a sua viagem à Brasília em busca de recursos federais para o benefício do município em meados de 2010 quando conseguiu um empenho na ordem de R$ 6 milhões de reais, através do ex-deputado federal, Osvaldo Reis (PMDB), para asfaltar os setores: Nova Araguaína, parte do setor Itaipú e Setor Palmas além da Vila Goiás.


Gerônimo acusa o Poder Público Municipal de negligência, tendo em vista que até hoje a obra não foi executada, apesar de o contrato já ter sido assinado pela Caixa Econômica Federal e com isso, o recurso corre o sério risco de retornar aos cofres do Governo Federal: “E o que vamos dizer pra pessoas que votaram na gente? Estamos parados, não temos nada pra mostrar e a prefeitura parece não se preocupar em resolver a questão e o tempo está passando e o beneficio não chega à porta do cidadão”.

Outro convênio aprovado em 2009, de acordo com Gerônimo Cardoso, trata de um recurso na ordem de R$ 600 mil reais, empenhados através de emenda do deputado federal, Lázaro botelho (PP), para a compra de uma máquina patrol. O vereador afirma que a informação que tem é de que até hoje a máquina não foi comprada e questiona: “Cadê o dinheiro? O que foi feito desse convênio?”


Dissolução do Diretório do PMDB
Sobre a polêmica relacionada à campanha de assinaturas liderada pelo atual deputado federal, Júnior Coimbra (PMDB), no qual culminou na saída do ex-deputado federal, Osvaldo Reis, da direção do PMDB no Estado, Gerônimo Cardoso, que também é delegado do partido, mantém uma posição radicalmente contra a ação. “O partido PMDB, surgiu na época da Ditadura, como um espaço para se buscar a democracia e esse tipo de atitude vai contra os princípios do partido. Não vejo a necessidade de se dissolver o diretório, quando as eleições aconteceriam ainda este ano. Acredito que o que deveria ter sido feito era unir os partidários, o contrário só pode causar atritos".


Nas últimas eleições, Gerônimo Cardoso, disputou uma vaga na Assembléia Legislativa e desde então tem se mantido afastado da TV, onde iniciou sua carreira pública como apresentador há 18 anos. Ainda em entrevista à nossa reportagem, o vereador afirma que retornará no final deste mês a apresentar um programa de televisão regional: “É um vínculo que tenho com a comunidade de Araguaína que eu não posso perder

Entrega de chambaris
Gerônimo destaca que pretende voltar a executar a ação de entrega de chambaris nos bairros de Araguaína, a qual ele afirma ter iniciado há seis anos. A entrega dos chambaris provocou bastante polêmica, pois, na visão de parte da população, o trabalho social do vereador não passava de uma autopromoção visando tirar proveito político.

A questão foi parar no Ministério Público Estadual (MPE) e hoje o vereador responde a um processo na justiça eleitoral na qual foi pedida a cassação do seu mandato. Sobre o caso, Gerônimo argumenta que a ação visava simplesmente atender a uma necessidade social e voltando o programa ao ar ele garante que a ação volta a acontecer também. “Se não for impedido pela justiça continuarei a entrega de chambari assim que voltar a apresentar o programa”.


Finalizando a entrevista, Gerônimo Cardoso destaca que apesar de não ter obtido êxito na campanha para deputado estadual, continua vereador e estará atento para responder aos anseios da sociedade araguainense que acredita no seu trabalho.
 

Em entrevista Altair Bandeira se defende das críticas dos vereadores

Da Redação
 

Na sessão dessa terça-feira, 15, esteve presente na Câmara Municipal para atender a convocação do vereador Jorge Frederico (PMDB), o secretário de Esportes do Município, Altair Bandeira, que teve a oportunidade de explanar questões sobre os trabalhos realizados frente à Secretaria durante estes pouco mais de dois anos de exercício.


Em entrevista ao Portal O Norte, o secretário faz uma análise sobre a sua participação na Câmara destacando as problemáticas enfrentadas em sua gestão. De acordo com Bandeira, a sua participação na Casa foi bastante positiva “Tivemos a oportunidade de esclarecer muitas coisas, inclusive apresentar as dificuldades encontradas para a realização efetiva do nosso trabalho”, aponta.

Críticas
Durante a sessão, os vereadores criticaram duramente a pasta, afirmando que poucas realizações foram feitas. O vereador Gerônimo Cardoso (PMDB), por exemplo, afirmou que a Secretaria simplesmente colocou traves em alguns campos de futebol. Do outro lado alfinetando a questão, Jorge Frederico acusou a Direção de descaso, argumentando que “não conseguiram sequer dar manutenção nos campos que foram entregues na gestão anterior da então prefeita, Valderez Castelo Branco (PP)”.

