Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
36ºmax
23ºmin
"MUITA MALDADE"

Ambulante tenta se recuperar de prejuízo após ter carro e frutas incendiados por vândalos

05 agosto 2020 - 10h30Por Redação

O vendedor ambulante, Formino Antônio de Oliveira, amargou um prejuízo de cerca de R$ 5 mil reais depois de ser vítima de um incêndio criminoso que destruiu o veículo que ele usava para vender frutas na região central da cidade, próximo ao Mercado Municipal em Araguaína, no Norte do Tocantins. Agora, pai de 3 filhos ele trabalha para tentar recuperar o que perdeu e seguir em frente sustentando sua família. 

A equipe de reportagem do Portal O Norte esteve no local, onde o senhor Formino trabalha e conversou com ele sobre o caso. (No final da matéria você pode assistir ao vídeo da entrevista na íntegra.)

Trabalhador tem esperança de conseguir recuperar sua ferramenta de trabalho. (Foto: Portal O Norte)

Entenda o caso

A ação criminosa aconteceu na madrugada dessa segunda-feira (03), quando vândalos tocaram fogo no carro, que no momento estava carregado de abacaxis. No dia do incêndio, o Corpo de Bombeiros foi acionado por um popular que passava pelo local. A equipe combateu as chamas mas o veículo e as mercadorias ficaram destruídos. Até então os bombeiros não sabiam como o fogo teria iniciado. 

No dia seguinte após o incêndio, senhor Formino conseguiu imagens de circuito de segurança cedidas do supermercado próximo ao local e descobriu que foi vítima de um incêndio totalmente intencional. Os vídeos mostram dois homens se aproximando do veículo, momento que um deles ateia fogo no carro e sai em seguida tranquilamente. 

Autor se aproxima do carro e ateia fogo. (Foto: Reprodução)

O vendedor ambulante afirma ter reconhecido os dois, como sendo moradores de rua que vivem nas proximidades do local. Ele registrou um Boletim de Ocorrência, mas até o fechamento desta matéria, os autores do crime ainda não haviam sido presos pela polícia: "Ontem mesmo me disseram que viram eles lá na Praça das Nações tranquilamente deitados no banco da praça embaixo de um mangueiro", relatou em entrevista ao Portal O Norte.

O dia do crime

O ambulante explicou que no dia do episódio, ele teve um problema na ignição do carro e por isso foi forçado a deixá-lo no local: "O gerente do supermercado, chegou a permitir que eu deixasse o veículo no estacionamento, mas não tinha como colocar ele pra dentro e acabei deixando na rua mesmo, porque tava sem dinheiro pra mandar consertar", disse. Na manhã seguinte ele acabou se deparando com o prejuízo.  

Depois do episódio, seu Formino procurou a delegacia: "nem queria registrar boletim, mas os amigos me incentivaram, disseram que era preciso ser feito, porque uma maldade dessa não pode ficar impune" disse completando: "Não sou uma pessoa ruim, nunca  tive problema com nenhum morador de rua, nunca neguei uma fruta pra alguém que precisa. A gente fica sem entender, é muita maldade, como uma pessoa tem coragem de fazer uma coisa dessas?", questiona. 

A gente fica sem entender, é muita maldade, como uma pessoa tem coragem de fazer uma coisa dessas?", questiona.

Quem é a vítima

Vendedor Ambulante há mais de 10 anos, seu Formino é separado há 8 anos e desde então criou os três filhos sozinho. A mais nova está atualmente com 14 anos de idade e os outros dois têm 20 e 22 anos. Ele vive com a família de favor em uma casa nos fundos da residência de sua mãe no setor José Ferreira.  

Formino contou em entrevista que comprou a Pampa de um amigo, parcelada em 30 vezes: "Graças a Deus já tava quitadinha, tenho os recibos e documentos dela, tudo certinho", garante. 

Apesar do prejuízo, humildemente ele afirma esperançoso que vai tentar recuperar do jeito que pode o carro destruído: "Esse é o sustento da minha família, vivo disso não tenho outra renda. Agora é trabalhar para tentar se recuperar do prejuízo". 

Por enquanto, o senhor Formino utiliza uma carretinha que conseguiu para colocar no local, aproveitou o que sobrou da tenda que usava como sombra e continua tocando suas vendas. Questionado sobre apoio para se reerguer ele afirma: "Toda ajuda é muito bem vinda. Quem quiser mesmo, pode vir aqui e comprar umas frutinhas na minha mão. Tenho laranja, abacaxi, melancia, coco. Isso já ajuda a gente a continuar se mantendo né?", disse o ambulante que trabalha todos os dias no local. 

Quem quiser mesmo, pode vir aqui e comprar umas frutinhas na minha mão. (Reprodução Portal O Norte)

AO VIVO