Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
36ºmax
23ºmin
JUSTIÇA FEDERAL

Justiça realiza cerca de 1.200 audiências em mutirão de Araguaína

04 julho 2011 - 08h53

Daniel Souza
Da Redação


Entre os dias 27 de junho a 2 de Julho, a Justiça Federal realizou, em parceria com a Prefeitura Municipal de Araguaína, o Núcleo de Prática Jurídica da Faculdade Católica Dom Orione (Facdo) e demais parceiros, audiências de conciliação, instrução e julgamento nos processos de aposentadoria e benefícios, em trâmite na Comarca Araguaína. A equipe de servidores da Justiça Federal foi comandada pelo juiz federal Dr. Anibal Magalhães da Cruz.


Número de Audiências
Foram 1.200 audiências no total, tendo sido realizadas 200 audiências por dia e os processos foram julgados em caráter definitivo por 5 juízes federais, cada juiz realizou diariamente, 40 audiências de natureza previdenciária. Na oportunidade, o mutirão realizou também audiências para ações assistenciais como benefícios a idosos, deficientes físicos ou mentais.


Em entrevista ao Portal O Norte o Diretor da Secretaria da Vara Federal de Araguaína, Edmilson Júnior, destacou que o mutirão teve como foco os atendimentos direcionados à pessoas carentes como por exemplo, as que procuraram benefícios junto ao INSS de aposentadoria rural por idade, auxílio doença, pensão por morte, benefício assistencial e não conseguiram, ou seja, tiveram o seu pedido negado, recorrendo assim à Justiça Federal. “Nos empenhamos em trabalhar de uma forma rápida para solucionar as ações ajuizadas junto ao Poder Público Federal e beneficiar assim as pessoas necessitadas sem ser preciso que elas tivessem qualquer tipo de despesa para isso”, diz Edmilson Júnior.

Ainda segundo o Diretor, a expectativa é que as decisões judiciais realizadas nesses dias, beneficiem economicamente a cidade de Araguaína, justificando que os benefícios que serão recebidos em decorrência do encerramento das ações cheguem a aproximadamente R$ 2 milhões. “Muita gente agora poderá receber sua aposentadoria, ou pensão que tanto lutaram pra ter e isso é bom para o município, porque essas pessoas vão poder contribuir economicamente”.

A senhora, Maria de Fátima da Silva, 57 anos, agricultora, foi uma das beneficiadas com o mutirão, ele requeriu o pedido de aposentadoria rural a mais de um ano ao INSS, porém a solicitação foi indeferida. Com a audiência, dona Maria de Fátima se diz confiante que agora receberá o benefício: “Agora eu tenho mais fé que vou receber meu dinheirinho todo mês pra comprar meu arroz e meu feijãozinho”.

AO VIVO