Insuficiência de Recursos
Rebatendo as críticas dos vereadores, Altair Bandeira esclareceu que um dos fatores que representa um grande problema para a Secretaria, diz respeito aos recursos destinados ao Esporte, que segundo ele, não são suficientes para a execução de um trabalho de qualidade: “Não é fácil trabalhar com pouco recurso” diz.

Altair Bandeira, explica que o primeiro orçamento recebido pela Secretaria resultou em pouco mais de R$ 100 mil reais, que foi pré-determinado ainda na gestão da ex-prefeita, Valderez. Já no segundo ano, o orçamento previsto para a Secretaria foi cerca de R$ 1 milhão e trezentos mil reais, sendo que destes, R$ 1 milhão foi destinado especificamente para a estrutura básica do Centro Olímpico, que ainda não foi executado e o custo total da obra poderá chegar à casa dos R$ 8 milhões de reais.


Continuando a explanar sobre recursos da Secretaria, Altair Bandeira explica que a pasta conta com 24 servidores sendo que apenas um é concursado e atualmente está à disposição da Secretaria de Educação do Município e demonstra que, hoje o repasse real da Secretaria é de cerca de R$ 42 mil reais mensais e somente a despesa com folha de pagamento dos servidores alcança o valor de R$ 34 mil por mês.

O secretário de Esportes admite que algo está errado na gestão e otimista vê as críticas apresentadas como uma oportunidade de corrigir as falhas que certamente tem ocorrido na administração, “Quando tudo anda bem todos estão bem e quando algum setor não está muito bem é reflexo de que está faltando alguma coisa na administração”.

Ainda sobre o orçamento, o secretário faz uma observação: “O orçamento é uma estimativa uma autorização para utilizar esse recurso. Logicamente dentro da capacidade do município de arrecadação é que se é destinado o recurso. O que temos que ver é a condição que o município tem de aumentar esse repasse para que as Secretarias possam ter um pouco mais de desempenho e isso parte mais diretamente do prefeito”.

Outras justificativas
Altair Bandeira, durante a entrevista justifica as dificuldades pelas quais não somente a Secretaria de Esportes mas também a gestão administrativa Municipal tem passado, como reflexo do “Período de processo político muito complicado” nos dois últimos anos no Estado: “Logicamente no primeiro ano é um aprendizado, você não consegue fazer muitas ações porque já está tudo pré-determinado. Na questão orçamentária do segundo ano, tivemos uma intervenção estadual e Eleição. Enfim foram anos complicados para ações”, e completa “Sobre as críticas, a gente tem que distribuir, assim como também os acertos, é essa a visão que eu tenho sobre administração pública”.


O secretário finaliza a entrevista garantindo que buscará dentro das suas possibilidades, melhorar as condições de trabalho através do diálogo com o prefeito “Levarei a Valuar principalmente o que foi nos passado hoje, o descontentamento com a produtividade da Secretaria de Esportes e tentaremos encontrar mecanismos que resultem na solução dos problemas”.

Em exclusiva, Marcelo fala sobre perda de mandato e polêmica no PMDB

Da Redação


Em visita à cidade de Araguaína, desde a última quinta-feira, 10, o ex-governador, Marcelo Miranda (PMDB), concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal O Norte, através do jornalista Tony Veras, onde fala entre outros assuntos, sobre os percalços e expectativas relacionadas à sua carreira política.



Retornando à base onde constituiu família e iniciou sua carreira pública, Marcelo começa a entrevista reconhecendo a imparcialidade do trabalho realizado pelo Portal O Norte e agradece a oportunidade de estar utilizando o meio de comunicação para ter contato com a população araguainense. Marcelo explica que veio a Araguaína para rever amigos e conversar com as lideranças do município, objetivando discutir projetos importantes para a cidade e o Estado.

O ex-governador ressalta que apesar das circunstâncias atuais não permitirem que ele esteja representando oficialmente o povo, afirma que foi democraticamente eleito e continuará trabalhando juntamente com seus companheiros no que estiver ao seu alcance para o bem do povo tocantinense.

Marcelo iniciou sua vida pública como deputado estadual representando a região de Araguaína na Assembléia Legislativa, permanecendo no mandato durante 12 anos, sendo que destes, esteve quatro anos à frente da Casa de Leis, eleições estas conquistadas por unanimidade. Confira agora na íntegra a entrevista exclusiva de Marcelo Miranda ao Portal O Norte.

Tony VerasVocê passou a destacar-se em sua trajetória política à partir do momento que assumiu a candidatura ao Governo do Estado e após sua primeira eleição, sua carreira foi marcada por situações bastante adversas. Como você analisa essas questões?

