Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
33ºmax
21ºmin
ARAGUAÍNA

Com produção a todo vapor, famílias começam a receber máscaras de proteção

15 abril 2020 - 09h25

Desde a última segunda-feira, 13, está sendo realizada a entrega das 20 mil máscaras produzidas pela Prefeitura de Araguaína, junto às cestas básicas doadas pelo Município às famílias em vulnerabilidade social. A confecção é feita por 20 costureiras selecionadas pela Secretaria da Assistência Social, que disponibilizou todo material e compra cada máscara com corte, costura e acabamento por R$ 1. A ação faz parte do conjunto de medidas para diminuir a velocidade de contágio do coronavírus (covid-19).
 
Além melhorar a prevenção contra a doença, a ação está gerando renda para as costureiras selecionadas. Com a oportunidade, Aline Xavier, 34 anos, diz que terá o único rendimento da família neste período. “Há dois anos eu trabalho com concerto de peças de roupa, mas na última semana não tive um pedido, e meu marido é vendedor e está parado também. A gente tem uma reserva, mas não dá para saber o dia de amanhã”.
 
Para Lucilia Costa, 28 anos, a oportunidade está sendo usada também para aprendizado. “Eu me formei no final do ano passado em corte e costura, e até agora não tinha tido oportunidade de colocar em pratica o que aprendi”, afirmou. Assim como Aline, Lucilia também falou que terá o único rendimento da família. “Meu marido é pintor e, se antes não tinha serviço sempre, agora está mais difícil conseguir”.
 
As duas esperam produzir 100 máscaras por dia, no Instituto Humanitário Anita Luiza, que fica no Setor Maracanã. A entidade é parceira da Prefeitura de Araguaína, oferecendo o local para cursos gratuitos à comunidade que são ministrados por técnicos disponibilizados pelo Município. Também conta com apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que oferece os equipamentos.
 
Prevenir sempre
A diarista Carla Salazar, 34 anos, foi uma das beneficiadas com as máscaras entregues e conta que serão usadas com prioridade. “A minha filha Tauane, que tem dois anos, tem problemas respiratórios e tenho muito medo do coronavírus. Meu companheiro é o único que continua trabalhando, como servente. Hoje, ele pegou um serviço e levou a máscara que a gente comprou para se prevenir”, afirmou.

A diarista Carla Salazar, 34 anos, foi uma das beneficiadas com as máscaras entregues e conta que serão usadas com prioridade (Foto: Marcos Sandes)

Cada família cadastrada para receber a cestas também receberá a partir de três unidades. O cadastro para pedir o auxílio pode ser feito no site http://araguaina.to.gov.br/.
 
Uso obrigatório
Araguaína é a primeira cidade brasileira a obrigar moradores a usarem máscaras respiratórias em locais públicos. A regra começa a valer a partir desta sexta-feira, 17, e foi regulamentada pelo Decreto Municipal nº 217/20, que está publicado no Diário Oficial do dia 6. Somente não são considerados ambientes públicos ou de livre acesso as residências e locais públicos e privados onde somente uma pessoa utilize ou trabalhe.
 
Consciência de todos
A máscara pode caseira, ser feita de qualquer material, como retalhos de tecido. A Prefeitura espera a conscientização dos araguainenses no combate à covid-19. Caso descumpra, a multa para quem for flagrado sem o item é de R$ 50, sendo R$ 100 por reincidência e no terceiro flagrante a pessoa responderá por crime contra ordem e saúde pública. A receita oriunda de eventuais multas será destinada à aquisição de equipamentos e insumos para o combate à pandemia.
 
A fiscalização será feita conjuntamente pela Vigilância Epidemiológica, Fiscalização Ambiental, Fiscalização de Posturas, Fiscalização Sanitária, Fiscalização Fazendária e Agência de Segurança, Transporte e Trânsito, com apoio das Polícias Militar, Civil e Ambiental e Corpo de Bombeiros. As denúncias devem ser feitas peles telefones 190; 9.9949-5394; 3411-5640 e 3411-5639 em horário comercial; por mensagem via Whatsapp 9.9972-6133; ou e-mail [email protected]

AO VIVO