Menu
Busca sábado, 04 de julho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
19ºmin
COLUNA

Opinião Formada

por Opinião Formada
DECISÃO

Halum confirma saída do PPS e acerta os últimos ponteiros para ingressar no PSD

06 abril 2011 - 20h27

Dágila Sabóia
Da Redação


Na última sexta-feira, 01, quando esteve na cidade de Araguaína na solenidade de lançamento da obra da ponte que liga os setores Nova Araguaína e setor Oeste, o deputado federal, César Halum (PPS) em seu discurso falou pela primeira vez publicamente sobre o seu desejo de deixar seu partido e apoiar a base governista da presidente Dilma Rousseff (PT).

Em entrevista exclusiva ao Portal O Norte, Halum falou de sua insatisfação com as decisões de seu atual partido que faz parte da oposição governista, o qual vem votando contra as principais matérias do Governo: “Eu não gostaria de proceder assim. Já procurei a direção do partido e pedi que me liberassem do meu voto...”.

Questionado sobre a possibilidade de ir para o novo partido (PSD – Partido Social Democrático) que está sendo fundado pelo prefeito de São Paulo, o ex-democrata, Gilberto Cassab, César Halum afirmou que estava analisando a questão.

Finalizando a exclusiva, Halum afirma que independente de qualquer questão, a única coisa certa é que ele far parte da base aliada de Dilma. (Leia a matéria na íntegra).


Segurança jurídica garantida
Confirmando a possibilidade de mudança de partido a qual o deputado já havia dito em entrevista ao Portal O Norte, na manhã desta quarta-feira, 6, César Halum em conversa com o Portal CT, afirmou que deixará o partido PPS para se filiar ao PSD de Kassab. O deputado ressalta ainda que em reunião com o prefeito de São Paulo e fundador do partido, recebeu garantias de liberdade política para se aliar ao Governo Federal e segurança jurídica para permanecer no cargo.

Ainda nesta quarta-feira, 6, em Brasília o parlamentar acerta os ponteiros de como será sua ida para o PSD numa reunião com a senadora Kátia Abreu, que coordenará o partido no Estado.

Desentendimentos
Lembrando que César Halum esteve filiado no DEM, então partido da senadora Kátia Abreu, de onde saiu, alegando que o partido havia mudado de postura, pouco antes da eleição indireta que elegeu Carlos Gaguim (PMDB) como governador. O DEM foi para a oposição ao governo Carlos Gaguim, enquanto Halum permaneceu na base do governo. O DEM entrou com processo requerendo o mandato de Halum e dos deputados estaduais Agolin e Paulo Roberto, mas não conseguiu os mandatos dos parlamentares.

Quanto à sua relação com a senadora Kátia Abreu, Halum esclarece que os desentendimentos entre os dois foram políticos e não pessoais e destaca que a principal razão pela qual ingressará no PDS é pela possibilidade de compor a base do governo no Congresso: “Meu interesse maior é me aproximar do governo federal, porque vim para Brasília foi para levar obras para o Tocantins. Discurso eu já fazia na Assembleia”, afirmou.

Diálogo
Quanto ao governo de Siqueira Campos (PSDB), o deputado federal deixa bem claro na entrevista que não tem nenhuma dificuldade em conversar: “Sou a favor do diálogo e contra o monólogo”, finalizou Halum. (Com informações do Portal CT)





AO VIVO