Menu
Busca sexta, 28 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
31ºmax
22ºmin
TAQUARALTO

Avô acusado de violar criança de 4 anos aguarda em liberdade julgamento

19 setembro 2011 - 09h20

O caso de uma criança de 4 anos, cujo laudo do IML comprovou violência sexual sofrida possivelmente por ato do avô de criação, de 63 anos, está provocando a indignação na região Sul de Palmas.A menor está sob os cuidados de Joseneide de Oliveira e protesta contra o fato de que o acusado tenha sido liberado sob pagamento de fiança. De acordo com a delegada, Edisonina Alves, o inquérito do caso foi concluído e encaminhado ao judiciário.

A menor A.V. S., de 4 anos, sofria violência sexual desde que tinha pouco mais de dois anos de idade. A informação, que foi confirmada por laudo do Instituto Médico Legal – IML, foi passada por Joseneide de Oliveira que cuida da menina desde que ela tinha quatro meses de idade.

De acordo com Joseneide, a violência contra a criança era praticada pelo avô de criação, S.R .S, de 63 anos, que teria sido preso e liberado após pagamento de fiança. Conforme laudo de IML, a menor sofreu abuso sexual durante um ano e seis meses.

“Nós cuidamos dela desde bebê e desconfiávamos de algo errado porque ela tinha o comportamento diferente do das outras crianças. Por isso levamos ela no IML para fazer exames e ficou comprovado que ela era violentada há um ano e seis meses e era pelo avô de criação com quem ela morava”, contou Joseneide, que agora está com a guarda da criança.

Segundo a babá, como consta no laudo do IML a menor já estava com quatro centímetros de profundidade e dois de abertura em decorrência da violência. “Depois disso, nós denunciamos a justiça, registramos Boletim de Ocorrência e por isso ganhamos a guarda, já que a mãe dela mora em São Paulo e nunca quis saber da criança, assim como a avó que também nunca quis saber e o pai biológico, que ninguém sabe quem é. Por isso ela morava com o avô de criação”, informou a babá.

Indignação com liberdade do acusado
De acordo com as informações, Joseneide não sabe se o avô da menor foi realmente preso. “A gente não sabe. O que um vizinho disse é que ele foi detido, pagou fiança de R$ 5 mil e depois foi liberado. Soubemos que ele apenas prestou esclarecimentos e que está aí como se nada tivesse acontecido”, contou.

Ainda conforme as informações de Joseneire, a mãe da criança tem distúrbios mentai. “A coisa é tão absurda que a própria criança, em um vídeo que ficou com a perícia por alguns meses, conta o que o avô fazia com ela”, disse Joseneide.

Inquérito concluído
O Site Roberta Tum tentou buscar informações sobre o inquérito que envolve a violência contra a menor, mas até o fechamento da matéria o que se soube por meio da delegada de proteção a criança e ao adolescente, Edisonina Alves da Silva, é que o inquérito foi concluído e encaminhado para o judiciário.

Procurado para dar maiores informações sobre o caso, o Juizado da Infância e da Juventude informou que não pode dar detalhes porque o processo corre em segredo de justiça e envolve uma menor.(Do Site RT)

AO VIVO