Menu
Busca sexta, 27 de novembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
31ºmax
21ºmin
BICO DO PAPAGAIO

Sete prefeitos processados pelo MPE

18 julho 2011 - 11h07

A pouco menos de um ano da data em que serão definidas as candidaturas para as eleições que vão escolher os novos administradores dos 139 municípios do Tocantins, um em cada quatro dos atuais gestores municipais (25%) enfrenta denúncias ajuizadas na Justiça Estadual (primeira e segunda instâncias) pelo Ministério Público Estadual (MPE) nos últimos três anos. Há casos em que os gestores respondem na área cível e criminal.

Os dados fazem parte de um levantamento do MPE sobre as ações de promotores e procuradores contra os administradores, de 2008 até agora. Só nos últimos dois anos o MPE conseguiu que a Justiça afastasse do cargo um terço dos prefeitos e nos sete primeiros meses deste ano já foram cinco os que perderam a chefia do Executivo, acusados de algum tipo de corrupção.

No Bico do Papagaio 07 prefeitos foram denunciados pelos mais diversos tipos de fraude: empréstimo irregular, despesas sem justificativa, irregularidades nas prestações de contas, falsificação de balancetes ou falsificação de documentos. Entre os que chegaram a ser afastados alguns retornaram ao cargo, como o prefeito de Riachinho, Lipe. Outros continuam afastados como o de Sítio Novo, Antônio Araújo e o de Maurilândia Gilderlan Ribeiro.

Veja lista dos prefeito do Bico enfrentando processos do MPE

Ananás – Raimunda Rosa (DEM) / Ação Civil: Não combateu calazar.

Angico - Deusdete Borges (PP) / Ação Criminal: Empréstimo irregular (Bando Rural).

Araguatins – Rocha Mirada (PMDB) / Civil e Criminal: Despesas sem justificativas

Luzinópolis - Carla Cristina (PSDB) / Ação Civil: Irregularidades na prestação de contas.

Maurilândia – Gilderlan Ribeiro (PMDB) / Ação Civil: Falsificação de balancetes.

Riachinho – Lipe (PR) / Ação Criminal: Falsificação de documentos.

Sítio Novo – Antônio Araújo / Ação Criminal: Empréstimo Irregular.

(Com informações do Jornal do Tocantins)

AO VIVO