Menu
Busca quarta, 19 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
29ºmax
24ºmin
OPINIÃO

“Projeto do Centro Administrativo não é um pedido idiota”

07 novembro 2011 - 16h48

Dágila Sabóia
Da Redação


Um requerimento apresentado pelo vereador Gerônimo Cardoso (PSDB), ressuscitou a polêmica sobre a construção da nova sede da Câmara Municipal de Araguaína recentemente discutida na Casa de Leis.

Cardoso solicitou ao prefeito municipal, Félix Valuar Barros (DEM), constar no Orçamento de 2012 recursos para planejamento e construção do Centro Administrativo de Araguaína com as sedes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Contrariedade
Pedindo o aparte na discussão, o vereador e presidente da Casa, Elenil da Penha (PMDB) foi taxativo em afirmar que a solicitação de Geronimo não terá efeito nenhum. “Esse requerimento não passa de um sonho, conversei com o prefeito Valuar Barros e ele me afirmou que não tem condições de executar tão cedo tal projeto, argumentando que o recurso que conseguir será destinado para a pavimentação asfáltica no município”.

O posicionamento de Elenil foi imediatamente questionado pelo vereador Jorge Frederico (PSD) que no uso da palavra discordou do presidente da Casa afirmando que “com vontade política o projeto pode sim ser feito. Se não usarmos nossas armas para planejar Araguaína, estaremos deixando nossa responsabilidade de lado porque se não pensarmos em um planejamento para os próximos 50 anos, o que estamos fazendo nesta Casa?”, disse o vereador lembrando que apesar de acreditar ser o Pedro Borges um excelente lugar para instalar a Câmara Municipal, argumenta que é preciso planejar e defende a construção do Centro Administrativo.

Bate boca
Estranhando o posicionamento de Jorge Frederico, quanto ao Pedro Borges, Elenil da Penha ironizou e rebateu a opinião de Jorge lembrando que no dia em que foram todos os parlamentares conhecer o espaço físico disponibilizado no loteamento para a construção da nova sede, nenhum vereador se posicionou contrário à instalação da Câmara no local, mas no dia em que o projeto foi apresentado em sessão na Câmara surgiram os questionamentos quanto à decisão inclusive a do próprio Jorge. “Então agora você acha que o lugar é excelente? Mudou de opinião vereador?”, interrogou Elenil.

Após a alfinetada de Elenil, Jorge Frederico explicou que nunca havia dito que o local antes definido, não seria excelente: “O que estou falando é que nós precisamos planejar” reafirma Frederico.

Decepcionado
Encerrado o aparte de Frederico, Gerônimo manifestou-se declarando estar decepcionado com a atitude do presidente da Casa. Defendendo seu ponto de vista relacionado à definição do Centro Administrativo, Geronimo apontou ainda a escolha do Residencial Pedro Borges, apresentada pelo presidente da Casa, afirmando que Elenil havia se esquecido de detalhes importantes neste trâmite: “Analisando algumas ações do senhor neste processo, presidente Elenil, esperava um trato diferente de sua parte. Dizer que um pedido dessa relevância é um requerimento idiota? Acredito que o senhor não está olhando Araguaína como ela merece ser olhada. Talvez esteja vendo nossa cidade como Aragominas Pé-do-Morro (Cidade onde Elenil viveu sua infância e boa parte da adolescência)”, disse Geronimo.

O recém chegado tucano continuou atacando Elenil e disse achar estranho o fato de o presidente apresentar um projeto praticamente pronto sem ter discutido antes com os demais parlamentares. “Chegou mostrou o loteamento e disse inclusive que o dono já estava dando o projeto que já está sendo feito por Natã Fontes. Isso é no mínimo estranho e pra quê tanta pressa?”, questionou Geronimo acrescentando que “O requerimento é sonho, mas quem disse que não pode ser realidade uma praça com os Três Poderes juntos?”, o vereador ainda aproveitou a oportunidade para declarar que em momento algum disse que concordava com a instalação da Câmara no Pedro Borges: “Pelo contrário, eu disse que precisávamos estudar outras áreas e até onde eu sei o acordo era esse!”.

A favor de Elenil
No aparte concedido a Bethânia, o vereador saiu em defesa do colega Elenil: “O caráter de vossa excelência foi colocado em dúvida e eu me solidarizo ao seu posicionamento porque não acredito que o senhor tenha terceiras intenções relacionadas à construção da nova sede no Pedro Borges”.

Opinião
Encerrando o debate, Geronimo observou que “não se deve tomar decisões precipitadas” e completou dizendo: “Meu mandato e só ate 31 de dezembro de 2012, nem sei se vou ser eleito ano que vem, estou questionando isso pensando no futuro de Araguaína. Nós passaremos, mas o prédio vai ficar. O meu requerimento segue e eu reafirmo o meu posicionamento”.

Apesar de toda a discussão em torno do assunto, o requerimento foi aprovado por unanimidade.

AO VIVO