Menu
Busca terça, 07 de julho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
20ºmin
VIOLÊNCIA

Estudante de 14 anos é baleado na saída de escola e pula muro pra não morrer

03 março 2020 - 17h55Por G1 Tocantins

Um estudante foi baleado no fim da manhã desta terça-feira (3) na porta da Escola Estadual Waldir Lins, em Gurupi, na região sul do estado. O adolescente de 14 anos levou um tiro na região do tórax, mas conseguiu fugir e pedir ajuda na casa de moradores da região. Com medo dos tiros, os outros estudantes voltaram correndo para dentro do colégio.

A direção da escola informou à TV Anhanguera que o jovem é aluno do 8º ano e cumpre medida socioeducativa. Ele estaria estudando por determinação da Justiça e foi baleado no momento em que saia da escola, por volta de 11h30, após o fim das aulas. O tiro teria sido disparado por suspeitos que passaram em uma motocicleta.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que o menor pulou o muro de uma casa para pedir ajudar. O adolescente foi socorrido pelo Samu e levado para o Hospital Regional de Gurupi com hemorragia interna.

A Polícia Militar informou que os policiais localizaram uma porção de maconha com o adolescente. Ele foi questionado sobre quem teria praticado o crime, mas se negou a prestar informações e disse que "resolveria a questão ao seu modo".

A Polícia Civil informou que foi registrado boletim de ocorrência sobre o fato e que a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Gurupi está a frente das investigações a fim de esclarecer as circunstâncias do ocorrido.

A PM disse que o adolescente tem passagens por tráfico de drogas, tentativa de homicídio e porte de arma de fogo. Além disso, declara pertencer a uma facção criminosa.

Medida socioeducativa
O adolescente contou à polícia que cumpre medida socioeducativa no Centro de Internação Provisória (CEIP/SUL) e frequenta as aulas com apoio de sócio-educadores para levá-lo e buscá-lo na escola todos os dias. Ainda segundo a PM, ele disse que no momento em que foi baleado estava esperando a chegada dos sócio-educadores.

A Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) informou que o adolescente está sendo reinserido na sociedade, tendo sua custódia compartilhada entre o Estado e família. Sendo assim, ele frequenta a escola no período matutino e trabalha durante a tarde, indo somente pernoitar na unidade.

"Explica-se que a condução do adolescente a escola é executada por agente de segurança socioeducativo e que o pai é o responsável por buscá-lo após aula", diz nota do estado.

Já a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) informou que a Polícia Militar e o Serviço de Atendimento de Urgência Móvel (Samu) foram acionados imediatamente após o ocorrido para as providências necessárias e atendimento ao estudante. Esclareceu ainda que o fato aconteceu fora das dependências da escola e que nenhum outro aluno ou servidor foi atingido.

AO VIVO