segunda, 04 de julho de 2022
(63) 99958-5851
Araguaína
33ºmax
19ºmin
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Estado participa de audiência sobre plano estratégico da retirada da vacinação antiaftosa

23 junho 2022 - 16h01

O Governo do Tocantins, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), participou de uma audiência pública na Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira, 23, para apresentar o Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (Pnefa), que trata da retirada da vacinação contra a enfermidade. O objetivo é mobilizar todos os atores envolvidos para garantia dos avanços contínuos e da manutenção da certificação livre da doença sem vacinação.

O presidente da Assembleia Legislativa, Antonio Andrade, avaliou o trabalho da Adapec desempenhado no Estado. “Se chegamos onde estamos, é graças ao trabalho desenvolvido pela Agência e quem ganha é o pecuarista. A instituição elevou a condição da erradicação contra febre aftosa e tem feito relevantes serviços  que resultam em melhorias para a agropecuária produzir mais".

O auditor fiscal da Superintendência Federal da Agricultura (SFA/TO), Welciton Assunção, ressaltou que a evolução do Tocantins no cronograma de execução de ações proposta pelo Ministério da Agricultura foi notória. “Na auditoria que realizamos em 2021, a média que a Agência alcançou não era suficiente para transição, mas este ano revolucionaram e deram um grande passo nunca antes visto e o resultado propiciou o avanço para suspensão da vacinação", explicou.

O vice-presidente da Adapec, Lenito Abreu, lembrou que há 25 anos o Tocantins está livre da doença com vacinação e que são 1,3 mil servidores lutando para que o Estado alcance a certificação na Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), com o apoio do Governo do Tocantins. "O reconhecimento abrirá o comércio e agregará mais valor aos nossos produtos, que inclui ainda a área vegetal. Esta conquista passa também pelos mais de 55 mil produtores rurais e todos os envolvidos no agronegócio tocantinense", afirmou.

O Tocantins faz parte do bloco IV com mais 10 Unidades da Federação (UFs), porém apenas sete foram autorizadas a suspender a vacinação, e o Estado é uma delas, como explica o diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Animal da Adapec, Márcio Rezende. “Foi um trabalho árduo que envolveu todo o processo, onde algumas vezes temos que tomar medidas duras, mas que são essenciais para defendermos a certificação. Nossa missão era acompanhar o Bloco IV e nós conseguimos, agora temos que avançar ainda mais em vigilância", assegurou.

O palestrante e responsável pelo Programa Estadual de Vigilância para febre aftosa da Adapec, João Eduardo Pires, apresentou indicadores de avaliação, as metas exigidas, entre outros. "A suspensão da vacinação é um selo de qualidade de todo setor agropecuário, o produtor tem entendido que trabalhamos em prol da defesa agropecuária, que é sinônimo de proteção”, explicou, acrescentando que após a segunda etapa da campanha de novembro, os esforços devem ser ainda maiores, pois ocorrerá em dois anos o monitoramento para comprovação da ausência viral. Após comprovada, a Agência informará ao Ministério da Agricultura e Pecuária que pleiteia na OIE a certificação internacional de livre da febre aftosa sem vacinação.

Participantes

O evento, que partiu de um requerimento do Presidente da Assembleia, coordenada pelo deputado estadual Cleiton Cardoso, contou com representantes das instituições que compõem o Grupo Gestor ligado ao tema: Érica Jardim, da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro); Gilson Cabral, do Sindicato das Indústrias de Carnes e Derivados do Estado do Tocantins (Sindicarnes); Gilberto de Paula, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins); Saddin Bucar, do Fundo Privado de Defesa Agropecuária (Fundeagro), além de Luciano Gondim, da Associação dos Inspetores de Defesa Agropecuária (Assindefesa) e servidores da Adapec.