Menu
Busca sábado, 29 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
30ºmax
22ºmin
QUADRILHA JUNINA

Revoltado, grupo Inhaca-Arara solta o verbo contra Secretaria Municipal de Cultura

28 junho 2011 - 07h43

Dágila Sabóia
Da Redação


Os quatro dias de festa do Arraial Municipal renderam muitas polêmicas envolvendo a organização da Secretaria Municipal de Cultura.

A festa aconteceu semana passada entre os dias 23 a 26 de junho, no Parque de Exposições Dair José Lourenço, onde foram realizadas as apresentações de oito quadrilhas juninas locais, quatro de Palmas e uma de Imperatriz que disputavam o título de quadrilha campeã.

Insatisfação
A final da competição aconteceu no sábado quando a quadrilha “Arranca-Toco” foi anunciada campeã. O resultado, como era de se esperar, não agradou aos outros grupos que participaram, porém o que não podia ser previsto é que estes, inconformados com o resultado, devolveriam os seus troféus em protesto pela votação dos jurados.

Nossa reportagem conversou com Jales dos Santos, líder da quadrilha que foi premiada em 2º lugar “Inhaca-Arara”, que esclareceu os motivos que levaram o grupo a devolver o prêmio.

Suposto favorecimento
Jales dos Santos aponta que houve favorecimento da quadrilha vencedora, segundo ele, três dos jurados seriam amigos do líder da “Arranca-Toco”, conhecido como professor Rogério, que ministra aulas no cursinho de pré-vestibular “Nerds”, antes da realização do evento, o líder afirma que em uma reunião foi sugerido à secretária, Marly de Carvalho que trouxesse jurados de fora da cidade para evitar esse tipo de polêmica: “Tivemos uma reunião com a Marly de Carvalho e ela nos disse que colocaria pelo menos três jurados de fora da cidade, no entanto isso não aconteceu e o resultado é esse. Trabalhamos muito, foram mais de cinco meses de ensaios e dedicação, investimos no nosso grupo, não é justo que haja favorecimento algum para nenhuma quadrilha”.


Falta de condução
O líder da Inhaca-Arara, ainda contou à nossa reportagem que o seu grupo de 50 pessoas precisou improvisar a volta pra casa, já que o coletivo da Viação Lontra que deveria, como em todos os anos, estar à disposição das quadrilhas pra deixá-las no ponto em que foram pegas, não foi buscá-los no Parque de Exposições: “Ficamos até de madrugada aguardando a chegada do ônibus, temos menores de idade em nosso grupo e quando eu liguei para Marly ela falou que o carro já estava chegando, quando deu quatro horas da manhã, a secretária já não atendia mais o telefone e a gente cansou de esperar, começamos a improvisar em motos que levavam até três pessoas, correndo risco de vida. Isso é um desrespeito com pessoas que trabalham pela cultura da nossa cidade”.

Iniciativa
Ainda inconformado com a derrota, segundo ele, premeditada, Jales dos Santos, afirmou que no próximo ano as quadrilhas tradicionais de Araguaína não participarão do Arraial Municipal: “Já confirmei com as outras quadrilhas que se sentiram lesadas e decidimos que não vamos mais participar da festa junina realizada pela Secretaria de Cultura do Município, porque já vimos que não somos levados à sério, por isso vamos realizar nosso próprio evento”, pontuou.

AO VIVO