Menu
Busca terça, 18 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
29ºmax
23ºmin
FIM DA MANIFESTAÇÃO

DNIT sela acordo e BR 153 é desbloqueada pelo povo

06 abril 2011 - 21h43

Desde a noite dessa terça-feira, 5, os manifestantes se posicionaram na BR 153 na Altura de Luzinópolis bloqueando o tráfico em protesto pela morte do adolescente Antônio Marcos, 14 anos, que sofreu um acidente por volta das 17h30 da tarde e morreu no local, o motorista do veículo que atropelou o garoto, um modelo Siena segundo testemunhas, fugiu sem prestar socorro à vítima.

Os manifestantes diziam que só sairiam do local e desbloqueariam a pista mediante a presença de um dos representantes do DNIT que se responsabilizasse pela construção de quebra molas no local, e que as obras começassem imediatamente.

Confusão
Os ânimos já estavam bastante exaltados com bastantes discussões entre alguns próprios manifestantes, que a essa altura já se encontravam muitos caídos e outros visivelmente embriagados, quando ao meio dia chegou o engenheiro representando o DNIT, Dr. Rômulo do Carmo Ferreira Neto, que ao chegar na cidade seguiu direto para a residência da Prefeita Carla Cristina da Silva (PSDB) que sempre é representada por seu esposo e secretário de administração Luzmar Tomás Franco.

O Major João Márcio, que intermediou as negociações para o fim do impasse pediu para que formassem uma comissão a fim de se encontrarem com o engenheiro Dr. Rômulo, porém, os vereadores que estavam presentes, que são praticamente quase todos de oposição a atual administração não concordaram em fazer tal reunião na residência da prefeita, e impuseram que só iriam a tal encontro caso a mesma acontecesse no plenário da Câmara para que qualquer pessoa pudesse assistir.

Resolvido o problema, reuniram-se então os vereadores Dedim, Professor Paulo, Marcondes, Altino Ribeiro, Pimenta, e o presidente da Câmara Antonio Novato, juntamente com os engenheiros Dr. Rômulo representando o DNIT, Dr. Hermes Shimitz representando a empresa Goiás que ficaria responsável pela obra de confecção dos redutores de velocidade. Também estavam presentes o secretário de administração Luzmar Franco como sempre representando sua esposa e o Major João Márcio.


Solução paliativa
Logo de início o engenheiro Dr. Rômulo explicou que: "existe uma lei que diz que não se pode mais construir quebra molas nas rodovias, mas, por outro lado, esta mesma lei diz que nos locais necessários tem que ser implantado lombadas eletrônicas, e na minha visão é que se não pode fazer quebra molas, tem que colocar lombadas eletrônicas, se não tem lombadas eletrônicas para colocar no local, vamos por quebra molas". O engenheiro explicou ainda que antes de se deslocar para Luzinópolis, conversou antes com seus superiores e disse "olha, eu só vou lá se for pra levar uma solução, se não for não adianta, e eles me autorizaram a fazer imediatamente estes quebra molas".

Na reunião ficou acertado que a prefeitura entraria com as placas de sinalização para então começarem as obras. Feito o acordo os presentes assinaram um termo de compromisso onde o engenheiro Dr. Rômulo se comprometeu de mandar construir alguns quebra molas devidamente sinalizados na rodovia BR-230 próximo ao trevo, local aonde freqüentemente vem ocorrendo os acidentes fatais. No termo constava ainda que a recuperação do trecho danificado pelos manifestantes deveria ser feito imediatamente, com prazo de conclusão para no máximo 23 dias. Este termo assinado por todos foi idéia do vereador Professor Paulo, que citou: "mesmo com essa reunião aqui se nós chegarmos lá somente falando que os quebra molas serão feitos o povo lá não vai sair, temos que levar alguma coisa para dar uma confiança a eles".

Compromisso
Feito o documento de compromisso, os reunidos se dirigiram até o local da manifestação onde o engenheiro do DNIT explicou que realmente iriam começar a construção dos quebra molas do local, mas, precisaria liberar a pista para isso. Alguns manifestantes que estavam bêbados ainda relutavam em não sair do local, mas, o vereador Dedim, discursou para os presentes, mostrou e distribuiu cópias do termo de compromisso, e somente assim os manifestantes acabaram com o bloqueio da estrada, que foi rapidamente desobstruída pela empresa Goiás que presta serviços ao DNIT.

O Velório
Estivemos na residência da mãe de Antonio Marcos, onde encontramos ela, juntamente com alguns familiares e amigos mais próximos todos totalmente desolados. A mãe do garoto estava inconsolada com o acontecido, e não conseguia nem falar direito. (Com informações do Tocnotícias)

 

AO VIVO