Menu
Busca sexta, 18 de outubro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
34ºmax
24ºmin

Bancos voltam a funcionar no Tocantins e Basa não adere ao acordo

14 outubro 2010 - 09h25

Bancários de quase todo o país decidiram na noite dessa quarta-feira, 13, acatar a proposta da Federação Brasileira de Bancos (Fenaban) e encerrar a greve, iniciada no último dia 29.


No Tocantins, os bancários se reuniram em assembléia, no final da tarde de ontem, 13 na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Estado do Tocantins (Sintec), em Palmas, para discutirem a aceitação ou não da nova proposta de reajuste salarial. De acordo com a assessoria de imprensa do Sintec, os bancários votaram a favor do acordo.

No Estado, apenas o Banco da Amazônia (BASA) rejeitou a proposta e em assembleia prevista para acontecer hoje,14, os bancários desta instituição financeira irão decidir se permanecem ou não paralisados.



A proposta oferecida

A proposta dos bancos inclui reajuste de 7,5% nos salários dos empregados que recebiam, em agosto de 2010, remuneração fixa mensal até R$ 5.250,00. Para os salários acima deste valor será dado um aumento de R$ 393,75. Os bancos darão ainda reajuste de 7,5% para todos os benefícios.

Para a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) haverá correção de todos os valores em 7,5%.
Os bancários pleiteavam aumento de 11%, elevação na Participação nos Lucros e Resultados (PLR), vale-refeição, vale-alimentação, auxílio-creche e pisos maiores, além de auxílio-educação.

O BB e a Caixa apresentaram proposta específica para os seus funcionários, que inclui outros benefícios, como aumento no piso salarial de 13% no BB, que chega agora a R$ 1.600, e de 12,7% na Caixa, que atinge R$ 1.637. A greve dos bancários durou 15 dias e paralisou mais de 8 mil agências em todo o país. (Com informações da Assessoria de comunicação do Sintec - To e da Agência Brasil)
 



AO VIVO