Menu
Busca sábado, 14 de dezembro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
33ºmax
22ºmin
Por: Antônio Oliveira

Respeito às diferenças

06 janeiro 2011 - 10h46
Por: Antônio Oliveira


É uma mulher inteligente, discreta e é a mãe de meu filho de dois anos. Ela é a minha grande companheira". Esta declaração é do novo vice-presidente da República, Michel Temer, 70 anos, diante da reação dos jornalistas à beleza e juventude de sua esposa, Marcela Temer, 27 anos, com quem está casado há oito anos.

A elegância do casal e, mais precisamente, a beleza de Marcela movimentou dezenas de veículos de comunicação impressa, televisiva, falada, sites de notícias e relacionamentos nestes primeiros dias deste novo ano e coloca água abaixo, mais uma vez, um dos grandes preconceitos de pessoas atrasadas, principalmente em cidades do interior do Brasil: a união de casais com diferença de idade – mulher mais nova, homem mais velho; homem mais novo, mulher mais nova. Outro grande preconceito e falta de respeito é em relação ao homossexualismo. Este é outro assunto que já abordei em outro artigo.


O amor não tem idade, raça, cor, sexo, pátria, status social e econômico e, como nada neste mundo ocorre por acaso – a não ser que, por desequilíbrio, bom senso, responsabilidade e interesses escusos precipitamos as coisas –, a união de dois seres humanos, pelos laços do matrimônio, é uma determinação de Deus, no entendimento de católicos e evangélicos, e/ou de Deus e do casal, quando este está no plano Espiritual, para os espiritualistas.

Namoro e casamento entre dois seres com diferenças de idade é uma realidade desde o início da humanidade e cada vez mais, nestes tempos modernos fica mais comum. É verdade que nem sempre esta união se dá por amor. Há as conveniências e interesses outros – isto mais nos tempos dos nossos avós e bisavós, menos em nosso tempo.

No nosso caso não tem idade. É como se o Michel tivesse 30 anos. É engraçado falar, mas é verdade. Ele tem o passado dele, mas a nossa vida é normal como a de qualquer casal que se ama muito. E depois de quase sete anos casados, planejamos a vinda do Michelzinho, o que só nos uniu ainda mais”, disse Marcela à versão on line do jornal o Estado de São Paulo, num cala-boca aos ignorantes, atrasados e preconceituosos.


Marcela e Michel Temer, não sãos os únicos casais com diferença de idade na sociedade brasileira, sobretudo na política, no jornalismo, nas artes, no empresariado, etc. Abílio Diniz, um dos maiores empresários do Brasil, tem 73 anos e é casado com a economista Geyze Diniz, 34 anos, com quem tem duas filhas. Fausto Silva, o Faustão, tem 60 e sua mulher 30. Os dois têm dois filhos. Renato Aragão é casado com uma mulher que, 17 anos antes de se casar com ele, era uma menininha de seus dez anos, fã dele e de suas palhaçadas. Cid Moreira tem 82 anos e sua mulher, a também jornalista Fátima Sampaio, 46. Mesma realidade é a do casal Chico Anísio e sua esposa Malga de Paula. O ator José de Abreu também é casado com uma recém formada em psicologia, com “idade para ser sua filha”. Mas não é. É sua mulher. São incontáveis casos destes por este mundo afora e, sempre, o mais velho se constitui em verdadeiros companheiros, amigos e incentivadores da carreira acadêmica e profissional de suas jovens mulheres, como é o caso das esposas de Abílio Diniz, Marcela Temer, José de Abreu e tantos outros. O homem maduro é mais seguro e equilibrado, está mais para sua amada, para sua família que para as armadilhas do mundo. “A vida recomeça aos 50 anos”, costuma dizer Abílio Diniz.
 

AO VIVO