Menu
Busca quarta, 27 de janeiro de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
32ºmax
22ºmin
TOCANTINS

Denunciado por espancar e tentar matar companheira é capturado pela polícia

14 janeiro 2021 - 15h57Por Redação

A Polícia Civil, por intermédio da 53ª Delegacia de Araguacema, município localizado na região do Vale do Araguaia, deu cumprimento, nesta quinta-feira, 14, a mandado de prisão preventiva em desfavor de um indivíduo de 39 anos, pela prática, em tese, do crime de tentativa de feminicídio, fato ocorrido no dia 3 de janeiro, naquele município.

Segundo o delegado-chefe da 53ª DP e responsável pelo caso, Antônio Onofre Oliveira da Silva Filho, as investigações apontaram que a vítima convivia em regime de união estável com o suspeito há cerca de 11 anos, eles moravam em uma residência, localizada em propriedade rural no município. Porém, há cerca de quatro meses, a vítima optou por residir na zona urbana de Araguacema.

O Portal O Norte conversou em entrevista com Fernanda Martins da Silveira, advogada da vítima. A reportagem na íntegra você confere clicando aqui. 

O crime 

No dia 3 de janeiro, durante a comemoração do aniversário de uma das filhas da vítima com o suposto agressor, houve um desentendimento após as festividades, onde a vítima teria relatado que desejava permanecer mais tempo na fazenda com os filhos, fato que irritou o agressor. “Em determinado momento, o suposto autor, ao ver a vítima chorando no quarto, passou a discutir, tornando-se extremamente agressivo, desferindo um soco em seu rosto e ordenando que a mesma o acompanhasse e adentrasse em seu veículo, tomando rumo desconhecido pela zona rural”, ressaltou a autoridade policial.

De acordo com as investigações, durante o trajeto e a todo momento, o agressor afirmava que a vítima iria morrer. O mesmo chegou a parar o veículo em frente a uma lavoura de soja e passou a apontar uma espingarda contra a nuca da vítima. 

Conforme relato do Boletim de Ocorrência registrado sobre o caso, com uma espingarda, ele tentou atirar três vezes contra a mulher, mas nas duas primeiras a arma falhou. Na terceira, o disparo foi feito à curta distância e acertou a cabeça da vítima. Mesmo ferida, a mulher conseguiu fugir do agressor que a perseguia dizendo que iria “terminar o serviço com o facão”.

A vítima caminhou cerca de oito quilômetros pela mata fechada e lavouras da região. Ela contou que estava ferida, descalça e que seus pés ficaram cortados pela vegetação do local. Ela conta que teve que improvisar calçados com o sutiã amarrados nos pés e só foi socorrida quase 24 horas depois, ao encontrar um casal que passava por uma estrada vicinal, quando foi levada para um vilarejo e várias pessoas se mobilizaram para ajudá-la, enquanto esperavam a ambulância.

Pelo depoimento, a vítima teria informado que o suposto agressor passou a procurá-la na região, sem relatar os fatos ocorridos na véspera. Já em segurança e com escolta policial, a mulher então foi conduzida ao Hospital Municipal de Araguacema, e posteriormente, encaminhada ao Hospital Regional de Paraíso do Tocantins. 

O Mandado e a Prisão

Em decorrência da situação de perigo vivida pela vítima, bem como para preservar a integridade das investigações, o delegado Antônio Onofre representou, ao Poder Judiciário, pela expedição de mandado de prisão preventiva em desfavor do investigado, que, nos dias posteriores ao ocorrido, havia se apresentado na delegacia, porém negando a autoria dos fatos.

Os policiais civis localizaram o suspeito e conseguiram capturá-lo em sua residência. Ele foi conduzido até a sede da 53ª DP, onde a autoridade policial deu cumprimento ao mandado de prisão em aberto.

Ele será indiciado pelo crime de Feminicídio Tentado, crime previsto no art. 121, §2º, VI, c/c art. 14, II, ambos do Código Penal Brasileiro”, ressaltou a autoridade policial. Ainda de acordo com o delegado Antônio Onofre, a vítima, em seu depoimento, relatou que há muito tempo sofria agressões físicas, morais e psicológicas, por parte do suspeito.

Este fato, infelizmente ainda comum em nosso país, deve ser combatido e denunciado para que novos casos não se repitam. Apesar do sofrimento passado e das sequelas físicas e psicológicas que permanecerão, conseguimos preservar a vida da vítima e que causou muita comoção em toda a população da cidade de Araguacema. A Polícia Civil reafirma o compromisso de combater todas as formas de violência, notadamente contra mulheres”, afirmou.

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, o investigado foi recolhido na Cadeia Pública de Araguacema, onde permanece à disposição do Poder Judiciário.

 

AO VIVO