Menu
Busca sexta, 28 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
31ºmax
22ºmin
Luah's SemiJoias
TRANSFERÊNCIAS DE CRIMINOSOS

Presos no Pará, assassinos de taxista são transferidoss para o Tocantins

20 março 2011 - 14h40

A polícia Civil efetuou, no sábado, 19, o recambiamento (transferência de presos) dos cinco acusados confessos pela morte do taxista, Antônio Marcos Silva Santos, de Xinguara (PA) para o Tocantins. Após ter cometido o crime de latrocínio (roubo seguido de morte), próximo à Carmolândia – TO, o grupo fugiu no carro da própria vítima, para o Pará. O trabalho conjunto entre a Polícia Civil do Tocantins e a do Pará foi decisivo para a agilidade na captura do grupo.




Operação de transferência
Depois das investigações da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil – TO, que obteve a informação de que havia na cidade de Araguaína, um clamor de populares para o linxamento dos presos quando chegassem à cidade, foi planejada uma operação para a transferência. Sob a coordenação do Delegado Geral, Dr. João Pina e do Delegado da Polícia de Interior, Dr. Marcelo Falcão; executada pelo delegado da Delegacia Especializada em Investigações Criminais - DEIC de Araguaína, Dr. Evaldo de Oliveira, pelo Grupo de Operações Táticas Especiais - GOTE e pelo Serviço Aéreo da Polícia, a ação teve início na tarde do dia 19.

Para o delegado Marcelo, o serviço aéreo foi fundamental para o cumprimento da missão. “O helicóptero deu agilidade para que conseguíssimos chegar a tempo de organizar a documentação da transferência. Também pudemos evitar a soltura do menor,já que em Xinguara não há cela adequada para menores e ele seria solto a qualquer momento. Se fizéssemos o deslocamento somente por terra, não teríamos chegado no prazo certo”, conclui.

Participação em outros crimes
Segundo a Polícia, as preliminares das investigações revelam que há fortes indícios da participação do mesmo grupo em mais quatro crimes. As características dos atos são semelhantes e os acusados foram reconhecidos. As investigações revelaram ainda que há integrantes do grupo com mandado de prisão expedido pela Justiça de Goiás. Os crimes aconteceram naquele Estado e no Tocantins, em fevereiro e março, deste ano.

Dos cinco homens, um é menor e todos serão encaminhados para diferentes unidades prisionais do Estado com o intuito de preservar a integridade dos mesmos. O carro da vítima foi apreendido na delegacia do Pará foi transferido para a DEIC de Araguaína.


O caso do taxista
Durante uma viagem ao Pará, acertada na cidade de Araguaína – TO, entre o taxista, Antônio Marcos e os supostos passageiros, foi pedido que o condutor parasse o carro nas proximidades de Carmolândia, para que um dos homens pudesse usar o banheiro. Neste momento o grupo teria cometido o crime de latrocínio e fugido com o carro da vítima, para Xinguara – PA. O taxista foi morto com seis tiros. Um na barriga, quatro no peito e um na cabeça.

O carro foi localizado na manhã do dia 17, por volta das 7 horas, em Xinguara (PA). Segundo a Polícia Civil daquela cidade, o veículo que trafegava na cidade levantou a deconfiança pelo fato de ser um táxi de outro Estado e estar com alguns adesivos arrancados. A polícia fez a apreensão do veículo, encontrou a arma que possivelmente foi utilizada para matar o taxista, uma pistola calibre 38 e avisou a Polícia do Tocantins. Foram presos: Thiago Henrique da Silva, conhecido como Tiffany, 23 anos, Gean Ferraz de Faria, 20 anos, Luciano Dias Ferreira, 22 anos, Thiago Luiz de Jesus, 24 anos, e um menor de idade.

Ainda de acordo com informações da Civil do Pará, no banco de trás do motorista havia um tiro. Durante o depoimento, os rapazes disseram que cinco tiros foram disparados dentro do carro e um do lado de fora. Os acusados confessaram o crime.

Os quatro homens foram indiciados por formação de quadrilha e porte ilegal de arma de fogo, e o menor foi encaminhado para o órgão competente. Com a liberação Judicial para a transferência dos presos, a Polícia do Tocantins se deslocou ao Pará para efetuar o recambiamento.

As operações policiais
Entre os dias 17 e 19 de março, a Delegacia Geral, a Diretoria de Polícia de Interior, a DEIC de Araguaína, juntamente com o GOTE, com o Serviço Aéreo e com a Diretoria de Inteligência da Polícia Civil, desvendaram dois crimes complexos pelo interior do Estado. No dia 18, acabaram com o seqüestro a uma menor, 12 horas depois de ter recebido a denúncia. No dia 19, transferiram do Pará para o Tocantins, os cinco acusados pelo crime de latrocínio ocorrido próximo à Carmolândia, no dia 17. Isto mostra que o trabalho conjunto entre os diversos setores da Polícia Civil tem sido decisivo para a elucidação rápida de crimes ocorridos neste Estado.  (Da Ascom SSP)

AO VIVO