Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
30ºmax
22ºmin
POLÊMICA

Acusado de retirar aparelho de radioterapia do Hospital de Amor, Secretário de Saúde se defende

29 maio 2020 - 20h40Por Redação

O Secretário Estadual de Saúde (SES), Edgar Tollini, é alvo de uma polêmica relacionada a um aparelho usado par tratar pacientes com câncer. A questão veio à tona depois que o responsável pela implementação do Hospital do Amor em Palmas, Henrique Prata gravou um vídeo com duras críticas contra o secretário o acusando de “traição” por ter lhe tirado um acelerador linear da unidade na capital. Diante das acusações, o gestor da pasta se manifestou sobre o assunto negando as acusações. (No final da matéria você confere os vídeos sobre o assunto).

O presidente da entidade, Henrique Prata, afirmou em vídeo que convenceu o governo estadual – ainda na administração do ex-governador Marcelo Miranda (MDB) – a ceder o acelerador linear do plano de expansão do Ministério da Saúde (MS) ao Hospital do Amor que já está sendo construído em Palmas. A explicação do presidente da instituição veio em tom depreciativo. “Se fosse instalado em um hospitalzinho de serviço geral [HGP], inviabilizaria aquele centro completo [Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia – CACON]. Seriam dois serviços de oncologia pela metade. Seríamos aleijados”, afirmou.

Henrique Prata, destaca que este acordo foi traído pela atual administração do Estado e classificou a iniciativa como demagoga e politiqueira. “Surpreendentemente, o secretário pediu para voltar o aparelho para o hospital do Estado. Uma irresponsabilidade, uma atitude politiqueira, demagoga, instalar um aparelho de radioterapia em um serviço de medicina geral, que mal dá conta de fazer o que deve ser feito. Quando visitei não fazia nem metade do que deveria”, voltou a disparar contra o Hospital Geral de Palmas.

Sem dar mas detalhes, Prada avisa que vai denunciar o secretário e adianta que acionará o atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. “Quando provar para ele da irresponsabilidade da atitude, sem dúvida vai tomar as providências de cancelar [o equipamento para o Estado]”, completa.

O outro lado

Diante da acusação, Tollini se viu obrigado a vir a público apresentar sua versão dos fatos e em vídeo esclareceu o que teria ocorrido. O gestor negou qualquer interferência na questão quanto à intenção do Hospital de Barretos em adquirir um acelerador linear e disse que o impedimento foi colocado pelo Ministério da Saúde e nãoo pelo Governo do Estado., aproveitando a oportunidade para exaltar o trabalho da entidade: “O Estado tem o maior respeito com todo e qualquer prestador de serviço, seja privado ou entes filantrópico....Esta instituição é responsável pelo tratamento de milhares de pessoas com excelência”, observou.

Ainda sobre a questão, Tollini aponta um caminho em busca de resolver o impasse: “Bastamos sentar, dirimir os problemas, buscar o Ministério se existe alguma solução e retornar sem nenhum problema a instituiçãoo ao Hospital de Amor” disse acrescentando: "...não existe nenhuma linha colocada por mim ou pelo excelentíssimo governador Mauro Carlesse impedindo ou não", garantiu.  

Além do vídeo divulgado por Tollini, a SES se manifestou oficialmente em nota.

Confira a resposta na íntegra: 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) destaca que é necessário esclarecer que o Plano de Expansão da Radioterapia no Sistema Único de Saúde – PER/SUS foi instituído pela Portaria nº 931/GM/MS, de 10 de maio de 2012, ano este em que o Hospital Geral de Palmas (HGP) oficializou sua adesão, esta renovada no início de 2020.

A SES destaca que não houve qualquer interferência nesta Gestão Estadual quanto à intenção do Hospital de Barretos em adquirir um acelerador linear (equipamento de radioterapia) junto ao Ministério da Saúde, uma vez que a Pasta entende que quanto mais equipamentos disponíveis ao Estado, maior será a cobertura assistencial oferecida aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

A SES enfatiza que o HGP atendeu aos critérios da legislação então vigente no Art. 6 da Portaria nº 931/GM/MS, de 10 de maio de 2012 (revogada pela Portaria de Consolidação nº 5, de 28 de setembro de 2017), que exigia do estabelecimento de saúde uma prévia habilitação junto ao Ministério da Saúde, na Alta Complexidade em Oncologia, para criação de novo serviço de radioterapia no âmbito do PER/SUS.

Por fim, destaca-se que a atual Gestão Estadual do Tocantins tem trabalhado na ampliação dos atendimentos na Alta Complexidade em Oncologia, como refletem números de atendimentos que as UNACON’s do Tocantins realizaram no HGP e no Hospital Regional de Araguaína, promovendo uma média de 50 atendimentos mensais, somente em radioterapia, inclusive a pacientes oriundos do Maranhão, Pará e Mato Grosso.

Palmas, 28 de maio de 2020
Secretaria de Estado da Saúde
Governo do Tocantins”

AO VIVO