Menu
Busca terça, 18 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
29ºmax
23ºmin
PALMAS

Professor faz greve de fome e declara sofrer perseguição

21 junho 2011 - 18h10

Em greve de fome ha quatro dias, o servidor municipal Professor de nível fundamental Márcio Alves Costa, se diz vítima de perseguição por parte da administração pública municipal de Palmas. O professor relatou ao SISEMP que fez diversas denúncias de irregularidades encontradas na Escola de Tempo Integral Santa Barbara, onde era funcionário.

Dentre as irregularidades o professor destacou casos de abuso de autoridade por parte da direção da escola como gritos com os funcionários, gritos com os alunos, banheiros sujos e em condições precárias de uso, falta de material pedagógico, e casos de corrupção como o desvio de verbas públicas que seriam usadas para a compra de livros didáticos para a biblioteca da escola.

De acordo com Márcio as denúncias foram feitas por ele ao diretor da Escola, Adriano de Moraes, logo após as denúncias foram feitas na Secretaria Municipal de Educação, para o Prefeito Raul Filho e ao Ministério Público Estadual.

Segundo o professor, em janeiro deste ano a Secretaria de Educação o colocou a disposição e após 28 dias de tentativas de negociações sem sucesso ele se viu obrigado a pedir licença por interesse particular com medo de ser exonerado por justa causa.

Márcio declarou que o diretor da Escola tem formação na área de esportes, não em pedagogia, e que está no cargo por uma indicação política.

O pior do diretor Adriano não é o fato de não ser formado na área de pedagogia, e sim o fato de não conter em sua essência valores éticos, morais, democráticos e humanitários”, afirmou o professor.

Márcio afirmou ainda que existem diversas outras irregularidades na gestão da escola como computadores novos doados a escola no final do ano passado e que já se encontram danificados, e que no lanche escolar é servido apenas bolachas, farofa de ovo e muitas vezes “ossadinha” no almoço das crianças.

Nota
Sobre a greve do servidor Márcio Alves Costa, a Secretaria Municipal de Educação esclarece, em nota que respeita a manifestação do referido e que sempre esteve aberta ao diálogo. No entanto, até o momento nem a Secretaria e nem o gabinete do prefeito receberam por parte do servidor, solicitação de reunião.


Nota de Esclarecimento
Sobre a greve do servidor Márcio Alves Costa, a Secretaria Municipal de Educação esclarece que respeita a manifestação do referido e que sempre esteve aberta ao diálogo. No entanto, até o momento nem a Secretaria e nem o gabinete do prefeito receberam por parte do servidor, solicitação de reunião.

A Secretaria pontua ainda que não há perseguição por parte da Administração Pública de Palmas ao servidor Márcio e nem a qualquer outro servidor que tenha participado da greve no final do ano passado.

O servidor em questão e outros quatro professores foram devolvidos à Secretaria pela Escola de Tempo Integral Santa Bárbara com fins de serem lotados em outras unidades de Ensino em decorrência da redução de turmas ocorrido na Unidade no início do ano. (De O Girassol)


AO VIVO