Marcelo Miranda - Eu seria candidato a deputado federal quando fui convidado a assumir uma primeira candidatura ao Governo em 2002, que não tinha sido construída, não tínhamos planos, mas caminhamos, ouvimos o povo e o resultado foi uma vitória com 61% dos votos. Fui proprocionalmente, um dos três mais votados governadores da época.


No meu primeiro mandato sabia que teria algumas dificuldades, governava uma Casa com 24 donos e passei a dirigir uma com um milhão de donos, na época tivemos percalços, mas fomos reeleitos em 2006. Quando deixei o Governo de minha reeleição, tenho a clareza de afirmar que saí pela porta da frente, de cabeça erguida porque sei que tentei fazer o melhor pelo meu Estado.


Então veio a nossa eleição ao Senado, que foi vitoriosa. Fico imensamente agradecido pelos mais de 340 mil votos de confiança em todo o Estado que me elegeram ao Senado Federal, eu fui eleito pelo povo e foi o diploma que recebi da população. Estou afastado do cargo que me foi confiado, mas não baixo a cabeça em momento algum e continuarei trabalhando e visitando os companheiros porque graças a Deus, as portas ainda continuam abertas para o Marcelo Miranda.

Tony VerasQuando seu último mandato de governador foi cassado, muitos afirmaram que você não conseguiria voltar à vida política. No entanto, como você mesmo acaba de afirmar, foi candidato à Senador nas últimas eleições e saiu vitorioso, porém foi novamente cassado. Caso o senhor não consiga reaver o mandato que adquiriu nas últimas eleições vai continuar na vida pública e concorrer a outros cargos futuramente?

Marcelo Miranda – Primeiro, quero deixar bem claro que a batalha não terminou, estamos aguardando a decisão dos ministros relacionada ao enquadramento da Lei que trata do "Ficha Limpa", depois, sem dúvida eu darei continuidade à minha carreira, pois acredito que o homem público não deve se acovardar, deve andar de cabeça erguida, porque quem tem compromisso com sua gente não foge dessa questão. Mas continuo convencido de que vamos alcançar a vitória. Não quero entrar no mérito das questões jurídicas, mas se não der certo, continuaremos trabalhando, entendo que posso ser útil com minha experiência de todos esses mandatos.


Tony Veras - Fazendo uma análise da derrota tão insignificante de Carlos Gaguim na última eleição, a quem você culparia já que as pesquisas até o último momento indicavam o ex-governador como reeleito?


Marcelo Miranda - Olha não estou aqui para criticar ninguém, então acredito que essa pergunta deve ser feita a ele [Gaguim]. É importante frisar que todos os companheiros de Gaguim, vestiram a camisa inclusive, Marcelo Miranda. Mas entendo que uma eleição para Governo tem que ser levada a sério, com compromisso e isso eu falo por experiência própria, pois concorri duas vezes e felizmente fui vitorioso. Agora acredito que o povo também entendeu qual era a melhor proposta e eu, particularmente torço para que o Estado dê certo.

Tony Veras - Como cidadão tocantinense que governou por dois mandatos o Estado, o que Marcelo Miranda espera desse novo Governo?

Marcelo Miranda
- Como já disse anteriormente, sou um torcedor do Estado e entendo que todo Governo que entra tem seu projeto, sua forma de trabalhar. Eu tinha um jeito, procurei resgatar o ser humano e espero que o atual governador possa olhar mais para os cidadãos que sonham em dar o melhor para suas famílias e para aqueles que continuam acreditando, espero que possam entender a importância de um Estado em desenvolvimento.

Tony Veras - Recentemente o Ministério Público Estadual (MPE) ajuizou uma Ação contra você e Carlos Gaguim, uma vez que deixaram de implantar a Unidade de Internação para Menores Infratores em Araguaína. Como você tem se movido com relação ao caso?

Marcelo Miranda - Bem, meus advogados já estão cuidando dessa questão. Mas eu preciso deixar claro que jamais iria confrontar o MPE, pelo contrário, quem acompanhou nossa administração pode constatar que nunca tive problemas com nenhuma instituição, outra coisa, a obra que foi designada para ser construída em Araguaína era com recurso Federal, tanto que o Estado defendeu-se na época e o Supremo Tribunal Federal não estipulou data para ser construído. Claro que não poderíamos fugir da obrigação do Estado e não quero jogar culpa em ninguém mas acredito com todo o respeito que o MPE deveria cobrar isso do Estado e não da pessoa, Marcelo Miranda.


