JBS Coronavírus
Menu
Busca segunda, 03 de agosto de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
35ºmax
20ºmin
DENÚNCIA

Policial Militar que trabalhou embriagado é alvo de denúncia em Araguaína

04 abril 2011 - 08h06

Alessandro Sachetti
Da Redação


O comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar de Araguaína, Tenente Coronel Luiz Carlos Barbosa Ferreira, conversou com a equipe de reportagem do Portal O Norte na última sexta-feira, 01, para esclarecer a respeito da denúncia feita no programa “Silene Borges em revista”. No programa que foi transmitido no último dia, 25 de março, um telespectador denunciou, via telefone, que teria presenciado um policial embriagado em serviço.

Instalação da Corregedoria
A partir da denúncia, o Tenente Coronel Luiz Carlos disse que é impossível para Polícia Militar fiscalizar totalmente as ações de todos os policiais, não só aqui, mas em âmbito nacional. O comandante destacou também a instalação da Corregedoria, que é o departamento competente na supervisão do trabalho dos militares: “Este ano nós instalamos a Corregedoria, justamente com a intenção de dar um trabalho mais dinâmico para a própria instituição, ou seja, nós temos uma estrutura administrativa na Corregedoria e estamos trabalhando com o pessoal volante na cidade, para detectar no dia-a-dia, no trabalho rotineiro efetuado nas ruas de Araguaína, possíveis desvios de conduta. O major que chefia a Corregedoria já está com essa missão, a qualquer momento ele pega uma viatura e vai até os postos de serviços e se detectado algum problema, seja ele grave ou mais simples, toma as providências imediatas, caso haja necessidade”, explicou o comandante.

Ainda sobre a denúncia, o Tenente Coronel Luiz Carlos explicou mais detalhadamente que no caso, o policial está cometendo crime militar, previsto no Código Militar. Ele esclarece que se o policial é apanhado em flagrante é preso no mesmo momento, instaura-se o ato de prisão e o mesmo é encaminhado para a Justiça Militar mas ressalta: “Se houver apenas a denúncia, a Polícia Militar instaura um inquérito para averiguação”.

Casos isolados
Segundo o Comandante, casos como este são isolados e não refletem o comportamento de todos os policias de Araguaína: “Não é o comportamento de todo o batalhão. Infelizmente alguns companheiros insistem em desviar a conduta e colocam a imagem da instituição em uma situação complicada”, observa.

Fiscalização diária
Os policiais militares ao se apresentarem no serviço, tem como rotina assistirem a preleção do oficial em serviço no dia, com orientações específicas sobre o trabalho que será realizado no turno e também é informado das ações efetuadas na cidade. Nesse período, segundo o Tenente Coronel Luiz Carlos, é fácil detectar se há algum militar embriagado ou que tenha feito uso de alguma substância ilícita no entanto ele destaca que “o que pode acontecer é o militar consumir bebida alcoólica durante o serviço de forma dissimulada, para não ser flagrado. Esse comportamento não é tolerável e nós só tomamos conhecimento através de denúncias feitas pela sociedade”.

População presente
A polícia militar destaca e reconhece a participação da população de Araguaína no dia a dia de seu trabalho, fato elogiado sempre pelos oficiais durante as operações: “A população tem participado decisivamente na nossa atuação, na solução de seqüestros, roubos, furtos, tentativas de homicídio e outros crimes. Essa participação é fundamental para a execução do trabalho da Polícia Militar, contamos com o apoio da sociedade em todos os aspectos, o 190 que é o telefone universal é o mais fácil e mais acessível, as pessoas podem ligar anonimamente. Não é preciso se identificar para fazer nenhum tipo de denúncia. Recebida a denúncia agiremos rapidamente para tomarmos as providências necessárias”.
 

AO VIVO