Menu
Busca domingo, 26 de setembro de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
36ºmax
24ºmin
COMPORTAMENTO

Rendimento escolar: entenda a difícil relação do adolescente com o sono

19 agosto 2021 - 17h22Por Singular Comunicação

Vamos ser sinceros: nós mesmos, quando éramos mais jovens, também já trocamos o dia pela noite algumas vezes ou dormimos pouco, porque ficamos até tarde no vídeo game (não online, claro), no telefone, ICQ, MSN, Orkut….

O fato é que a Medicina evoluiu e hoje sabemos, com a aprovação da ciência, que dormir pouco durante a adolescência tem impacto direto no rendimento escolar.

Ainda mais depois das férias, quando a rotina foi toda bagunçada e, já na segunda-feira, é preciso acordar cedo, depois fazer a lição de casa, estudar para as provas, entre tantas outras responsabilidades escolares.

Quando o sono é ruim, as notas escolares também são

Daniel Nunes, otorrinolaringologista e médico do sono, explica que a quantidade insuficiente de sono é capaz de causar problemas, como o déficit de atenção, além de dificuldades na concentração e no aprendizado.

“Os efeitos mais comuns dessa privação do sono são a redução dos níveis de atenção e o aumento da sonolência”, destaca Daniel.

Quando o adolescente dorme bem antes das aulas, ele consegue aprender mais facilmente, mas só vai conseguir reter bem a informação se ele descansar depois do aprendizado, algo essencial para quem vai prestar o vestibular, por exemplo.

E tem mais um detalhe: adolescentes precisam de mais de mais de 8 horas de sono para poderem atender às necessidades do corpo, que está em fase de crescimento.

Cuidados para ter uma boa noite de sono

Criar uma rotina de sono não é difícil, mas requer dedicação. É necessário evitar, por pelo menos algumas horas antes de dormir, as telas de celulares, computadores e TVs. Em tempos de hiperconectividade, o desafio é grande, mas é preciso atenção.

“Tem uma explicação científica para isso: o comprimento de onda de luz azul emitida por essas telas aumenta os níveis de vigília e alerta do organismo, inibindo a produção da melatonina, o hormônio do sono”, explica Daniel.

É preciso criar um ambiente propício para a manutenção do sono, como um quarto escuro, porque a ausência da luz estimula a produção da melatonina.

A prática de exercícios físicos só é recomendada se acontecer duas a três horas antes de dormir. Se bater aquela fome, dê preferência para alimentos leves, como frutas, legumes, verduras ou massas com molhos leves. Evite tomar café, chocolates, energéticos, álcool e estimulantes antes de dormir.

AO VIVO