Menu
Busca segunda, 23 de novembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
30ºmax
22ºmin
CAOS NA SAÚDE

Médicos do Hospital Regional de Araguaína pedem demissão em massa

11 maio 2011 - 08h57

Luidiniz Brito
Da Redação

 

Nos últimos dias o Hospital Regional de Araguaína (HRA) vem sendo alvo de uma série de denúncias noticiadas pelo Portal O Norte.

Agora mais uma denúncia chegou à redação do Portal, proveniente de uma fonte do HRA que temendo represálias solicitou sigilo quanto ao seu nome. De acordo com suas informações, a área de atendimento a queimados do Hospital Regional de Araguaína (HRA) não está funcionando, por falta de profissionais.

O motivo da ausência de atendimentos é que os médicos da cirurgia plástica, ao todo quatro profissionais - responsáveis principalmente pelo socorro de vítimas de queimaduras - pediram demissão em massa. Portanto, desde o dia primeiro deste mês o HRA não presta mais atendimento a tais pacientes.

Entenda o motivo do pedido de demissão
De acordo com a fonte do Portal, a Secretaria de Saúde do Estado parou de pagar plantão extra aos médicos. O plantão extra é necessário quando não há profissionais suficientes para cumprir uma escala de atendimento aos pacientes da área de queimados. Entretanto, a fonte alega que apesar de os médicos continuarem fazendo o plantão, o pagamento extra não estaria sendo efetivado.

Visto que não seriam pagos pelo trabalho, optaram pelo pedido de demissão e saíram todos: “A crise está tanta, que os profissionais concursados preferem pedir demissão e perder o concurso, a se sujeitar aos mandos e desmandos da Secretaria”, informou.

Os médicos da área de cirurgia plástica trabalhavam 40 horas semanais e faziam cinco plantões extras no mês, o que totalizava cerca de R$ 5 mil para cada um, conforme disse o denunciante. Ele entende que esse valor é baixo perto do custo que a Secretaria de Saúde poderia ter contratando outros profissionais. Além disso, é difícil conseguir um cirurgião plástico com urgência, por existirem poucos dispostos a trabalhar no HRA: “não tem outro médico pra vir pra cá, porque ninguém quer”, desabafou.

Existe ainda o receio de que outros profissionais do Hospital Regional tenham a mesma atitude dos que saíram, pois a Secretaria de Saúde pode deixar de efetuar pagamento a todos os médicos pelo referido serviço prestado. “Eles vão parar de pagar os plantões extras e vão comprometer todas as escalas, de todos, como por exemplo, da cirurgia geral e clínica médica”, esclareceu o médico.

Problema instalado
Por conta de todo este problema envolvendo a Secretaria de Saúde do Estado e cirurgiões plásticos do HRA, a vítima de queimadura grave precisará se deslocar até Palmas ou outra capital. Acarretando alto custo para o Tocantins, porque, os queimados geralmente precisam ser transportados de avião e não de ambulância, por sentirem muitas dores e necessitarem de atendimento imediato.

Desse modo, a Secretaria de Saúde empregaria muito mais recursos com esse procedimento de transporte do que pagando aos médicos pelos plantões extras, disse o denunciante ao Portal O Norte: “É trocar os R$ 5 mil, que eles pagam por mês ao médico por, mais ou menos, R$ 50 mil”. Seria, conseqüentemente, desperdício de dinheiro público, em detrimento da população, colocada em risco.
 

AO VIVO