Tony Veras - Como você vê a articulação do deputado federal Júnior Coimbra (PMDB) para assumir o Diretório Estadual do PMDB?

Marcelo Miranda - Vejo como algo natural, pelo que eu sei, o deputado Júnior Coimbra articulou a questão sob a orientação nacional do partido que é entregar os diretórios para membros que estejam exercendo mandato e nada mais justo que Coimbra assumir o Diretório já que é o único deputado federal eleito do partido.

Tony Veras - Pra finalizar a entrevista, com sua experiência de quatro anos na direção da Assembléia e mais dois mandatos à frente do Governo do Estado, como você avalia a administração de Valuar e como gestor que foi do Estado, que é muito mais complexo do que governar uma única cidade, que conselho você daria ao prefeito Valuar?

Marcelo Miranda - Graças aos esforços dos parceiros nas esferas federal, estadual e municipal, fizemos juntos algumas obras importantes com recursos do Estado, procuramos assim, deixar a marca do governo Marcelo Miranda. O conselho que posso dar é que continue trabalhando, buscando obras que venham de encontro com o anseio da população. Gostaria de dizer que estou impressionado com o progresso de Araguaína, mas a adminitração precisa marcar sua passagem e é isso que os líderes municipais precisam entender, a importância da cidade no contesto estadual e nacional. Araguaína é uma cidade universitária, temos a Ferrovia Norte-Sul ao lado, a expansão de companhias aéreas no aeroporto e muitas pessoas de fora do Estado tem acreditado na cidade e como já disse a gestão de Valuar tem que trabalhar muito e deixar sua marca registrada no desenvolvimento de Araguaína.

 

Secretário de Governo fala sobre erros nos projetos enviados à Câmara

Da Redação
 

Na sessão de ontem, 14, na Câmara Municipal, o Executivo foi duramente criticado pelos vereadores, que apontaram questões como a falta de transparência da gestão com relação aos projetos enviados para a aprovação da Casa.



Controvérsias
Respondendo à análise negativa feita pelos vereadores, o secretário de Governo, Zildomar Dias de Almeida, em entrevista ao Portal O Norte contesta o posicionamento e afirma que o que realmente falta é comunicação, argumentando que os projetos são protocolados após uma prévia discussão com a maioria dos vereadores e a própria Mesa Diretora. Porém, contradizendo suas próprias palavras, Zildomar Dias, declara que os projetos que causaram polêmica ontem na Câmara, foram protocolados sem essa discussão prévia o que foi alvo de reclamação dos vereadores.

Contratação de servidores
Um dos projetos retirados da votação pelo líder do Governo Municipal na Câmara, Mané Mudança (DEM), tratava da contratação de servidores para a Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação, que tem como gestor, Jota Patrocínio. O vereador Gideon Soares (PMDB) questionou a falta de detalhes especificamente voltados para o número de cargos que seriam criados como o fato de não serem mencionados, os valores salariais dos futuros servidores. Em suas palavras Gideon observa que dar esse poder ao Executivo de aprovar um contrato nessas circunstâncias “É como assinar um cheque em branco”.

Tendo em vista as questões levantadas pelo vereador Gideon Soares, o secretário admite que realmente faltou clareza na apresentação dos dados do projeto, mas explica que não se trata de uma contratação irresponsável e fala sobre a necessidade de técnicos qualificados na Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação: “A intenção é que a Secretaria tenha condição de contratar técnicos qualificados. Reconheço que o projeto em si faltou detalhes mas irei me reunir com os responsáveis para resolver a questão”.

Permuta de loteamento
Outro projeto que causou polêmica na Câmara foi o nº 069/10, que trata da doação de um loteamento no Parque Sonhos Dourados. Além dos erros gramaticais ironicamente apontados pelos pares da Casa, o projeto foi apresentado para a votação com uma divergência relacionada ao parecer desfavorável que o Procurador do Município, Dr. Roberto Urbano, apresentou sobre o projeto, que mesmo assim, foi encaminhado para ser votado na Câmara. O vereador, Aldair da Costa (PR), o Gipão, detectou a contradição e o projeto foi retirado da votação por Mané Mudança. Sobre o caso, Zildomar Dias, não soube explicar como um projeto que teve a desaprovação da Procuradoria chegou até a Câmara e garantiu que buscará saber quem foi responsável pelo envio do projeto.




Em Araguaína, Júnior Coimbra teve o apoio direto de Mané Mudança, Divino Bethânia e Gideon Soares.

Coimbra visita Câmara e afirma que acredita no retorno de Marcelo

Da Redação


Uma visita ilustre recebida pelos vereadores da Câmara Municipal na sessão dessa segunda-feira, 14, foi a do deputado federal mais votado do Tocantins nas últimas eleições, Júnior Coimbra (PMDB), que depois de quatorze dias da posse, está fazendo uma bateria de visitações aos municípios tocantinenses.





