Menu
Busca sexta, 23 de julho de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
19ºmin
MÃO NA MASSA

Detentos trabalham na fabricação de calçamento de unidade penal

21 junho 2021 - 16h56

Produção de blocos de concreto, feitos por custodiados da Unidade Penal de Dianópolis, além de ser utilizada em obras no município, também está sendo utilizada no calçamento da Unidade Penal. A produção é fruto das ações do programa Novo Tempo implementado em diversas unidades penais do Tocantins pela Superintendência de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional, possibilitando profissionalização e remição da pena aos custodiados assistidos pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju).

O superintendente dos Sistemas Penitenciário e Prisional do Tocantins, Orleanes Alves, afirma que o “programa Novo Tempo no âmbito do Sistema Penal tocantinense veio para estabelecer um novo marco no trabalho e renda da pessoa em privação de liberdade como uma determinação do governador Mauro Carlesse ao secretário Heber Fidelis. Toda a produção ainda contribui para reformar e reorganizar as unidades penais, possibilitando uma execução penal cada vez adequada para os dias atuais, além de atender o Sistema de Justiça e a toda política de execução penal”, destacou o gestor.

A Produção

As peças são produzidas na fábrica montada no espaço multiuso e são feitas por 14 internos formados no curso de artefatos de concreto em agosto de 2020 pelo Programa de Capacitação e Implementação de Oficinas Permanentes (Procap). Atualmente, a capacidade de produção da fábrica da Unidade Penal de Dianópolis é de mil peças de artefatos de concreto por dia e toda a produção é destinada às obras de melhorias e de calçamento do município, além de atender as necessidades da Unidade Penal.

"Uma das propostas do projeto da fábrica de artefatos de concreto na Unidade Penal é proporcionar a necessária humanização do cumprimento da pena, em especial quanto à oportunidade de trabalho para o interno, requalificando-o com mão de obra apta a retornar à sociedade e a concorrer a uma vaga no mercado de trabalho", frisou o chefe da Unidade Penal de Dianópolis, Mikael Nascimento Gonçalves.

Um dos custodiados que trabalha na produção dos blocos, C.A.F., fala agradecido pela oportunidade. "Fico muito contente com a oportunidade de aprender uma nova profissão e somar para a melhoria da Unidade Penal. Tenho certeza de que essa é a porta para mudança na minha vida. Vou procurar aproveitar e retornar à sociedade de cabeça erguida", falou.

AO VIVO