Menu
Busca quinta, 02 de julho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
35ºmax
20ºmin
CARMOLÂNDIA

Anúncio de possível afastamento do prefeito gera protesto

09 novembro 2011 - 11h17

Dágila Sabóia
Da Redação

 

Após a notícia divulgada ontem, 08, no blog do jornalista Lailton Costa de que o prefeito de Carmolândia, João Holanda Leite, o Bogó (PR) que foi reintegrado recentemente ao cargo seria novamente afastado com base na decisão do juiz Zacarias Leonardo (que substitui o desembargador Luiz Gadotti, em férias), a redação do Portal O Norte teve a informação de que servidores públicos da cidade de Carmolândia realizaram uma mobilização para protestar contra a possível posse do vice-prefeito do município, Juveci Ribeiro Martins(PP). Após passeata pelas ruas da cidade na manhã desta quarta-feira, 9, os manifestantes tomaram a prefeitura e permanecem acampados no local.

De acordo com o blog, a decisão, que seria cumprida imediatamente, consta de um inquérito criminal instaurado a partir de denúncia do MPE (Ministério Público Estadual), o que incluía comunicação à presidência da Câmara de Vereadores para posse do vice-prefeito. Ainda segundo o blog, com a decisão, o prefeito deverá ficar fora do cargo até o término da instrução do inquérito.

Em entrevista ao Portal O Norte, o servidor público técnico em enfermagem, Divino Bezerra, um dos líderes do movimento, afirma que se for confirmado o afastamento do prefeito, a comunidade não aceitará que o vice reassuma.

Bezerra explica que durante os pouco mais de 70 dias em que Martins esteve no cargo, vários servidores foram perseguidos por ele, acrescentando ainda que muitos além de terem perdido gratificações, tiveram uma redução considerável em seus salários. “A comunidade não vai deixar o vice-prefeito tomar posse!”, garantiu Bezerra explicando que o presidente da Câmara Municipal, Alencar Batista (PMDB) tem autonomia para dar posse a Juveci Martins, porém, dos nove vereadores, oito defendiam a vontade dos servidores e comunidade.

Entenda o caso
Bogó foi denunciado criminalmente pelo MPE em setembro, depois de ter sido libertado da prisão de 35 dias, depois da operação policial que o prendeu e realizou busca e apreensões na cidade. A operação foi desencadeada em diligências de três ações civis por improbidade que o prefeito responde, acusado de desvios de recursos públicos que passam de R$ 1 milhão. (Com informações do Blog Lailton Costa)
 

AO VIVO