Menu
Busca sexta, 21 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
30ºmax
22ºmin
ABANDONO

Moradores do Residencial Camargo reclamam do descaso com a infraestrutura

07 novembro 2011 - 08h38

Dágila Sabóia
Da Redação

 

A novela dos loteamentos continua e nesta segunda, 07, o Portal O Norte traz a denúncia dos moradores do Residencial Camargo que indignados apontam várias dificuldades encontradas pela comunidade no setor.

De acordo com informações dos próprios moradores, as vendas do loteamento foram inauguradas há cerca de quatro anos, portanto, antes da explosão de vendas e aberturas dos mais recentes loteamentos. Quem investiu na compra de um lote no lugar agiu acreditando ser um local promissor. Porém, com o decorrer do tempo, tiveram suas expectativas frustradas já que o residencial tem apresentado uma gama de deficiências em sua infraestrutura.

Iluminação pública
Entre os vários problemas apontados pela comunidade está a preocupação com a falta de segurança no local, os moradores reclamam que no loteamento foram implantados postes da rede de energia, mas as lâmpadas dos mesmos não foram instaladas. Para não ficarem no escuro, moradores tiraram do próprio bolso, dinheiro para a instalação da iluminação pública.

O descaso com a iluminação é lamentado pelo farmacêutico, Odvaldo Barbosa, 45 anos, casado e pai de três filhos que afirma ter adquirido seu lote no ano de 2008, construiu sua casa no local, mudou-se em março deste ano e já teve sua residência invadida por bandidos, duas vezes.

Coleta de lixo
Nossa reportagem conversou também com o gerente comercial, Lucimar Bonifácio Carneiro de 52 anos, que mora com sua esposa desde o mês de março de 2010 no setor e destaca que após o anúncio de vários loteamentos na cidade, o residencial Camargo parece ter ficado no esquecimento. Para isso, Bonifácio dá como exemplo a falta da coleta de lixo no residencial: “Como se não bastasse a coleta de lixo que não existe, pessoas vem de outros setores e despejam lixo aqui. Isso é inaceitável e o poder público não toma nenhuma providência”, diz o gerente comercial que acrescenta: “Nós ficamos aqui na expectativa de até quando todos esses problemas serão resolvidos, aqui no mínimo já era pra ter sido implantado iluminação pública e asfalto”, observa.


Prazos legais
De acordo com a legislação vigente no município, os donos de loteamentos têm o prazo legal de 02 (dois) anos, para atender as exigências, tais como: água, energia elétrica e pavimentação asfáltica e 04 (quatro) anos para a rede de esgoto. Mas o fato é que o Residencial Camargo que tem cerca de quatro anos não realizou praticamente nada em termos de infraestrutura no local.

Contrato obscuro
O senhor Odvaldo Barbosa declara que no contrato assinado com a Imobiliária Nacional, responsável pela comercialização dos lotes, a responsabilidade da infraestrutura do Residencial Camargo não estava documentadamente definido. “Assinamos um contrato obscuro com a imobiliária, nele não indica de quem é a responsabilidade da infraestrutura se é da prefeitura ou do dono do loteamento”, diz.

Arrependimento
Andando pelo setor é possível observar em várias quadras, a presença de placas de vendas, que refletem o arrependimento de proprietários que compraram seu bem imóvel acreditando num investimento promissor. “Conheço várias pessoas que não querem nem arriscar em construir aqui e estão vendendo seus lotes para comprar em outros lugares. Mas como investir num lugar desses sem infraestrutura nenhuma? É totalmente compreensível”, diz Lucimar Bonifácio.

O fato reflete a descrença dos investidores que preferem comprar lotes em outras localidades a investir num local fadado ao esquecimento de seus empreendedores e também do poder público.

 








 

AO VIVO