Segundo o deputado, em uma rápida entrevista ao Portal O Norte, as visitas tem o objetivo de “Contactar e reiterar o compromisso com os municípios, especialmente com Araguaína para muito trabalho e dedicação nos próximos anos de mandato”.

Coimbra teve o apoio direto em Araguaína de três vereadores: Mané Mudança (DEM), Divino Bethânia (PP) e Gideon Soares (PMDB) e foi bastante criticado até mesmo pelos pares da Casa por não ser um candidato de Araguaína. O deputado afirma não guardar nenhuma mágoa sobre o fato e diz ser natural essa atitude dos que se posicionaram contra o apoio à sua candidatura, mas garante que irá mostrar o contrário e reafirma o comprometimento com o município de se dedicar e mostrar trabalho para dessa forma, conquistar a confiança da população.

Ainda em entrevista, Coimbra comentou sobre a expectativa do retorno de Marcelo Miranda (PMDB) à vaga de Senador. Marcelo foi afastado do cargo e aguarda decisão judicial para seu possível retorno. Coimbra acredita que com a indicação do novo Ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, a questão do “Ficha Limpa” possa ser desempatada e assim passaria a valer somente a partir das próximas eleições. “Caso Fux tome a decisão dessa forma, o nosso senador Marcelo Miranda volta a ter chances reais de exercer o cargo e é isso que eu espero, que ele possa estar assumindo o posto para o qual o povo o elegeu”, pontua.

Finalizando a entrevista, Coimbra destaca que a bancada tocantinense na Câmara Federal estará unida em prol do desenvolvimento do Tocantins.
 



Jorge Frederico critica Valuar e convoca secretário para esclarecimentos

Da Redação


Na manhã desta segunda-feira, 14, a equipe de reportagem do Portal O Norte esteve na Câmara Municipal e entrevistou o vereador peemidebista, Jorge Frederico, que entre outras questões, expôs sua opinião a respeito dos projetos elaborados pela atual gestão Municipal que apresentam divergências, bem como a situação desportiva do município que se encontra em uma situação precária.


Durante a sessão realizada nesta manhã na Câmara de Vereadores do Município, houve várias discussões voltadas para questões da gestão Municipal. Um dos assuntos mais polêmicos discutidos hoje na Casa foi a respeito de projetos que o executivo tem enviado para a aprovação dos vereadores. 

Ainda na sessão, o secretário de Governo do Município, Zildomar Dias de Almeida, afirmou que tem faltado diálogo do Poder Executivo com o Legislativo do Município. Tendo em vista as afirmações de Zildomar, o vereador Jorge Frederico que foi líder de governo no primeiro ano de mandato do prefeito Félix Valuar Barros (DEM), declarou em entrevista ao Portal que falta habilidade e sobretudo competência da administração e justifica sua afirmação dizendo: “Precisamos votar projetos na Câmara que realmente beneficiem a comunidade. O Executivo Municipal tem mandado projetos mal elaborados que praticamente não tem como colocar em atividade. Então está faltando o prefeito tomar as rédeas de sua administração e fazer com que sua gestão atenda aos anseios da sociedade de Araguaína”.

Permutas de lotes
Foi enviado à Câmara Municipal para ser votado pelos pares da Casa o projeto do Executivo Nº 069/10, tratando da permuta de um lote localizado no setor Parque Sonhos Dourados, que foi invadido em uma Área de Proteção Ambiental. O invasor então propôs à prefeitura trocar o lote por outro localizado em uma área regulamentada, o projeto foi encaminhado à Procuradoria Geral do Município que apresentou um parecer desfavorável à troca, ainda assim, o Executivo deu erroneamente continuidade à questão, enviando o projeto ao Legislativo onde também foi retirado pelo vereador, líder do Governo na Câmara, Mané Mudança (DEM), devido à divergência citada acima. Sobre a questão, Jorge Frederico, simplesmente lamenta a forma como tem sido conduzido os trabalhos na gestão atual depois de mais de dois anos de mandato.


Casas populares
Semana passada o Secretário de Desenvolvimento Social e Habitação, Jota Patrocínio, esteve na Câmara prestando contas de sua gestão frente à Secretaria. E o próprio Jorge Frederico havia questionado a entrega de casas populares que até o momento não foi realizada. O vereador diz que observa a boa vontade de Jota Patrocínio em fazer com que a Secretaria funcione, porém, destaca que é necessário que cobranças sejam feitas e resultados apresentados: “A população nos cobra e nós temos o dever de cobrar de quem tem a responsabilidade. Somos atentos ao fato de que estamos com 26 meses de administração e até o prezado momento, nenhuma casa popular foi entregue. A Secretaria sequer conseguiu construir uma casa, enquanto isso o déficit habitacional só vem crescendo na cidade”, declara.
 

