sábado, 28 de maio de 2022
(63) 99958-5851
São Paulo
23ºmax
11ºmin
AUTOESTIMA

Apenas 3% dos homens brasileiros se acham feios, mostra pesquisa

12 maio 2022 - 08h38Por Correio Brasiliense

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ideia, encomendada pela revista GQ Brasil e divulgada nesta quarta-feira (11/5), mostrou que a autoestima do homem brasileiro está em alta. Além de a maioria se achar bonito, os entrevistados deram respostas cheias de confiança e amor próprio sobre inteligência e admiração.

 O estudo, intitulado "O Que Pensa o Homem Brasileiro", ouviu 663 homens com 18 anos ou mais, por todo o Brasil. Entre os entrevistados, apenas 3% se consideram feios. Além disso, 47% responderam que se acham bonitos, o que representa cerca de um em cada dois participantes da pesquisa. Outros 44% se enxergam como "na média" e 6% preferiram não responder.

Em relação à aparência e autocuidado, os dados mostram que a maioria dos homens brasileiros são contrários à ideia de se submeter a um procedimento estético. Apenas 13% disseram já ter feito, ou topariam fazer, uma cirurgia plástica e 9% aceitariam ou já aplicaram botox.

  A saúde mental também foi abordada. 16% dos entrevistados assumiram fazer terapia e 65% não teriam problema em fazer um acompanhamento psicológico.

Amor próprio admirável

E não para por aí. A pesquisa também procurou entender o que os homens pensam sobre a própria inteligência e sobre quem eles admiram. 28% dos participantes se acham mais inteligentes que a média. Grande parte (65%) respondeu que se considera dentro da média e somente 7% que se enxergam inferiores neste quesito. Quando questionados sobre qual homem brasileiro eles mais admiram, 7% responderam “eu mesmo”.

O cuidado com a autoestima também está na maneira como eles se vestem. Engana-se quem pensa que os homens não se preocupam com as roupas que usam, seja no dia a dia ou em algum lugar especial. A pesquisa apontou que 69% dos homens evitam transmitir uma aparência desleixada. Além disso, 63% fogem do estilo brega e 61% não gostam de chamar a atenção.

A pesquisa tem margem de erro máxima estimada de aproximadamente 2.85 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.