Menu
Busca segunda, 06 de abril de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
31ºmax
22ºmin
Prefeitura de Araguaína

Estudantes tocantinenses são presas no Pará por fraude no vestibular

17 novembro 2011 - 09h24

A Polícia Civil do Pará prendeu em flagrante, na noite do último domingo, oito pessoas por fraude no vestibular do Centro Universitário do Pará (Cesupa), em Belém, durante a Operação CDF. Entre os detidos estão duas tocantinenses; Anna Karla Souza e Stephanny Silva, a primeira cursa Direito na Universidade Federal do Tocantins e a segunda é aluna de cursinho preparatório. Segundo a Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe) do Pará, as estudantes e outras seis pessoas foram flagradas no momento em que se passavam por candidatos no processo seletivo. Na manhã de ontem, após cada um realizar o pagamento de fiança de R$ 545, o bando conseguiu soltura.

Eles devem responder por falsidade ideológica, falsificação e uso de documentos públicos, falsa identidade e formação de quadrilha. A polícia investigava o esquema desde setembro.

Segundo a polícia, o líder do bando é Gleison Alves Moreira, de 35 anos. Ele teria arregimentado pessoas – a maioria estudantes de Medicina em faculdades situadas em outros estados, como São Paulo, Tocantins e Goiás – para participar do esquema no qual iriam fazer as provas no lugar dos candidatos ao curso de Medicina. Para tanto, seriam recompensados com quantias em que variavam entre R$ 10 mil e R$ 15 mil. Ao todo, cada aprovação no vestibular custaria R$ 30 mil, sendo metade ao contratado e a outra metade a Gleison.

Foram presos ainda Verônica da Silva Soares, 23 anos; Déborah Marques Gonçalves, 19; Ana Carla Milhomem Viana, 20; Gustavo Cunha Silva, 23, e Tiago Vinícius Silva Fernandes, 20.

Sérgio Mendes, reitor do Cesupa, garantiu que o processo seletivo não será anulado, pois não houve qualquer fraude nas provas. (Jornal do Tocantins, com informações da Polícia Civil do Pará e do O Popular)

AO VIVO