Falta de incentivo ao esporte
Antes do término da reunião plenária, Jorge Frederico entrou com um requerimento solicitando a presença do secretário de Esportes do Município, Altair Bandeirada, amanhã, 15 e em entrevista ao Portal explica um dos motivos de sua convocação. Jorge Frederico afirma que apesar dos esforços do secretário, não tem percebido resultado algum de incentivo ao esporte na cidade, reclamando ainda da infraestrutura dos campos de futebol recentemente construídos pelo Município. “A situação desportiva em Araguaína está precária. Além de não existir no município incentivo a outras modalidades esportivas, vemos os campos, que há tão pouco tempo foram construídos com dinheiro público, simplesmente sem funcionalidade, porque não tem condição estrutural nenhuma de serem utilizados” e finaliza destacando que é preciso discutir a viabilidade das ações da Secretaria de Esportes que é de fundamental importância para o desenvolvimento do Município.


Gipão fala sobre seu afastamento da Câmara para assumir Ciretran

Da Redação

 

A partir da próxima segunda-feira, 14, o vereador Aldair da Costa (PR), o Gipão, assumirá oficialmente o cargo de diretor da Circunscrição Regional de Trânsito - Ciretran – em Araguaína.

Nomeado à cadeira pelo governador Siqueira Campos (PSDB), Gipão irá se licenciar do mandato de vereador para chefiar a Divisão da Ciretran e a vereadora Lúcia da Fámácia (PR), que nas últimas eleições ficou colocada como primeira suplente com 1.340 votos, assumirá a cadeira na Câmara Municipal em substituição ao aliado político.

Treinamento
Gipão explica em entrevista ao Portal, que estará durante esta semana na Capital, realizando um treinamento voltado para os serviços relacionados ao cargo ao qual foi nomeado e na próxima semana iniciará os trabalhos frente à Divisão Ciretran.

Reunião
Uma das primeiras ações que Gipão pretende realizar como gestor do órgão será uma reunião com o Comando do 2º Batalhão de Polícia Militar (2º BPM) e a Direção do Departamento Municipal de Trânsito, para discutir questões relacionadas aos trabalhos desenvolvidos na cidade referente ao trânsito, como as blitz, que segundo o vereador tem registrado grande número de documentações irregulares e até apreensão de armas e drogas. “Sabemos que Araguaína tem crescido bastante e é natural que os problemas acompanhem também esse desenvolvimento da cidade. Porém ao iniciar meu trabalho, pretendo estar unindo forças para trabalharmos com tranqüilidade e dar segurança aos cidadãos de Araguaína e região, com a intenção ainda de oferecer um serviço de qualidade para a população que depende do Ciretran”.

Questionado pela reportagem do Portal se o fato de ele deixar a Câmara para assumir o trabalho como gestor do órgão poderia prejudicá-lo politicamente, Gipão esclarece que assim como na Câmara estará prestando um serviço à sociedade: “Tenho dez anos de trabalho como vereador e no Ciretran, irei ter contato com pelo menos metade dos cidadãos araguainenses, pois acredito que na cidade tenha aproximadamente 80 mil veículos e com 150 mil habitantes terei no mínimo um contato com metade da população e eu também prestarei ali um serviço para o benefício da sociedade”, ele ainda argumenta que não deixará de ser vereador “Nosso mandato é até 31 d dezembro de 2012 e se for preciso retornar ao cargo durante este período, voltarei”, diz.


Lúcia da Farmácia
A cadeira do vereador Gipão, será assumida pela vereadora Lúcia da Farmácia. Gipão garante que não houve nenhum acordo político pra que ele deixasse a Câmara e elogia o perfil de trabalho da vereadora: “Não houve nenhum acordo político pra que eu saísse da Câmara, porém Lúcia da Farmácia teve a felicidade de ser a suplente, confio na vereadora e sei da responsabilidade e comprometimento que ela tem na Câmara, pois já trabalhei um mandato ao lado dela e tenho certeza que a vereadora desempenhará muito bem seu papel em prol da comunidade Araguaína”, pontua.


