Menu
Busca quarta, 11 de dezembro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
32ºmax
22ºmin

Projeto Caminhar - HDO completa 2 meses com mais de 200 atendimentos

25 dezembro 2010 - 17h21

O Projeto Caminhar: UM DOM do Hospital Dom Orione (HDO), o maior Hospital filantrópico do Tocantins, chega ao período natalino com mais de 200 pessoas assistidas pelo programa de exercícios e de saúde oferecido gratuitamente todas as quartas-feiras, das 18 às 20 horas, na marginal Neblina, em Araguaína (TO).

O projeto, iniciado em 27 de outubro deste ano, contabiliza dois meses, oito encontros e 207 pessoas cadastradas, que receberam nos dias do projeto acompanhamento da Pressão Arterial (PA). Desse total de pessoas cadastradas, 103 são homens e 104 mulheres. Dos participantes atendidos na tenda de profissionais disponibilizados pelo Hospital e que fizeram o acompanhamento da PA, chegou-se a conclusão, na observação dos dados de acompanhamento, que dos 103 homens atendidos, 34% deles praticavam o exercício no grupo de risco, com a pressão acima de 14 por 9. Do total de 104 mulheres, apenas 12% delas estavam com a com a pressão alta. Conforme mostra a figura abaixo.

PROFISSIONAIS

Os colaboradores também vestiram a camiseta do projeto. Somente no Hospital Dom Orione, mais da metade dos colaboradores, cerca de 420, adquiriram a camiseta do Projeto. Mais de 20 colaboradores da Escola Paroquial Sagrado Coração de Jesus e dez da Creche Mãe de Deus, ambas de Araguaína (TO), também levaram a marca de Dom Orione no peito.

Entre os serviços oferecidos durante a caminhada, na tenda do Hospital Dom Orione, estão a aferição da PA, alongamento a cada 15 minutos e orientações de profissionais de saúde do HDO, como o Médico Cardiologista, Dr. Sandro Sacre. Além disso, o programa conta com o auxílio de um profissional de Educação Física da Academia Atlas, parceria do projeto, e um momento espiritual com Irmão João Matheus Clemente. O trabalho é desenvolvido com o apoio de cinco Enfermeiras ‘trainees’.

28 colaboradores foram essenciais para o bom desenvolvimento do Projeto Caminhar, além do apoio e incentivo despendidos pelos Diretores e Gerentes, que contribuíram para que muitos colaboradores fossem envolvidos no projeto. “Acredito que os objetivos deste projeto foram alcançados além das nossas expectativas, pois além dos objetivos esperados como a integração, prevenção, amizade, melhora do condicionamento físico dos nossos colaboradores, integração com outras casas orionitas e a evangelização, a comunidade araguainense usufruiu dos serviços oferecidos pelo HDO, além de que das 207 pessoas atendidas no projeto, 49 delas descobriram que estavam com a pressão alta e com a ajuda de nossos profissionais puderam ser alertadas dos riscos e orientadas para buscar acompanhamento médico” disse a educadora de Ginástica Laboral, Aline Melazo.

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Como pode ser observar na tabulação dos dados, os números confirmam o que já foi relatado pelo Ministério da Saúde (MS) e reafirmado nos consultórios médicos pelos profissionais da saúde. Ou seja, os homens ainda representam o grupo de maior risco para a saúde.

Segundo os dados do MS, a cada três mortes de pessoas adultas, duas são de homens. Ainda de acordo com o MS, eles vivem, em média, sete anos menos do que as mulheres e têm mais doenças do coração, câncer, diabetes, colesterol e pressão arterial mais elevadas. Agora o Ministério quer que os homens percam a cultura do medo de freqüentar os consultórios médicos e realizem mais exercícios físicos.

DEPOIMENTOS SOBRE O PROJETO CAMINHAR

O melhor remédio para a pressão é a caminhada. Já é a 4ª vez que eu ‘meço’ aqui. O projeto é bom demais e muito louvável. Eu sou um dos que estou incentivando o pessoal a vir ‘medir’ a pressão todas as quartas-feiras”, Fernando Brito, 30 anos, Mecânico.

O projeto está muito bom e que o Hospital Dom Orione continue sempre assim. Já é a quarta vez que venho aqui na tenda e foi aqui que descobri que estou com a pressão alta”. Edilberto, 53 anos, Comerciante.

Estou achando ótimo o projeto. Já é a terceira vez que eu venho e estava sentindo muita dor na coluna e nas pernas, que já não estou sentindo mais. A caminhada já está fazendo a diferença na minha vida”. Marilda, 49 anos, Professora da Creche Mãe de Deus.

A caminhada pra mim representa uma nova vida. Sou merendeira numa escola orionita e no nosso trabalho manipulo alimentos quentes e frios, e isso estava me deixando com os dedos todos dormentes. Então fui ao Hospital Dom Orione no dia 23 de fevereiro, me consultei com o Dr. César Delgado, que disse que eu precisaria mudar os meus hábitos de vida. Uma colega do trabalho, a Tereza, foi que me deu forças e me incentivou a realizar a caminhada. Começamos a caminhar de segunda a sexta e desde lá já perdi 10 Kg e meio”. Maria Ieda, 59 anos, Professora da Escola Paroquial Sagrado Coração de Jesus.

O projeto é muito interessante. Eu vou caminhar! Essa iniciativa incentiva outras pessoas a fazerem caminhada e distribuir saúde para todo mundo! Nada melhor que uma boa caminhada com muita orientação”, Alexandre Alves, 25 anos, Jornalista e Repórter da TV Anhanguera.

 

AO VIVO