Menu
Busca terça, 18 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
29ºmax
23ºmin
ARAGUAÍNA

Emprego e Trabalho Decente é debatido durante Conferência

29 agosto 2011 - 08h44

Empregadores, governo, trabalhadores e organizações da sociedade civil levantam desafios e apontam soluções para a área do trabalho durante a 7ª etapa das conferências regionais de Emprego e Trabalho Decente no município de Araguaína, nesta sexta-feira, 26.

Na etapa de Araguaína foram eleitos 40 delegados que levarão as propostas elaboradas a partir dos debates para a etapa estadual que acontece em Palmas nos dias 20 e 21 de outubro.

Segundo a subsecretária do Trabalho e presidente da Comissão Organizadora da Conferência, Mariza Sales, as propostas levantadas nos encontros regionais irão permitir a construção de políticas públicas para o trabalho em esfera municipal, estadual e federal e conclui: “O grande objetivo do Governo do Estado é gerar empregos decentes e consequentemente uma vida decente para os tocantinenses”. Para a subsecretária, trabalho decente é aquele que permite ao funcionário combinar as ações do trabalho com sua vida pessoal, atenção à família e que lhe dê a possibilidade de uma aposentadoria.

Para o vice-presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins, Nivaldo Pedrosa, os trabalhadores são os atores principais desse debate, pois toda a política é pensada para eles e ressalta: “Pela primeira vez os trabalhadores podem opinar, construir a política segundo suas necessidade. Por isso é tão importante a participação”.

Em Araguaína, o principal desafio levantado pelos delegados representantes dos empregadores foi a falta de qualificação profissional da mão-de-obra local. Como explica a gerente de Recursos Humanos do Hospital Dom Orione, Elisângela Abadia: “Nós temos muita dificuldade de preencher vagas por falta de qualificação dos candidatos. O que fazemos e apontamos como solução para esse problema é apostar em pessoas sem experiências, mas que tenham vontade de aprender e crescer”. Outra proposta, colocada pela gerente é o desenvolvimento de um programa de qualificação dentro das empresas.

Além dos três grupos envolvidos na temática do trabalho - empregadores, trabalhadores e governo, a Conferência abre espaço para que outras instituições da sociedade possam opinar e expor suas demandas. É o caso da Adefato – Associação dos Deficientes Físicos de Araguaína representada por seu vice-presidente, Jefferson Cardoso.

Segundo Jefferson a Conferência é uma iniciativa louvável, pois a população está interessada em iniciativas que ensinem as pessoas a trabalharem e não apenas em programas sócio assistências. Quanto as pessoas com deficiência, o vice-presidente da Adefato apontou dois grandes desafios, a acessibilidade, principalmente dos transportes coletivos e a discriminação dos empregadores na hora da contratação: “A lei que exige a contratação das pessoas com deficiência já existe, mas precisamos que haja fiscalização para que ela seja cumprida”, declara Jefferson.

Araguaína reuniu 20 municípios do entorno para o debate. Além de Araguaína, as cidades da região de Araguatins, Porto Nacional, Dianópolis, Guaraí, Paraíso e Gurupi já realizaram as Conferências. A última etapa regional acontece em Palmas, na próxima terça-feira, 30.(Da Ascom Setas)

AO VIVO