Menu
Busca sexta, 10 de julho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
19ºmin
PRODUTOR RURAL

Agricultores apostam na produção orgânica

31 março 2011 - 19h59

Olericultura: para a maioria das pessoas uma palavra com significado desconhecido, mas extremamente familiar para quem trabalha com a terra, pois é o nome dado ao plantio de verduras, atividade quase obrigatória a todos os agricultores, principalmente, os familiares.

Pensando no abastecimento interno, os pequenos agricultores recebem incentivos do Governo estadual para que possam investir no plantio das hortaliças como beterraba, cenoura, jiló, tomate, alface, pepino, cebola, entre outros. Isso porque, 80% do que é consumido no Estado vem de fora principalmente, de Goiás.

A intenção é que os hortifrutigranjeiros sejam garantidos pelos produtores rurais do Tocantins, barateando os preços e criando alternativas de cultivo para os agricultores.

Em parceria com a Embrapa; e os Ministérios de Agricultura e do Desenvolvimento Agrário, o governo do Estado, por meio do Ruraltins desenvolve projetos de olericultura voltados para as pequenas comunidades rurais, grande parte em assentamentos. O PAS – Produção Agroecológica Sustentável – definido como ecologicamente correto, pois utiliza-se basicamente de defensivo e insumos agrícolas naturais, excluindo o uso de agrotóxicos, tem sido a aposta neste setor.

O assentamento ”Socivendo”, localizado no município de Nova Rosalândia, na região central do Estado, é uma das comunidades beneficiadas pelo projeto. O assentamento existe há seis anos, lá vivem 30 famílias, 13 delas acreditaram na ideia e trabalham em conjunto para a manutenção de uma horta circular de 2.500 m², que integra o cultivo de verduras e criação de animais como aves e peixes. Implantada há pouco mais de cinco meses a horta vem dando bons resultados. A produção abastece tanto as famílias envolvidas quanto a população urbana. Os produtos são vendidos, principalmente nas feiras livres das cidades mais próximas ao assentamento, como Pugmil e Nova Rosalândia.

A expectativa do presidente da Associação do Assentamento “Socivendo”, Erivandro Ribeiro Magalhães, é que quando a horta estiver em plena produção, a comercialização chegue a R$ 7 mil mensais. “Nós á estamos colhendo, mas ainda temos a opção do tanque de peixe e da criação de galinhas, que estarão prontos para serem vendidos nos próximos meses”, disse otimista Erivandro. De acordo com o Diretor Técnico do Ruraltins, Valdivino Fraga, o projeto também foi desenvolvido em outras três comunidades dos municípios de Jaú, Arraias e Augustinópolis: "Para este ano, estão previstas a implantação de 23 unidades do projeto PAS, beneficiando em torno de 640 famílias, garantindo assim a segurança alimentar e nutricional de muitas pessoas”, explicou Valdivino.

PAS
O projeto PAS (Produção Agroecológica Sustentável) é um sistema de consórcio na produção rural, implantado para a agricultura familiar, que tem por objetivo diversificar as atividades agrícolas de pequeno produtor rural. O Sistema já é empregado em alguns Estados do Brasil, a exemplo da Bahia, de onde o modelo foi trazido pelo Ruraltins. No PAS, o produtor planta em forma de círculo, apropriando-se de elementos da natureza, como sol, a água e a terra, transformando e aproveitando tudo.

Assistência do Ruraltins
Além das duas visitas mensais ao projeto, o Ruraltins vai intensificar a capacitação dos produtores por meio de um curso de Olericultura para os agricultores das comunidades. Entre os dias 11 e 14 de abril, os profissionais repassarão técnicas que vão desde o preparo da terra a comercialização.

AO VIVO