Menu
Busca quinta, 22 de outubro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
36ºmax
23ºmin
CASO MILLENA MURALHA

Acusado de espancamento, pai de atleta nega violência e filha revela o que estaria por trás da agressão

15 junho 2020 - 07h53Por Redação

Depois de ser exposto em redes sociais pela filha, Millena Muralha, que o acusou de espancamento, Marcio Orione Alves Feitosa emitiu uma nota de esclarecimento através de sua assessoria jurídica, apresentando sua versão dos fatos. (No final da matéria você confere a nota na íntegra). 

Na nota, o pai da carateca negou as afirmações apresentadas pela filha em vídeo que repercutiu nas redes sociais e garantiu que "...em momento algum pactua e concorda com qualquer tipo de violência seja doméstica, familiar, de gênero, ou outro tipo de ato violento".

Sobre a acusação de espancamento, Feitosa nega e se justifica dizendo que apenas se defendeu dentro da própria casa, das agressões iniciadas por sua filha e que tudo teria iniciado "...por conflito de opiniões causadas pelo dessabor do ressentimento, evoluindo para uma discussão acalorada...".

Feitosa relata ainda que a justiça teria indeferido o pedido feito por Millena Muralha de Medida Protetiva e acrescenta que o fato comprova "...que o infeliz caso, não passou de um desentendimento, causado por mágoas, potencializados pelo uso de álcool" e destaca que o denunciado "..é pessoa íntegra, pai de família, com bons antecedentes, costumes e que ainda não responde ou respondeu a outro processo criminal transitado em julgado" 

O pai da carateca disse também que até o momento não foi intimado ou notificado de forma legal quanto ao fato, mas permanece à disposição da justiça para prestar "todos e quaisquer esclarecimentos".

O homem encerrou a nota afirmando que todas as medidas administrativas e judiciais, inclusive criminais, estão sendo tomadas sobre o assunto. Ele se reafirma inocente das acusações e sem citar nomes afirma que a exposição dada pela filha à sua pessoa reflete mágoa, ressentimento e inveja consequentes de uma alienação parental. 

Entenda O caso

A atleta tocantinense de 21 anos desapareceu de casa na madrugada da última quinta-feira (11) e amigos e familiares iniciaram uma campanha nas redes sociais pedindo ajuda para descobrir seu paradeiro. Ela foi encontrada na noite do mesmo dia pela mãe, por volta das 21 horas em um hospital particular da capital.

Antes dela ser localizada, a mãe Flávia Rodrigues, já afirmava que o desaparecimento estava relacionado a um desentendimento que a filha teve como próprio pai, Marcio Orione Alves Feitosa (42 anos).

Flávia Rodrigues anunciou nas redes sociais que encontrou a filha hospitalizada e confirmou que ela foi agredida pelo pai. A mulher disse que chegou a registrar um Boletim de Ocorrência comunicando o desaparecimento da filha desde as 4h da madrugada.  No relato, ela afirma que na noite anterior, Millena e o namorado estiveram na casa do pai onde eles discutiram e se agrediram, depois disso, ela foi até a casa da mãe de onde saiu de moto e não deu mais notícias. 

Depois de reaparecer, Millena usou seu perfil em uma rede social para denunciar o próprio pai por violência doméstica. Com sinais de escoriações e hematomas nos braços e no rosto, ela publicou uma série de stories relatando as agressões.

Ainda em seu perfil na rede social, a jovem faz mais acusações contra Feitosa: "...sempre fez isso, sempre espancou minha mãe mas os tempos são outros e agora você há de pagar caro por cada chute/murro que me deu", garantiu.

Tréplica

Já mais tranquila em relação ao fato, a carateca voltou a publicar um novo vídeo em seu perfil na rede social reafirmando o que denunciou anteriormente e garante que o pai tem histórico de violência inclusive com Boletim de Ocorrência registrado pela mãe na Polícia Civil. "A gente tem todas as provas possíveis".

Millena Muralha aproveitou a oportunidade para narrar sua versão dos fatos, explicando que estava na casa do pai desde as 22h da noite e que a discussão começou de madrugada quando ela tocou em um assunto delicado relacionado a assédios sexuais que ela e as irmãs teriam sofrido por parte de membros da família do pai.  

Veja o novo vídeo:

Confira abaixo a nota na íntegra do pai de Millena Muralha: 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Senhor Marcio Orione Alves Feitosa, por meio de sua assessoria jurídica, vem, através desta, manifestar-se sobre as informações inverídicas e infundadas que estão circulando nas mídias sociais e em veículos informativos, sobre uma “suposta agressão” praticada por ele contra a pessoa de nome Millena Muralha.

O noticiante destaca que em momento algum pactua e concorda com qualquer tipo de violência seja doméstica, familiar, de gênero, ou outro tipo de ato violento. Além disso, afirma que em nenhum momento agrediu a Senhorita Millena Muralha.

Cabe aqui ressaltar que o Sr. Marcio é pessoa íntegra, pai de família, com bons antecedentes, costumes e que ainda não responde ou respondeu a outro processo criminal transitado em julgado. O fato em questão deu-se início por conflito de opiniões causadas pelo dessabor do ressentimento, evoluindo para uma discussão acalorada que por fim, só chegou às vias de fato, por ser obrigado a se defender das agressões iniciadas contra sua pessoa, dentro de sua própria casa. Portanto, é infundada a acusação de espancamento que circula nas redes sociais.

Neste ponto, ressaltamos que no primeiro momento, a própria justiça, reconhece não haver motivos para Medida Protetiva requerida pela Senhorita Muralha, comprovando que o infeliz caso, não passou de um desentendimento, causado por mágoas, potencializados pelo uso de álcool. Também esclarecemos que até a presente data o Senhor Marcio Orione Alves Feitosa não foi intimado ou notificado de forma legal quanto ao fato, mas permanece à disposição da justiça para prestar todos e quaisquer esclarecimentos.

Por fim, informamos que todas as medidas administrativas e judiciais, inclusive criminais, estão sendo tomadas em busca da verdade concreta. Ou seja, todas as ameaças e promessas de acusações feita contra sua pessoa e que estão sendo cumpridas neste momento, com o único intuito de desmoralizá-lo perante a sociedade, serão levadas à justiça, tanto para comprovar sua inocência diante da falsa acusação da prática de crimes, quanto para mostrar à sociedade, o quanto a mágoa, o ressentimento, a inveja e a alienação parental são prejudiciais à alma humana.

Palmas -TO, 14 de junho de 2020.

Atenciosamente,
Assessoria Jurídica

PIRES & GURGEL ADVOGADOS

AO VIVO