Menu
Busca quinta, 17 de outubro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
34ºmax
23ºmin

Cresce o número de soros positivos no Tocantins

30 novembro 2010 - 18h55

No último dia 24 de novembro, a Organização das nações Unidas (ONU) divulgou um relatório sobre a AIDS apontando a desaceleração do crescimento da epidemia.

Embora os números apresentados no relatório da ONU apresentem uma queda mundial relacionada ao aumento de número de casos de AIDS no mundo, no Brasil, em especial no estado do Tocantins a situação ainda é bastante preocupante.


No Tocantins

Mortes
De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde o número de mortes em 2010 decorrentes do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), aumentou em comparação ao mesmo período de 2009. Todas elas foram registradas no Hospital de Doenças Tropicais (HDT), único do Tocantins habilitado para tratamento de pacientes de AIDS e localizado na cidade de Araguaína.

De janeiro a setembro deste ano, foram registradas 20 mortes enquanto no ano passado o número foi bem menor, quando dez pacientes morreram. A faixa etária com maior número de óbitos por AIDS é de 30 a 39 anos. Das 20 mortes registradas este ano, 9 eram nessa faixa etária, contra 3 mortes em 2009.

Já na faixa etária de 20 a 29 anos houve um crescimento de 400% a mais que no ano passado, pois este ano 5 pessoas nessa faixa morreram enquanto no ano passado foi registrado apenas um óbito.

Internações
Também aumentou este ano, em 65%, o número de internações para tratamento de pacientes de AIDS no Tocantins. Nos nove primeiros meses de 2010, o Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS) registrou 150 internações decorrentes de doença pelo vírus HIV, contra 91 casos nos oito primeiros meses do ano passado.

Ranking
O Tocantins é o quarto colocado no ranking de internações e óbitos por AIDS na Região Norte. O Amazonas lidera em internações, com 732 casos em 2010, seguido do Pará (519) e Rondônia (154). Em relação a óbitos, o estado amazonense é ultrapassado pelo Pará, que encabeça a lista com 159 mortes. O Amazonas aparece com 148 óbitos e Rondônia, com 24.

 

HDT

Dados repassados pelo Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) do HDT, mostram que este ano 397 pacientes estão cadastrados no HDT que é referência no tratamento de doenças infecto-contagiosas como a AIDS.

Com relação à notificação de novos casos houve um decréscimo em relação aos anos anteriores: Este ano foram 50, em 2009, 74, e, em 2008, 65.

De acordo com a enfermeira responsável pelo Serviço de Assistência Especializada (SAE) e CTA do HDT, Zilene Silva explica que as pessoas procuram CTA para fazerem o diagnóstico da doença, porém algumas delas acabam não retornando para buscar o resultado. “As vezes por medo de o resultado ser positivo elas acabam não retornando ao hospital. As pessoas que chegam para serem tratadas aqui comparecem motivadas por doenças ”oportunistas” resultadas da baixa no sistema imunológico”, explica. A enfermeira ainda afirma que mulheres que fazem o Pré-Natal são as que mais buscam fazer o diagnóstico, por ser um exame necessário nesse período.

Tratamento
O HDT fornece tratamento inteiramente gratuito aos portadores de HIV, os medicamentos são fornecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), porém de acordo com a enfermeira Zilene Silva, uma das situações mais preocupantes que ocorre no HDT é que muitos pacientes abandonam o tratamento.

A farmacêutica do HDT, Angélica Alves Costa, informou que este ano 11 pacientes desistiram do tratamento e deixaram de pegar os remédios no local.

Angélica Costa completa “Há casos de pessoas que após o resultado dar positivo, dão início ao tratamento, mas acabam o abandonando. Elas porém, são orientadas desde o início sobre a importância da continuidade dele. O tratamentos da AIDS nos últimos anos evoluiu bastante, aumentando a expectativa de vida dos infectados, quanto mais cedo iniciar o tratamento, maiores são as chances de ter uma melhor e mais extensa qualidade de vida, mas a interrupção do mesmo praticamente zera essa possibilidade"  afirma Angélica.


Mobilização em Araguaína

Hoje, 1º de dezembro, é o dia mundial de combate à AIDS e em Araguaína a Prefeitura Municipal realiza uma mobilização de conscientização à população através da entrega de panfletos no setor Central. A blitz educativa acontecerá nos períodos da manhã – das 7h30 às 9h e à tarde das 16h30 às 18h30 nos principais semáforos do centro da cidade.

Fonte: Secretaria Estadual de Saúde, Hospital de Doenças Tropicais, Prefeitura de Araguaína e Brasil Online.
 

Ao Vivo