Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
32ºmax
23ºmin
BICO DO PAPAGAIO

Estado inicia processo para implantação do curso de Medicina na Unitins

25 junho 2020 - 09h17

A região do Bico do Papagaio, extremo norte do Tocantins, em breve deve contar com o curso de Medicina totalmente gratuito. O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, determinou ao reitor da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), professor Augusto Rezende, a realização de estudos e processos necessários para a implantação do curso de Medicina no Câmpus de Augustinópolis. A intenção do governador é que as adequações necessárias e os procedimentos legais sejam realizados com celeridade para que os cursos sejam uma realidade na instituição o mais breve possível.

Em atendimento à determinação, o reitor apresentou um estudo preliminar ao Conselho Universitário (Consuni), instância máxima, colegiada e deliberativa da Unitins, que autorizou o andamento do processo e já instituiu a equipe responsável pelo trabalho de estudo, análise e manifestação final para que o curso já tenha vagas ofertadas no próximo vestibular, com as aulas iniciando em fevereiro de 2021. A Portaria que institui o Grupo de Trabalho será publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, 24. Também está instituída a equipe responsável pela implantação do curso de Pedagogia no Câmpus da Unitins em Palmas, atendendo à previsão de expansão da Universidade no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).

“A Universidade Estadual do Tocantins tem uma função muito importante na formação da nossa população. O nosso estado precisa formar profissionais para atuarem aqui, na prestação de serviço e no atendimento ao nosso povo. O curso de Medicina é uma necessidade que a rede pública de saúde tem e é preciso que façamos esse trabalho, de dar oportunidade aos nossos estudantes com o objetivo de, num futuro próximo, eles trabalharem aqui atendendo a nossa população”, ressalta o governador Mauro Carlesse.

O Chefe do Poder Executivo completa que o planejamento visa que o recurso investido na implantação dos dois cursos e na formação desses profissionais, médicos e pedagogos, tenha retorno com a prestação de serviço à população tocantinense nas áreas de saúde e educação. O governador Mauro Carlesse destaca também o desenvolvimento econômico e social que o curso de Medicina proporcionará para a região do Bico do Papagaio, com reflexo direto na saúde pública e na vida das pessoas.

A Unitins já atua na área da saúde com o curso de graduação em Enfermagem ofertado no Câmpus Augustinópolis, de modo que a implantação do curso de Medicina trata-se de uma ampliação dessa atuação na área. O projeto prevê o compartilhamento e a ampliação da estrutura laboratorial e de parte do corpo docente entre o curso de Enfermagem e Medicina, considerando que são áreas afins, como estratégia de melhor aproveitamento dos recursos que serão empregados.

De acordo com o reitor Augusto Rezende, o pré-projeto de implantação do curso de Medicina considera as políticas públicas de saúde do Governo Federal, do Governo Estadual e de municípios, de modo que esses entes sejam parceiros na formação acadêmica e profissional dos futuros médicos, abrindo campo de estágio, internato e residência médica.

“O Governador pontuou a preocupação de que essa mão de obra a ser formada pela Universidade Estadual seja retida no Tocantins, principalmente dos médicos. Para isso, precisamos criar possibilidades desses alunos e futuros profissionais criarem raízes na rede de saúde daqui, principalmente na rede pública, estabelecerem vínculos e relações profissionais no Estado, para que depois de formados tenham plenas condições de continuar atuando no Tocantins, com boa remuneração e condições de trabalho. Assim, eles terão interesse em permanecer aqui e teremos atendimento da mão de obra formada por nós”, destaca o reitor.

Para a implantação do curso de Medicina no Câmpus de Augustinópolis, a Unitins já dispõe de R$ 2,5 milhões via emendas parlamentares destinadas pelos deputados estaduais: Eduardo Siqueira Campos, Fabion Gomes, Amélio Cayres, Jair Farias e Ricardo Ayres, sendo que cada um empenhou R$ 500 mil para viabilizar a estruturação do curso e do câmpus.

O reitor Augusto Rezende acrescenta que a Universidade Estadual do Tocantins tem plenas condições de ofertar os cursos de Medicina e Pedagogia. “São 30 anos de história e experiência na formação superior. Estamos no mesmo patamar que outras universidades no Tocantins [conforme o MEC pela nota no Índice Geral de Cursos] e trabalhamos para atender a determinação do Governador. A implantação dos dois cursos é uma meta institucional, será uma conquista imensurável para a universidade”, destaca.

A Unitins possui, hoje, 67% de professores mestres e doutores. Com a realização do processo seletivo simplificado para contratação de docentes no início de 2019, a Universidade Estadual registrou redução de 23% no número de contratados. “Além da economicidade, conseguimos um ganho qualitativo para a Unitins”, conclui o reitor, enfatizando a capacidade administrativa da instituição de alcançar resultados de excelência com otimização de recursos.

“Cabe ressaltar que o decreto presidencial que proíbe a criação de novos cursos de Medicina e ampliação de vagas nos cursos já existentes restringe-se às instituições de ensino federais ou privadas. A Unitins é vinculada ao sistema estadual de ensino e, por isso, não tem nenhum impedimento legal para a criação dos cursos”, enfatiza o reitor Augusto Rezende.

Medicina nas universidades estaduais

Segundo dados levantados pela Unitins considerando o Censo 2018, ao todo são 33 cursos de Medicina ofertados no país por universidades estaduais. Na região Norte do país, de acordo com o portal Escolas Médicas do Brasil, apenas três estados contam com o curso nas instituições públicas estaduais: Amazonas, Roraima e Pará.

AO VIVO