Menu
Busca quarta, 15 de julho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
18ºmin
OS TRÊS PODERES

“Criar um Centro Administrativo não passa de uma intenção”

07 novembro 2011 - 18h59

Dágila Sabóia
Da Redação

 

Após as explanações do vereador Gerônimo Cardoso (PSDB) relacionada ao posicionamento do presidente da Casa, Elenil da Penha (PMDB) em não acreditar que o Centro Administrativo seja uma realidade, Elenil no uso da palavra apresentou seu argumento e contra-atacou as investidas do vereador tucano.

 



Mudança e planos
Inicialmente, Elenil adiantou que a nova sede não será mais no Pedro Borges e que a Câmara Municipal deverá continuar no mesmo lugar e será ampliada para atender à demanda em conseqüência do aumento de vagas na Câmara Municipal já para o próximo pleito. “Vamos fazer uma adaptação e estou afirmando que vai ser aqui do lado. Vamos tentar colocar o Administrativo para a Casa do Artesão, conversando com Valuar, naturalmente”, disse Elenil que em tom irônico acrescentou “Vamos deixar que ano que vem tenhamos o Judiciário, o Executivo e o Legislativo juntos num só lugar e de repente a toque de caixa faremos rapidamente os Três Poderes”.

Sem interesse pessoal
Ainda sobre a então escolha do Residencial Pedro Borges para a instalação da nova sede do Legislativo, Elenil destacou que nunca teve nenhum interesse pessoal na opção do local. Convicto de sua decisão, o presidente da Câmara afirmou: “Eu estou aqui pelo quarto mandato e nunca precisei ser garoto propaganda” e acrescentou “Aliás, eu não tenho nem televisão, nem mecanismos pra atacar companheiros. A minha missa é de corpo presente...minha conversa é franca seja com companheiros, adversários políticos ou sociedade”, disse Elenil, direcionando as palavras possivelmente ao vereador Geronimo Cardoso que também é apresentador de um programa de TV local.

Ainda em seu pronunciamento, o presidente destacou que apesar de ter pensado em adquirir um lote no Residencial Pedro Borges, desistiu justamente para que comentários maldosos não levassem as pessoas a imaginarem que ele havia ganho o mesmo em troca de conseguir instalar a Câmara no loteamento e também encorajou os que duvidam de sua conduta, a vasculhar suas contas até mesmo pessoais: “Qualquer dúvida, coloco à disposição minhas contas bancárias, porque eu tenho como mostrar o que eu ganho, pra onde vai o meu dinheiro. Eu sei!

Unanimidade
Entre outras palavras, Elenil reiterou que sua única chateação foi pelo fato de no momento em que aos vereadores foi apresentada a área, nenhum parlamentar se manifestou contrário à decisão, portanto ele garantiu ao dono do empreendimento que a Câmara seria construída lá: “É porque eu tenho uma coisa chamada palavra, que eu preso... dei minha palavra, mas eu sei que a coisa pública nem sempre vai pela minha vontade”, disse Elenil argumentando que não teria intenção de concluir um projeto dessa natureza se houvesse um voto contrário: “Não quero ganhar esmagando... sempre procurei sobretudo trabalhar com a vontade da maioria ou melhor da unanimidade neste caso”.

Posicionamento
Pontuando suas palavras, Elenil esclarece que em momento algum afirmou que o requerimento de Geronimo seria idiota, como ele havia interpretado e observa que a intenção de fazer o Centro Administrativo não passa disso, e exemplificou: “Nós temos a intenção de ter um Anel Viário aqui há quantos anos? Quantos votos de intenção que foram feitos? É intenção! Agora na prática, tem que ser uma ação”.
 

Assista ao vídeo que mostra um trecho da resposta de Elenil da Penha a Geronimo Cardoso:

AO VIVO