Menu
Busca quinta, 03 de dezembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
32ºmax
23ºmin
Pro: Di Engenho Novo

Sair do Armário

02 dezembro 2011 - 07h48

Um dia, Carlinhos que era tri-campeão pelo Flamengo júnior, lutava caratê e não parava quieto com uma namoradinha só, pára bem à frente da televisão na sala. Seu pai afundado no sofá, sua mãe, na cadeirinha, cutuca as unhas dos pés. “Pai, mãe eu acho que sou gay…”

Ataque de risos! O pai aumenta o volume da TV e a mãe pergunta se o moleque brincalhão não quer jantar. Preferiram não crer naquele momento solene e temidamente esperado em que o filho, o único filho, saísse do armário.

Agora se ouve os sons das rodas comentando e os silêncios de quando Carlinhos passa. “Escolheu ser frutinha!” comentam as vizinhas desoladas. O que quase ninguém percebe é que a única escolha que Carlinhos tinha realmente nas mãos era mofar no escuro ou deixar sua essência sair, do armário da alma.

Uma mulher que admita não querer casar e ter filhos, sim, saiu do armário das convenções sociais. E vai beijar muito, muitos, todas as bocas, ou uma só boca, sem cobranças. Vai dormir só em algumas noites e juntinho em tantas outras. No seu armário agora só cabem visitas deliciosas e sem culpa.

A santinha da turma bebeu vodka demais e deu uma de Britney na saída do bar. Mostrou que não era boa só em literatura ou sucesso nas provas de química e estrelou um dos vídeos mais acessados da internet. Essa não só saiu como subiu no armário e a-rra-zou!

O seu troco pode ser em balinha?” Se eu voltar com 80 balinhas você me dá 10 pães?” respondeu o velhinho, saindo do armário claustrofóbico da acomodação. E não parou mais: brigou com a empresa de telefonia, fez o fortão mal educado juntar o cocô do Pitbull, e rosnou para a mocinha de escova progressiva que jogou uma embalagem de picolé bem no meio da calçada. Um justiceiro! Esse nunca mais voltou pro armário.

Quando aqueles lindos olhos se distraíram, você foi lá e roubou um beijo. Arriscando tudo! Arriscando ser ridículo, ser rejeitado e ser correspondido. Saiu do seu armário de covardia e baixa auto-estima. Aqueles três segundos foram os mais sinceros de toda sua vida. Reuniu mais forças para se apresentar e achou lindo quando soube que aqueles olhos distraídos se chamavam “Carlinhos”. (Di Engenho Novo/Cantor, compositor e jornalista).



 

AO VIVO