João Pedro Mirando é indicado como novo presidente do Impar

Da Redação

 

O Instituto de Previdência e Assistência aos Servidores do Município de Araguaína – IMPAR, que cuida da aposentadoria dos servidores efetivos do município, está sob nova direção. O prefeito, Félix Valuar Barros (DEM), indicou João Pedro Mirando dos Reis, para presidente da entidade, e nesta terça-feira, 8, Reis teve seu nome aprovado por unanimidade pela Câmara dos Vereadores para ocupar a cadeira deixada por Olyntho Neto que atualmente assumiu a direção da Secretaria Estadual da Juventude e dos Esportes.

Oficialmente à frente da pasta, em entrevista ao Portal o Norte, o atual presidente do IMPAR fala sobre suas expectativas e metas a serem cumpridas como gestor da instituição.

Segundo as palavras de Reis, ele pretende trabalhar com responsabilidade procurando apresentar um trabalho transparente e conquistar assim, uma maior credibilidade com o servidor efetivo municipal: “Eu pretendo demonstrar segurança aos servidores priorizando a parceria e o respeito a estes profissionais, trabalharei com a responsabilidade devida ao cargo que me foi confiado”, declara o presidente.

Primeiras ações
Reis explica que inicialmente uma de suas principais ações, será a realização de um levantamento de todas as informações necessárias para estarem incluídas em uma cartilha que será elaborada pela equipe do IMPAR, a qual será distribuída aos servidores efetivos do município.

A cartilha terá como principal objetivo manter o servidor informado de todas as questões importantes a serem esclarecidas pela instituição relacionadas à previdência e aposentadoria, a exemplo disso, a cartilha informará todas as documentações necessárias para que o colaborador do município possa aposentar-se.

Ele afirma ainda que fará um atualização no cadastro de servidores e concluí a entrevista dizendo: “Todo o trabalho de regularização e divulgação que faremos em benefício dos servidores efetivos municipais, além de uma obrigação, é uma mostra do equilíbrio e solidez da entidade e nós buscaremos realizar um trabalho com eficiência e acima de tudo transparência”, finaliza.


Perfil do presidente
Micro-empresário no ramo de papelaria e Bacharel em Ciências Contábeis, pelo Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (Itpac) de Araguaína, trabalhou por 18 anos no Banco Itaú S/A, sendo gerente da instituição por quatro anos.


Jota Patrocínio reclama da insuficiência de recursos para ações sociais

Da Redação
 

Ontem, 8, em sessão na Câmara de Vereadores do Município de Araguaína, esteve presente o secretário de Desenvolvimento Social e Habitação, Jota Patrocínio, prestando contas dos trabalhos realizados pela sua gestão na pasta e metas a serem alcançadas em 2011. Dentre os problemas questionados pelos vereadores da Casa, estavam em pauta a situação social da Feirinha e as invasões de terrenos particulares.




Feirinha
Em entrevista à equipe de reportagem do Portal O Norte, Jota Patrocínio explica que em relação à Feirinha, dentro da administração existem responsabilidades e atribuições para cada Secretaria e que no caso da sua pasta, deve ser observada a questão social, a moradia de pessoas de baixa renda no local, a execução de ações de combate às drogas e prostituição, relatando ainda a observação de que é necessário um trabalho em conjunto para combater as problemáticas encontradas na Feirinha: “Nosso trabalho no caso é fazer o diagnóstico social da Feirinha e apresentar aos possíveis parceiros, para buscar ações conjuntas que possam resolver a situação. Sabemos que o Município tem obrigação de resolver esses problemas, mas sozinho não consegue, tem que ter a participação dos governos Federal e Estadual, polícias e da própria comunidade”, argumenta.


Invasões de terrenos
No que diz respeito às freqüentes invasões que tem acontecido na cidade, Jota Patrocínio demonstra como são realizados os procedimentos específicos desses acontecimentos. Ele explica que quando é detectada uma invasão, fiscais do Código de Postura do Município, vinculados à Secretaria de Planejamento levam o fato ao conhecimento da Procuradoria Municipal e essa por sua vez, entra com uma reintegração de posse, quando sai o resultado dessa recondução, a Secretaria administrada por Jota Patrocínio, envia uma equipe para fazer o diagnóstico social dos invasores, observado suas reais necessidades para posteriormente, incluí-los num cadastro habitacional e assim, sejam possíveis beneficiários de programas sociais, porém o secretário faz uma ressalva: “Não podemos sempre dar prioridade a invasores, no sentido de serem contempladas por programas sociais, porque assim estaríamos estimulando as invasões”, observa o secretário.


Jota Patrocínio ainda afirma em entrevista que a Secretaria tem trabalhado projetos habitacionais em áreas indicadas pela Secretaria de Planejamento que, por conseguinte, levarão os projetos ao Ministério das Cidades e Governo Estadual para a construção de unidades habitacionais de interesse coletivo no município. ”Pretendemos com esse projeto atender o maior número de famílias possíveis”, afirma o secretário.


