Menu
Busca sexta, 18 de outubro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
34ºmax
24ºmin
RETRATAÇÃO

Prefeito de Manaus volta atrás e pede desculpas ao povo do Pará

25 fevereiro 2011 - 19h22

O prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB), 71, pediu desculpas nesta sexta-feira, 25, ao povo do Pará por ter dito "tá explicado" com conotação de ofensa à origem paraense da moradora de área de risco para quem ele disse "Então morra".

O pedido de desculpas aos paraenses aconteceu durante coletiva à imprensa para o lançamento da campanha contra a dengue. "Olha, aproveitem bem e divulguem o que eu vou dizer, se porventura isso ["tá explicado"] resultou num entendimento negativo contra o Estado do Pará, eu peço desculpas. Porque não foi essa a intenção. Vocês, paraenses, são meus irmãos como são os amazonenses. Somos todos da Amazônia e não se pode discriminar, pelo espírito republicano, ninguém", afirmou.

O prefeito havia afirmado anteriormente que não pediria desculpas à desempregada Laudenice Paiva, 37 anos. Disse que fez as declarações em resposta à "loucura" e ao "comportamento desajustado" da mulher.

"Por que eu tenho que pedir desculpas à moradora se eu fui lá salvar a vida dela? Eu a salvei e tirei as famílias da área de risco", afirmou.

Entenda o caso
Na segunda-feira, 21, Amazonino visitava uma área de risco de desabamento na periferia de Manaus quando a Laudenice Paiva, 37, disse que não se mudaria de lá por falta de dinheiro.

"Minha filha, então morra, morra, morra!", respondeu o prefeito. Em seguida, ele indagou de onde a moradora era. Ela disse que era paraense. "Então 'tá' explicado", afirmou Amazonino. A discussão foi gravada em vídeo e publicada no YouTube.

Com o episódio, Amazonino foi alvo de nota de repúdio da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) do Pará, que pediu retratação. Ele ganhou o título de "persona non grata" da Câmara Municipal de Belém. A desempregada prometeu processá-lo.

Nesta sexta-feira, 25, o pedido de impeachment por ofensa à moradora começou a tramitar na Procuradoria da Câmara Municipal de Manaus. O autor do pedido, vereador Joaquim Lucena (PSB), disse que a votação deve acontecer na próxima terça-feira, 01 de março. (Fonte: folha.com)


AO VIVO