Menu
Busca sábado, 31 de outubro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
31ºmax
23ºmin
POLÊMICA NA CRISE

Carlesse rebate críticas de Dimas e Vicentinho sobre gratificações e anuncia renúncia do próprio salário

20 abril 2020 - 20h53Por Redação

A assessoria do governador Mauro Carlesse (DEM) encaminhou nota à imprensa em reposta ao deputado federal, Tiago Dimas (SD), que nas redes sociais teceu duras críticas ao governo relacionadas ao pagamento de gratificações de agentes públicos do alto escalão.  O deputado federal Vicentinho Júnior, também se manifestou sobre o assunto, questionando a suspensão das promoções de militares no Tocantins. 

As Críticas

"Em plena pandemia, o Governo do Estado aumenta os salários de secretários...", assim começa o vídeo postado por Tiago Dimas em seu perfil no Instagram, falando sobre o bônus salarial de 40%, com valores que podem chegar a R$ 5,4 mil reais e que segundo ele, o governador estaria autorizando repassar para integrantes de sua equipe de gestão. "É muita generosidade!", ironizou o parlamentar avaliando o benefício como um erro grave, diante da queda na arrecadação anunciada pelo próprio governo, em consequência da crise provocada pelo Coronavírus. 

(Foto: reprodução Instagram)

O deputado federal, Vicentinho Júnior (PL) também usou suas redes para questionar o bônus aos secretários e principais axiliares de Mauro Carlesse, em detrimento da suspensão de promoções de militares que estavam previstas para esta terça-feira (21). "..tem dois pesos e duas medidas", criticou postando lado a lado o print do ofício que anulou as promoções de PMs e o contracheque do Secretário Estadual da Fazenda, Sandro Henrique Armando. 

(Foto: Reprodução Instagram)

Resposta do Governo

Na nota encaminhada nesta segunda (20), o governador rebateu as afirmações do parlamentar Tiago Dimas, explicando que desde o dia 2 de abril, quando na edição do Decreto 6074, em que foi determinada a redução de 20% das despesas de custeio em todos os órgãos do Governo, está suspenso o pagamento da gratificação de 40% dos Secretários de Estado, Secretários Executivos, Comandantes-Gerais, Procurador-Geral, Reitor e Presidentes de Autarquias, Superintendentes, além dos Assessores Especiais DAS-2 e DAS-3. 

O governo classificou como "desinformação", a manifestação do deputado na internet e completou sugerindo que ao invés disso ele deveria "desenvolver ações em favor da população, principalmente nesse momento de pandemia".

Ainda na nota, o governo esclareceu que "o pagamento da referida gratificação ocorreu uma única vez, sobre a folha do mês de março, em virtude de a mesma ter sido fechada antes da decretação do estado de calamidade e o Estado passar a enfrentar forte queda em sua arrecadação".

Também foi informado no documento, que o governador oficializou a devolução do seu salário pelos próximos 90 dias e determinou que os recursos sejam destinados à aquisição de cestas básicas para doação a famílias de baixa renda. Determinou ainda que seja apresentada a devida prestação de contas para a sociedade. 

Sobre a questão de promoções, Carlesse declarou que "gostaria de pagar melhores salários a todos os níveis dos servidores públicos. No entanto, devido a realidade de dificuldade financeira do Estado, e agora, agravada pela crise provocada pelo novo Coronavírus, o Governo do Estado fica impedido de realizar qualquer implemento em sua folha de pagamento, para que seja priorizado o pagamento em dia dos salários de todos os servidores", finaliza. 

AO VIVO