Menu
Busca sábado, 25 de setembro de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
35ºmax
23ºmin
MAIS DE 10 VÍTIMAS

"Quem não cedia sofria represálias", aponta investigação sobre assédio sexual em grupo empresarial

24 agosto 2021 - 15h20Por SSP-TO

A Polícia Civil, por intermédio da 6ª Delegacia de Atendimento à Mulher e Vulneráveis (6ª DEAMV) de Paraíso do Tocantins, concluiu investigações que demonstraram a prática de crime contra funcionárias de um grande estabelecimento comercial da cidade.  De acordo com o delegado chefe da unidade especializada, José Lucas Melo, quase trinta pessoas foram ouvidas. Os fatos ocorreram pelo período de seis anos e vitimaram mais de dez mulheres.

A partir dos relatos de funcionários e ex-funcionários ficou comprovado que os responsáveis pelo empreendimento se valiam da condição para assediar mulheres que ali trabalhavam, buscando vantagens sexuais. Quem não cedia, sofria represálias entre elas piores condições de trabalho e até demissão. 

“O assédio sexual possui uma gravidade elevadíssima, uma vez que objetifica a vítima, atingindo sua dignidade e muitas vezes causando abalos graves à sua saúde.  No caso investigado, mulheres que saiam de suas casas para buscar o seu sustento e o de suas famílias sofreram vários abusos por parte de quem deveria garantir um ambiente de trabalho sadio. O fato de ter perdurado por um longo período de tempo e contra várias vítimas demonstra a confiança na impunidade por parte de quem comete esse tipo de crime, que se considera acima da lei por possuir poder aquisitivo e influência social. Mas PC-TO respondeu à altura e os fatos foram devidamente investigados”, disse o delegado. 

José Lucas explica o que ocorreu com o fim da investigação.  “A partir dos indiciamentos dos autores dos crimes, foi feita a remessa do procedimento ao Ministério Público e ao Poder Judiciário, para as devidas providências criminais. Da mesma forma, as vítimas estão sendo orientadas quanto aos procedimentos cíveis que podem realizar, sendo que a cópia da investigação será remetida também ao Ministério Público do Trabalho, para a adoção das medidas pertinentes”, disse.

A Polícia Civil reforça a necessidade de que situações do tipo sejam denunciadas. Qualquer pessoa que tenha conhecimento de casos que possam configurar crime, devem se dirigir a qualquer delegacia de polícia no Tocantins e levar os fatos ao delegado de polícia, que irá analisar o caso e proceder conforme a lei.

AO VIVO