Menu
Busca quarta, 08 de abril de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
31ºmax
23ºmin
Prefeitura de Araguaína
COLUNA

Opinião Formada

RETORNO

Um mês após deixar direção da Ciretran, Gipão fala pela primeira vez sobre o caso

03 abril 2011 - 22h27

Tony Veras
Da Redação


Na última sexta-feira, 01, quando aconteceu em Araguaína o lançamento da obra de construção da ponte que liga o setor Nova Araguaína e setor Oeste, entre as autoridades que estiveram presentes na solenidade, estava o vereador, Aldair da Costa, o Gipão (PR).



Gipão enalteceu o trabalho do senador, João Ribeiro (PR), autor da emenda que trouxe o recurso da obra para Araguaína: “Na verdade o senador João Ribeiro é um bom companheiro e quero agradecê-lo não só por estar na condição de presidente do PR, mas também por ser um grande senador no Congresso Nacional, que tem trazido recursos para o nosso Estado, principalmente para nossa cidade. A exemplo disso, essa ponte do Nova Araguaína” e acrescenta “quero agradecer também ao meu partido a oportunidade de estar representando a sociedade de Araguaína através do PR”.

Em entrevista exclusiva concedida ao Portal O Norte, Gipão falou pela primeira vez sobre a sua saída da direção da Ciretran - Circunscrição Regional de Trânsito de Araguaína e sobre o seu retorno à Câmara de Vereadores da cidade que aconteceu nessa mesma sexta-feira.

Entenda o caso
Recentemente, Gipão pediu licenciamento de seu trabalho na Câmara, em seu lugar assumiu a primeira suplente de sua coligação, Lúcia da Farmácia. O vereador deixou a Câmara para dirigir o órgão Ciretran no último dia, 04, do mês de fevereiro. No entanto, pouco menos de um mês, especificamente no dia 01 de março, uma divulgação no Diário oficial do estado do Tocantins, informava o seu afastamento do cargo.

Após sua saída da chefia da Ciretran, apesar de ter sido procurado pela imprensa para falar sobre o assunto, Gipão preservou-se e preferiu não declarar nada. Porém nesta sexta, um mês após a divulgação pública de sua exoneração, em entrevista à nossa equipe de reportagem, ele explica a razão pela qual decidiu entregar a chefia do órgão.

Sobre a nomeação
Gipão começa esclarecendo que à convite do governador Siqueira Campos (PSDB), foi nomeado para ser responsável pelo Ciretran que segundo suas palavras é um cargo de grande responsabilidade tendo em vista a extrema importância do órgão que hoje conta com uma frota de aproximadamente 70 mil veículos registrados na cidade. Ele ressalta que apesar do pouco tempo que esteve à frente do cargo acredita ter contribuído no desenvolvimento efetivo dos trabalhos realizados.

Ainda sobre sua nomeação, Gipão declara que desde o início esteve à postos na condição de soldado da União do Tocantins (UT) e relembra da sua carreira política na coligação e respectivamente no PR desde a sua primeira eleição até os dias atuais: “Tenho a felicidade de fazer parte do PR desde 1999. Em 2000 fui pela primeira vez eleito, em 2004 fui reeleito também pela UT e em 2008 fui novamente reeleito na coligação”, diz.

Gipão destaca também o seu comprometimento com o atual governador Siqueira Campos: “As vezes que o governador Siqueira foi candidato, estive com ele em todas as campanhas eleitorais. Eu até gostaria de agradecer ao governador por ter me nomeado, com isso tive a oportunidade de conhecer melhor como funciona o DETRAN, um órgão que precisa ter o carinho especial do governo pra fazer com que as coisas aconteçam porque as pessoas dependem muito dele”.

A exoneração
Sobre a sua exoneração, Gipão explica que foi resultado de um consenso com sua equipe de trabalho entendendo que o lugar dele hoje seria na Câmara representando o povo: “Minha equipe, que são pessoas que sempre me acompanharam na minha carreira política, entendeu que seria melhor estar na Câmara representando o povo que me elegeu e eu estou retornando hoje com toda a minha força, com toda a minha vontade e responsabilidade para fazer o trabalho ao qual eu fui escolhido, o de representar os araguainenses”.

Questionado a respeito dos comentários nos bastidores políticos e até mesmo divulgados por alguns veículos da imprensa de que a sua saída teria se dado devido a uma indisposição do vereador com seu grupo político, Gipão nega as afirmações e defende-se dizendo que não houve desentendimento algum e reafirma que sua decisão de deixar o cargo foi um entedimento que partiu dele e de sua equipe da necessidade de estar na Câmara Municipal.

Posicionamento na Câmara
De volta à ativa na Câmara de vereadores, já nesta segunda-feira, 04, muitas polêmicas aguardam a discussão e posicionamento do vereador: como balancetes que ainda não foram colocados em votação pela Câmara, do ex-prefeito, Paulo Sidney Antunes (PPS), da ex-prefeita, Valderez Castelo Branco (PP) e também questões relacionadas ao trânsito e à administração do Município.

Falando a respeito dos balancetes, Gipão observa que as Comissões irão estudar e dar o seu parecer favorável ou contrário a eles e apresentá-lo aos parlamentares, no entanto, ele explica que como vereador analisará os casos dentro dos critérios do Regimento Interno da Câmara e da Lei Orgânica do Município e completa: “Não somos, obrigados a seguir o parecer das Comissões, nós também na condição de vereador vamos conferir folha por folha, vírgula por vírgula dos autos das prestações de contas dos prefeitos anteriores”.


 

AO VIVO