Menu
Busca domingo, 15 de setembro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
37ºmax
23ºmin
ToledoFibra

PM prende em Araguaína acusado de matar publicitária Polyanna Arruda em Goiás

27 setembro 2010 - 11h53

A polícia prendeu no último sábado, 25, Jhonn Lenno Jr, 21 anos, acusado de participar de vários crimes na cidade de Araguaína, entre eles: roubos de motos, carros, assalto a supermercados e tentativa de homicídio. O acusado foi detido pela Polícia Militar após ter atentado contra a vida de um motorista na noite da última sexta-feira, 24, efetuando um disparo de revólver calibre 38 na perna da vítima.

Jhonn Lenno foi encaminhado para a Delegacia de Plantão e logo em seguida a DEIC (Delegacia Especializada em Investigações Criminais) foi informada da prisão do criminoso, que já tem passagem pela polícia e uma vasta biografia criminosa.

Segundo o delegado Oliveira, Jhonn Lenno tem mandado de prisão nos estados do maranhão, Goiás e Pará. No Goiás, ele é um dos criminosos mais procurados, acusado de ter praticado um latrocínio contra uma publicitária na cidade de Goiânia, um dos crimes de maior repercussão no Estado no ano de 2009. Afirmou o delegado da DEIC.

Em conversa com a equipe de reportagem do Pornal O Norte, o acusado desqualificou o trabalho da Polícia Militar do estado do Tocantins, chamando os de “moles” e ainda ironizou ao ser perguntado sobre os crimes cometidos em outros Estados: “Cometi crime nenhum não, sou um santo”.



O crime em Goiás


Polyanna foi assassinada a tiros no dia 24 de setembro de 2009, às margens do Córrego Caveirinha, no Residencial Humaitá, em Goiânia. O laudo cadavérico de Polyanna Arruda Borges revelou que a publicitária e empresária foi asfixiada, estuprada e morta com pelo menos sete tiros, dois deles à distância. O corpo dela apresentava oito perfurações e uma delas atravessou o corpo da vítima, que foi encontrada nua.

A empresária desapareceu por volta das 8h do dia 24 de setembro, ao sair de casa, no Setor Bueno, para ministrar uma palestra na Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás). Ela não chegou ao compromisso. Logo depois, o carro dela foi encontrado parcialmente carbonizado. A polícia do estado de Goiás já prendeu alguns suspeitos do crime, e alguns deles confessaram terem participado do crime e acusaram Jhonn Lenno de ser o autor dos disparos.

Quanto perguntado sobre o caso Polyanna Arruda ele se defendeu dizendo que esta sendo acusado por quer inimigos dele em Goiânia que ao serem presos colocaram o nome dele nessa historia para prejudicá-lo e que no dia do crime ele estava preso.

De acordo com o delegado Oliveira, o acusado permanecerá sob custódia do estado do Tocantins, aguardando decisão judicial para responder pelos crimes cometidos em outros Estados.

Ao Vivo