Orçamento 2011
Aina durante a sessão de terça-feira na Câmara, o presidente Elenil da Penha (PMDB), demonstra que a previsão orçamentária para a Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação será de aproximadamente R$ 13 milhões de reais. Segundo Jota Patrocínio, esse valor seria suficiente, mas é apenas uma previsão: “A realidade é bem diferente, os recursos são menores e insuficientes, mas o prefeito Valuar Barros (DEM) e a equipe da Secretaria, tem buscado viabilizar recursos para fortalecer nosso trabalho e dar suporte à famílias que necessitam”, pontua.






















Para Gideon, novo presidente da UVT terá que fazer parceria com o Governo

Da Redação
 

No próximo dia 28 de fevereiro acontecerá a eleição da União dos Vereadores do Tocantins (UVT) e o atual presidente da entidade, vereador de Araguaína Gideon Soares (PMDB), entregará o cargo, o qual exerceu durante os dois últimos anos.




Em entrevista ao Portal O Norte, Gideon Soares, faz uma rápida análise do seu trabalho frente à instituição e fala sobre as expectativas sobre a próxima Diretoria que será empossada no dia 1º de abril.

Questionado a respeito das conquistas realizadas pela UVT em sua gestão, Gideon explica de tentou de uma forma simplificada cumprir as metas através de parcerias, dentre elas, o carro-chefe da instituição, o Governo do Estado.

Sobre a Gestão na UVT
Eleito em 2009, como representante dos vereadores do Tocantins, Gideon reconhece que teve bastante apoio do seu aliado político, o então governador Marcelo Miranda (PMDB), no entanto, ainda em seu primeiro ano de mandato, Miranda foi cassado tendo como sucessor com um mandato tampão, o deputado estadual também peemidebista, Carlos Henrique Gaguim: “Com a saída de Marcelo, deixei de lado a realização de sonhos, porque não tivemos a mesma contribuição do então governador Carlos Gaguim para a realização de projetos da UVT como a construção da Sede da entidade e a realização de importantes palestras voltadas para o público Legislativo Municipal do Estado”, explica.

Apesar da dificuldade em conseguir apoio para determinados projetos da UVT, Gideon esclarece que dentro das possibilidades, muito se foi feito em prol dos vereadores do Estado. “Durante o nosso mandato, conseguimos amparar de forma logística os vereadores, no que diz respeitoa viagens e hospedagens na capital, Palmas, por exemplo. Procuramos priorizar esse atendimento aos vereadores e sabendo das dificuldades financeiras, principalmente das Câmaras menores, o veículo da UVT, mesmo em péssimas condições, conduzia até as secretarias, os vereadores que não tinham veículos próprios”.

Eleições 2011
Ainda em entrevista, o vereador apresenta os possíveis nomes que concorrerão ao cargo de presidente da instituição. De acordo com Gideon, são pré-candidatos, o vereador de Ipueiras, região sul do Estado, Everly Póvoas (PSDB) que apoiou o candidato derrotado nas últimas eleições para Governo do Estado, Carlos Gaguim e o vereador Ivaldo Barros(PV)de Angico, localizado no extremo Norte do Tocantins.


Segundo Gideon Soares, ainda ontem, 7, os dois vereadores estavam reunidos em Palmas para discutir uma possível candidatura única a qual ele acredita ser uma decisão coerente a ser tomada: “Torço que a decisão seja por uma chapa única, pois acredito que isso seja salutar hoje para a UVT, inclusive o regimento nos permite que o candidato escolhido possa ser eleito por aclamação. Isso evita até mesmo despesas dos vereadores de municípios longínquos relacionadas a combustível, hospedagem e etc.”, argumenta o presidente.

Finalizando a entrevista, o presidente observa ser importante a busca da entidade por parcerias com o Governo do Estado, independente de partidos, mas acredita que o candidato escolhido possa ser aliado político do atual Governo. “Uma parceria com o Governo do Estado neste momento é muito importante e quero deixar claro que estou falando com um discurso visando o bem da entidade, para que o próximo gestor possa dar prosseguimento a projetos, como a construção da Sede própria da UVT”, e finaliza dizendo que “Independente do candidato que for eleito, acredito que ele dará o reconhecimento e suporte merecido à classe”.



Anterior 3 4 5 6 7 8 Próximo 
Publicidade
Publicidade

Facebook

Twitter

Vc é o Repórter

Tem uma reportagem, fotos, vídeos, histórias ou curiosidades?

Mande para nossa redação. Seja você o REPÓRTER.