Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
21ºmin
SOB SUSPEITA

Empresária pode ter sido beneficiada em Concurso Público Municipal

16 junho 2011 - 21h02

Daniel Lélis
Da Redação


As supostas irregularidades publicadas pelo Portal O Norte quanto à aprovação de candidatos no Concurso da Saúde realizado pela Prefeitura Municipal de Araguaína em 2010 envolvem uma das empresárias mais conhecidas do ramo da educação na cidade. Ângela Maria Silva é diretora da Facit – Faculdade de Ciência do Tocantins, antigo Cestep (Centro Superior de Tecnologia, Ensino, Pesquisa e Pós-Graduação do Tocantins), instituição que desenvolve cursos de Especialização Lato-Sensu em Educação e Saúde e que tem parceria, dentre outras entidades, com a Universidade Regional de Gurupi (Unirg).

De acordo com a denúncia, Ângela Maria Silva não teria preenchido todos os requisitos exigidos pelo edital para concorrer às vagas reservadas para portadores de deficiência. Contudo, segundo apurou a nossa equipe de reportagem, a mesma além de participar do certame nesta condição, foi aprovada e nomeada através da Portaria nº 368/2011, de 06 de abril de 2011, estando lotada na Secretaria Municipal de Saúde.

Laudo médico
Segundo o laudo médico apresentado por Ângela Maria, que é assinado por Nayra Maia de Sousa Pereira, a empresária é portadora de perda auditiva neurossensorial bilateral de grau leve a moderada na orelha direita e moderada a severa na orelha esquerda. O documento que atesta a deficiência é do dia 25 de abril deste ano, 19 dias depois que Ângela foi nomeada e 8 dias antes de a mesma ser empossada no cargo.

Sobre Ângela
Ângela Maria Silva é educadora e profissional da odontologia, tendo feito especialização em ortodontia e ortopedia, residência nos EUA e Mestrado em Diagnóstico por Imagem. Mudou-se para Araguaína em 2005. Conhecida pelo empreendedorismo, a cirurgiã dentista idealizou e concretizou, com o apoio da família, diversos negócios na cidade, sendo o mais importante deles a Facit, que oferece cursos de Pós-Graduação nas áreas de Psicopedagogia, MBA em Administração, Logística, Medicina do Trabalho, Ortodontia, dentre outros.

Edital do concurso
O edital do concurso em que Ângela foi aprovada informava que os candidatos deveriam comparecer à perícia médica, munidos de laudo médico que atestasse a espécie e o grau ou nível de deficiência, sendo eliminados da lista os candidatos cuja deficiência assinaladas na ficha de inscrição não fossem constatadas.

Previa ainda o edital que a relação dos candidatos que tivessem a inscrição deferida para concorrer na condição de portadores de deficiência seria divulgada na Internet, no endereço eletrônico http://www.copese.uft.edu.br, ocasião esta em que também seriam divulgados os locais de realização das provas.

O Portal O Norte constatou a presença dos nomes da cirurgiã dentista na lista referida, o que comprova que esta concorreu à vaga como portadora de deficiência física.

AO VIVO