Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
37ºmax
20ºmin
DESRESPEITO

Mesmo com sucesso, show sertanejo é ofuscado por irregularidades

09 junho 2011 - 13h07

Daniel Lélis
Da Redação


A apresentação da dupla sertaneja, Fernando & Sorocaba, uma das mais esperadas da Exposição Agropecuária de Araguaína 2011, levou ontem, dia 8, uma multidão de fãs ao Parque Dair José Lourenço. O público ferveu com grandes sucessos como “Bala de Prata”, “Da Cor do Pecado”, “Madri” e “Paga Pau”. A animação tomou conta da galera nas quase 2 horas de show.

É a primeira vez que a dupla, ícone da música sertaneja universitária na atualidade, vem a Araguaína. “É inesquecível, um sonho realizado”, afirmou emocionada a fã Layze Ferreira da Silva, 22 anos. “Eles são lindos, maravilhosos!”, contou feliz Geiza da Conceição, 19, que estava pertinho do palco.

A interatividade foi o grande destaque da noite, tanto que um dos momentos mais especiais da festa foi quando dentro de uma "bolha gigante", Fernando saiu literalmente rodando em cima do público. A simpatia da dupla também chamou a atenção dos presentes, uma vez que nem mesmo as seguidas invasões do palco por fãs histéricas tiraram do sério os artistas.

Mesmo com sucesso de público, contudo, o show foi ofuscado pelo autoritarismo do Sindicato Rural de Araguaína, que, como mostrou o Portal O Norte (confira reportagem na íntegra, aqui), se negou a vender meia entrada para os estudantes.

Ação do Procon
Depois de receber dezenas de denúncias, o Instituto de Defesa do Consumidor, Procon, autuou no final da tarde de ontem, dia 8, o Sindicato Rural de Araguaína (SRA) e os pontos de venda de ingressos antecipados para o show da dupla Fernando & Sorocaba por descumprirem a lei que garante aos estudantes meia entrada em eventos.

Ao Portal O Norte, o gerente do Núcleo Regional do Procon em Araguaína, Terciliano Gomes, afirmou que o Sindicato suspendeu a venda da meia entrada alegando que já tinha ultrapassado o limite de ingressos a serem vendidos com 50% de desconto. Todavia, de acordo com ele, a postura da entidade vai contra a lei, posto que não existe limite legal de ingressos com 50% de desconto. “Enquanto houver estudante querendo comprar o ingresso com desconto, ele terá o direito de adquirir”, declarou.

Em entrevista exclusiva, o assessor jurídico do Núcleo do Procon em Araguaína, Franklin Rodrigues de Sousa Lima, informou que o órgão pretende mover uma ação conjunta daqueles que se sentiram lesados contra o Sindicato Rural.

Com este propósito, o Instituto esteve ontem a noite próximo à entrada do Parque de Exposições colhendo os dados de estudantes que se sentiram prejudicados. Segundo Gomes, o estudante que comprou “inteira” no valor de R$ 50 reais poderá ir até o Procon, que acatando a denúncia, ajuizará ação contra o SRA, que poderá ressarcir o estudante com o dobro do valor gasto na compra do ingresso.

Ação dos fiscais de Postura
João Lopes Sousa, diretor do Departamento de Postura e Edificações de Araguaína, informou à nossa equipe que o órgão confirmou o descumprimento da lei da meia entrada pelo Sindicato Rural: “Estão contrariando a Lei Municipal nº 1143/92, que resguarda aos estudantes o direito a meia em eventos culturais. É um desrespeito a comunidade e aos estudantes”, contou ele, que completou dizendo que a medida apropriada na ocasião seria o cancelamento do show.

Entretanto, a festa não pode ser embargada, uma vez que para isso, haveria a necessidade de uma decisão judicial, que não foi expedida, tendo em vista que o juiz de plantão, Álvaro do Nascimento, não foi localizado.

Revolta dos estudantes
Muitos estudantes revoltados procuraram o Procon na noite de ontem para buscar orientações de que como proceder diante da postura do SRA. Rodolfo Rodrigues, estudante de medicina veterinária, foi uma das centenas de pessoas que, não tendo direito a meia, tiveram que pagar R$ 50,00 para assistir ao show de Fernando & Sorocaba: “É uma falta de respeito porque nós pagamos pela carteirinha de estudante para ter direito as bonificações previstas na lei. Se temos direito a meia em eventos culturais e de lazer, por que arbitrariamente o Sindicato Rural nos nega?”, questionou ele irritado.

Richard Soares, servidor da UFT, em entrevista ao Portal O Norte, citou a Lei Municipal nº 926/200 que estende aos professores o direito a meia entrada. Ele afirma: “É um absurdo inaceitável que o Sindicato descumpra a lei e fique por isso mesmo. Temos que reivindicar, exigir os nossos direitos”.

AO VIVO