Menu
Busca sexta, 28 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
31ºmax
22ºmin
DESRESPEITO

Flagrantes de desrespeito às leis de trânsito em plena luz do dia

02 setembro 2011 - 10h19

Da Redação
 

Há um consenso de que, no Brasil, as leis foram feitas para não serem cumpridas. Um exemplo disso é a Resolução 683/87- Contran, que trata sobre transportes de passageiros em veículos de cargas, o que só poderá ser autorizado eventualmente e desde que atenda aos requisitos estabelecidos na lei. No artigo Art. 1.º da resolução citada, diz que "o transporte de passageiros em veículos de cargas só poderá ser autorizado entre uma localidade e outra, quando não houver linha regular de ônibus".

A equipe do Portal O Norte registrou dois verdadeiros casos de flagrante desrespeito às leis de trânsito, principalmente à Resolução do CONTRAN – 683/87. Na primeira foto, em plena Avenida João de Sousa Lima, uma das mais movimentadas da cidade, mostra um garoto, de aproximadamente 9 anos de idade, viajando tranquilho agarrado na traseira de um caminhão–baú. Na maioria das vezes os motoristas não conseguem ver pelo retrovisor o tamanho da encrenca que carregam nas traseiras destes veículos pesados.

No caso deste flagrante, o menino, que parece ignorar o perigo, até acena para as pessoas que estão dentro das lojas ou passando pelo meio da rua. E o que mais chamou a atenção é que, durante toda a viagem, não apareceu nenhuma viatura policial para avisar o motorista sobre a indesejada carona.

Outro caso de desrespeito
Mas o descaso com as leis de trânsito parece ser ainda mais descarado no caso de uma camionete, que passa em frente ao Quartel do 2º Batalhão de Polícia Militar, na Avenida Filadélfia, carregando adolescentes na carroceria. Tudo indica que o motorista passou despercebido pelos policiais que faziam a guarda na porta do quartel. Caso contrário, teria ocorrido omissão por parte das autoridades. De novo citando a lei, que diz que só é permitido conduzir passageiro em carroceria, por exemplo, com autorização, e “quando não houver linha regular de ônibus”.
 


Nos dois casos, tanto o Departamento Municipal de Trânsito quanto a Polícia deveria agir para impedir que flagrantes como estes não aconteçam à luz do dia e nem à noite, principalmente nas ruas e avenidas da cidade. Ou será que fatos como estes já seriam tão comuns que não estariam mais nem chamando a atenção das autoridades?
 

AO VIVO