Menu
Busca sexta, 23 de julho de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
19ºmin
SEGUNDO ESTUDO

Comer peixes gordurosos pode reduzir crises de enxaqueca

03 julho 2021 - 11h18Por Meio Norte

Pesquisadores descobriram que uma dieta rica em ômega-3 - que pode ser encontrada em suplementos e peixes gordurosos - pode reduzir as dores de cabeça persistentes.

De acordo com a  pesquisa, publicada no British Medical Journal, uma alimentação saudável e balanceada deve incluir pelo menos duas porções de peixe por semana, incluindo uma de peixes gordurosos/oleosos, como salmão e a sardinha. Esses alimentos são particularmente ricos em ácidos graxos ômega-3 de cadeia longa e ainda apresentam um efeito benéfico no coração.

O estudo envolveu 182 pessoas (88 por cento das quais eram mulheres, com uma idade típica de 38 anos), que sofriam de enxaqueca de 5 a 20 dias por mês.

As mulheres foram divididas em três grupos, com a quantidade de ácidos graxos ômega-3 (ácido eicosapentaenóico - EPA, e ácido docosahexaenóico - DHA) variando de acordo com a dieta, enquanto o ácido linoléico ômega-6 também foi monitorado.

Uma dieta aumentou a quantidade de EPA e DHA para 1,5 g por dia e manteve o ácido linoléico em cerca de 7 por cento da ingestão de energia. Uma segunda dieta aumentou EPA e DHA para 1,5 g por dia e diminuiu o ácido linoléico para menos de 1,8 por cento da energia, enquanto a outra dieta de controle manteve EPA e DHA em menos de 150 mg por dia e ácido linoléico em cerca de 7 por cento da energia .

As dietas foram escolhidas porque pesquisas anteriores sugeriram que os ácidos graxos ômega-3 estão associados a efeitos de redução da dor, enquanto os ácidos graxos ômega-6 podem piorar a dor e provocar enxaqueca.

Durante o ensaio, os participantes receberam formulações de óleo e manteiga e alimentos protéicos, incluindo peixes, necessários para atingir as metas de ácidos graxos. Eles também completaram um teste de impacto da dor de cabeça em relação à sua qualidade de vida. A frequência das dores de cabeça foi avaliada diariamente por meio de um diário eletrônico.

Os resultados mostraram que a frequência das dores de cabeça diminuiu estatisticamente de forma significativa em ambos os grupos com dieta rica em ômega-3.

A dieta rica em ômega-3 foi associada a uma redução de 1,3 horas de dor de cabeça por dia e dois dias de dor de cabeça por mês. Enquanto isso, o grupo de dieta com alto ômega-3 e baixo ômega-6 viu uma redução de 1,7 horas de dor de cabeça por dia e quatro dias de dor de cabeça por mês. As mulheres nos grupos com alto ômega-3 também relataram dores de cabeça mais curtas e menos intensas em comparação com as do grupo de controle.

Os especialistas, inclusive da Universidade da Carolina do Norte, disseram que há limitações para o estudo, incluindo o fato de ser restrito a mulheres relativamente jovens.

Mas eles acrescentaram: "Embora as dietas não tenham melhorado significativamente a qualidade de vida, elas produziram reduções grandes e robustas na frequência e severidade das dores de cabeça em relação à dieta de controle. Este estudo fornece uma demonstração biologicamente plausível de que a dor pode ser tratada por meio de alterações dietéticas direcionadas em humanos."

“Resultados coletivos sugerem mecanismos causais que ligam os ácidos graxos (ômega-3) e (ômega-6) à [regulação da dor] e abrem a porta para novas abordagens para o controle da dor crônica em humanos”. Em um editorial vinculado, Rebecca Burch, do Brigham and Women's Hospital, nos Estados Unidos, disse que os resultados apoiam a recomendação de uma dieta rica em ômega-3 para pacientes na prática clínica.

Ela disse que as descobertas "nos levam um passo mais perto de um objetivo há muito buscado por pacientes com dor de cabeça e por aqueles que cuidam deles: uma dieta para enxaqueca apoiada por resultados de ensaios clínicos robustos".

AO VIVO