Menu
Busca quarta, 08 de abril de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
31ºmax
23ºmin
TOCANTINS

Nova unidade da Polícia Científica e IML serão instaladas em Colinas

16 setembro 2019 - 09h39

A cidade de Colinas do Tocantins, na região centro-norte do estado, contará com nova unidade da Polícia Científica e do Instituto Médico Legal (IML). A previsão é de que em 30 dias a comunidade já comece a receber atendimentos, conforme anunciou o secretário da Segurança Pública do Tocantins, Cristiano Sampaio, em solenidade realizada nessa  sexta-feira,13, em Colinas. 

A nova sede da Polícia Científica e do IML tornou-se possível graças a um acordo de cooperação técnica assinado na última quarta-feira, 11, entre a Secretaria da Segurança Pública (SSP) a Prefeitura Municipal de Colinas, que cedeu o prédio para instalação da unidade. De acordo com o prefeito Adriano Rabelo, a intenção é de doar o prédio e assim enviará um projeto para a Câmara Municipal e, segundo o representante da Casa, vereador Antônio Pedrosa, os parlamentares entendem a importância da proposta e deverão aprová-la.

O secretário Cristiano Sampaio agradeceu a parceria do município e ressaltou que na nova sede será possível ampliar a oferta de serviços à população local, como também de toda a região centro-norte. 

Para a delegada Olodes Maria Oliveira Freitas, da terceira regional de Colinas, a nova estrutura vai possibilitar uma resposta mais rápida para a sociedade, pois ela vai abarcar todo o trabalho da Polícia Científica e facilitará o trabalho do policial, inclusive a realização de laudos, atualmente feitos em Araguaína e em Palmas.

Vulnerabilidade

De acordo com a perita oficial Georgiana Ramos, diretora do IML/TO, o novo prédio viabilizará a melhoria na prestação de serviços à sociedade, em especial aos cidadãos em situação de vulnerabilidade, vítimas de violência e familiares de pessoas que foram a óbito e necessitam de identificação. Para a superintendente de Polícia Científica, Nelsiane Parente, a nova estrutura contará também com os serviços de necropsia em cadáveres recentes ou em avançado estado de decomposição. O objetivo, disse ela, é manter a regularidade dos serviços prestados e buscar resultados que, efetivamente, atendam às necessidades da população da região de forma rápida, evitando, assim, os transtornos dos deslocamentos para Palmas ou Araguaína.

Atualmente o estado conta com oito unidades do IML. Com a nova estrutura, municípios da região vão poder contar com os serviços de identificação cadavérica, desafogando os procedimentos que seriam realizados em Araguaína, no norte do estado e na Capital.

AO VIVO