Menu
Busca domingo, 15 de setembro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
37ºmax
23ºmin
REVIRAVOLTA

Suspeito de matar vendedora é solto após provar que estava em outra cidade no dia do crime

11 setembro 2019 - 12h59

O homem apontado pela Polícia Civil como suspeito da morte da Jaqueline Rodrigues (19 anos), apresentou provas de que estava em outra cidade quando a vendedora foi morta e teve sua prisão revogada.

Ele conseguiu comprovar que estava em Gurupi, a 70 quilômetros de Peixe, onde o crime aconteceu. O homem estava detido desde a última sexta-feira (8), e foi solto na manhã desta quarta-feira (11).

O suspeito tinha sido preso em Gurupi, também na região sul. Ele foi reconhecido por testemunhas depois que a polícia teve acesso a um vídeo que mostra um homem fugindo do local de crime em uma moto.. 

O que também chamou atenção foi que o homem teria sido identificado após os policiais perceberem que ele é manco de uma das pernas, característica também do homem que aparece nas imagens.

O principal suspeito conseguiu  comprovar que não estava na cidade de Peixe no momento do crime. Foram apresentadas imagens de câmeras, declaração de comerciantes e até comprovante de pagamento com cartão, confirmando que estava em Gurupi.

Para a juíza Ana Paula Araújo Aires Toríbio, da 1ª Escrivania Criminal de Peixe, as provas comprovam que o suspeito não estava na cidade de Peixe no dia e horário do crime.

A juíza ainda afirma no texto que poderia ter alteração nas datas e horários, porém a própria polícia confirmou as informações de que o Ministério Público entrou em contato telefônico com a autoridade policial responsável pelas investigações e recebeu a informação de que algumas das imagens mencionadas no pedido foram verificadas pela Polícia Civil que confirmou que não há alteração de data ou horário.

Entenda

Uma jovem de 19 anos foi encontrada morta dentro do banheiro da loja de roupas onde trabalhava. O caso aconteceu na manhã desta quinta-feira (5), no município de Peixe, região sul do Estado.

De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima foi degolada e estava com as mãos amarradas e uma fita isolante na boca. 

Testemunhas relataram à PM que viram um homem sair correndo da loja e fugir em uma motocicleta vermelha. 

A Polícia Civil iniciou a investigação buscando imagens do circuito de segurança de outras lojas próximas ao local do crime. Imagens confirmam o que testemunhas disseram: um motociclista aparece rondando a loja horas antes do assassinado. 

A polícia acredita que este homem que estava trajando camisa de mangas longas e luvas brancas é o principal suspeito, pois foi visto novamente saindo às pressas de frente da loja na mesma hora em que aconteceu o crime que chocou a cidade. 

Ao Vivo