Menu
Busca terça, 20 de abril de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
28ºmax
21ºmin
"EM CHOQUE!"

Em ambulância, médico tira foto de bar lotado e imagem repercute nas redes sociais

27 fevereiro 2021 - 11h41Por Redação

"Estou simplesmente em choque! Onde vamos parar???", esse foi o trecho da legenda de uma imagem postada por um médico nas redes sociais, mostrando um bar lotado em plena pandemia na noite dessa sexta-feira (26), em Araguaína, no Norte do Estado. 

A imagem repercutiu nas redes sociais nesta manhã de sábado (27). Nela é possível ver que o profissional que atua na linha de frente contra a pandemia, registrou o momento de dentro de uma ambulância que passava em frente ao local. Na legenda ele descreve: "Após andar 400 km para levar paciente para uma das poucas UTIs Covid disponíveis no Estado, me deparo com essa situação em Araguaína. Estou simplesmente em choque! Onde vamos parar???", questionou. 

Outras imagens do mesmo estabelecimento que fica na Marginal Neblina, foram registradas e publicadas nas redes sociais por pessoas revoltadas com a cena. O local estava lotado, e é possível observar que as pessoas presentes não utilizavam máscaras e tão poco respeitavam o limite de distanciamento recomendado pelo poder público. 

Interdições

O estabelecimento mostrado nas imagens, foi um dos 7 interditados esta semana por equipes do Demupe (Departamento Municipal de Posturas e Edificações) e Vigilância Sanitária, com o apoio da Polícia Militar, durante uma operação de fiscalização a bares e restaurantes da cidade para garantir o cumprimento das medidas contra o avanço da Covid-19. 

Vale lembrar que de acordo com o decreto municipal  nº 005/21, o funcionamento desses estabelecimentos é limitado até a meia noite nas sextas e sábados, mas mesmo com a medida em vigor a fiscalização identificou dois locais descumprindo as regras.

“O descumprimento do decreto gera justamente esta penalidade que é a interdição do estabelecimento. Após assinar um termo de ajuste de conduta e o cumprimento das regras, o dono do estabelecimento poderá voltar a funcionar, mas é importante frisar que este esforço da fiscalização tem o objetivo de garantir a segurança da população com relação à contaminação da covid-19. Não podemos relaxar quanto à medidas restritivas até que toda a população esteja imunizada com a vacina”, explicou a fiscal de postura do Município, Isabela Rodrigues.

Durante a semana outros cinco estabelecimentos de Araguaína também tiveram que ser interditados pela fiscalização do Município devido ao descumprimento do decreto. Entre os problemas identificados estão o não uso de máscaras pelos funcionários, falta de distanciamento entre clientes e avanço do horário permitido ara funcionamento. Parte deles já havia sido denunciados pelo Ministério Público Estadual (MP/TO)

Perturbação do sossego

Nos dois bares interditados ontem a fiscalização também identificou o descumprimento das regras de perturbação do sossego. Um dos locais já havia sido denunciado pelo Ministério Público Estadual que acionou o Demupe de Araguaína.

De acordo com a  Lei Complementar nº 071/19, o limite máximo de volume de som deverá ser de até 75 decibéis. Para averiguar a regularidade do volume, os fiscais do Demupe fazem a medição a uma distância de 10 metros das laterais frontais da edificação com um decibelímetro. A multa para caso seja constatado o excesso é de R$ 1.100.

Decreto Municipal

O Decreto Municipal nº 005/21, publicado no Diário Oficial do dia 21 de janeiro, estabelece que ficam suspensos por tempo indeterminado, tanto em áreas públicas quanto privadas, todos e quaisquer eventos públicos e privados, tais como: shows, apresentações culturais, festas, confraternizações e correlatos. Bares e restaurantes podem funcionar das 7 às 23 horas dos domingos às quintas-feiras, e até a meia-noite das sextas-feiras e sábados ou feriados.
 
Também fica terminantemente proibido o consumo de bebida alcoólica em todo e qualquer local público no Município de Araguaína, medida que foi amplamente apoiada e que pode ser estendida para venda em bares e restaurantes em caso de agravamento.
 
Na celebração de missas, cultos e rituais, os templos religiosos manterão assentos individuais afastados um dos outros por, no mínimo, 1,5 metro, determinando-se assim a capacidade máxima de fiéis e fixando-a através de placas em todos os acessos.
 
Além do mesmo afastamento, os estabelecimentos bancários, comerciais e de serviços, bem como feiras, devem disponibilizar obrigatoriamente aos clientes e trabalhadores álcool 70 graus INPM, limitar entrada de 1 pessoa para cada cinco metros quadrados do estabelecimento e informar essa capacidade máxima em placa informativa, entre outras ações.
 
Continua proibida a entrada e a permanência de qualquer pessoa sem máscara de proteção respiratória em todos e quaisquer estabelecimentos comerciais, industriais, bancários, de serviços e órgãos públicos, sendo de responsabilidade destes o impedimento. Isso vale também para veículos de transporte como táxis, mototáxis, ônibus e outros de transporte coletivo.

AO VIVO