Menu
Busca quarta, 16 de outubro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
34ºmax
23ºmin
Assembleia Legislativa - Emendas para saúde
ENTREVISTA POLÍTICA

Em exclusiva, Marcelo fala sobre perda de mandato e polêmica no PMDB

15 fevereiro 2011 - 18h38

Da Redação
 

Em visita à cidade de Araguaína, desde a última quinta-feira, 10, o ex-governador, Marcelo Miranda (PMDB), concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal O Norte, através do jornalista Tony Veras, onde fala entre outros assuntos, sobre os percalços e expectativas relacionadas à sua carreira política.




Retornando à base onde constituiu família e iniciou sua carreira pública, Marcelo começa a entrevista reconhecendo a imparcialidade do trabalho realizado pelo Portal O Norte e agradece a oportunidade de estar utilizando o meio de comunicação para ter contato com a população araguainense. Marcelo explica que veio a Araguaína para rever amigos e conversar com as lideranças do município, objetivando discutir projetos importantes para a cidade e o Estado.

O ex-governador ressalta que apesar das circunstâncias atuais não permitirem que ele esteja representando oficialmente o povo, afirma que foi democraticamente eleito e continuará trabalhando juntamente com seus companheiros no que estiver ao seu alcance para o bem do povo tocantinense.

Marcelo iniciou sua vida pública como deputado estadual representando a região de Araguaína na Assembléia Legislativa, permanecendo no mandato durante 12 anos, sendo que destes, esteve quatro anos à frente da Casa de Leis, eleições estas conquistadas por unanimidade. Confira agora na íntegra a entrevista exclusiva de Marcelo Miranda ao Portal O Norte.

Tony Veras Você passou a destacar-se em sua trajetória política à partir do momento que assumiu a candidatura ao Governo do Estado e após sua primeira eleição, sua carreira foi marcada por situações bastante adversas. Como você analisa essas questões?


Marcelo Miranda - Eu seria candidato a deputado federal quando fui convidado a assumir uma primeira candidatura ao Governo em 2002, que não tinha sido construída, não tínhamos planos, mas caminhamos, ouvimos o povo e o resultado foi uma vitória com 61% dos votos. Fui proprocionalmente, um dos três mais votados governadores da época.

No meu primeiro mandato sabia que teria algumas dificuldades, governava uma Casa com 24 donos e passei a dirigir uma com um milhão de donos, na época tivemos percalços, mas fomos reeleitos em 2006. Quando deixei o Governo de minha reeleição, tenho a clareza de afirmar que saí pela porta da frente, de cabeça erguida porque sei que tentei fazer o melhor pelo meu Estado.

Então veio a nossa eleição ao Senado, que foi vitoriosa. Fico imensamente agradecido pelos mais de 340 mil votos de confiança em todo o Estado que me elegeram ao Senado Federal, eu fui eleito pelo povo e foi o diploma que recebi da população. Estou afastado do cargo que me foi confiado, mas não baixo a cabeça em momento algum e continuarei trabalhando e visitando os companheiros porque graças a Deus, as portas ainda continuam abertas para o Marcelo Miranda.

Tony Veras – Quando seu último mandato de governador foi cassado, muitos afirmaram que você não conseguiria voltar à vida política. No entanto, como você mesmo acaba de afirmar, foi candidato à Senador nas últimas eleições e saiu vitorioso, porém foi novamente cassado. Caso o senhor não consiga reaver o mandato que adquiriu nas últimas eleições vai continuar na vida pública e concorrer a outros cargos futuramente?

Marcelo Miranda – Primeiro Eu quero deixar bem claro que a batalha não terminou, estamos aguardando a decisão dos ministros relacionada ao enquadramento da Lei nº 135 que trata do "Ficha Limpa", depois, sem dúvida eu darei continuidade à minha carreira, pois acredito que o homem público não deve se acovardar, deve andar de cabeça erguida, porque quem tem compromisso com sua gente não foge dessa questão. Mas continuo convencido de que vamos alcançar a vitória. Não quero entrar no mérito das questões jurídicas, mas se não der certo, continuaremos trabalhando, entendo que posso ser útil com minha experiência de todos esses mandatos.

Tony Veras - Fazendo uma análise da derrota tão insignificante de Carlos Gaguim na última eleição, a quem você culparia já que as pesquisas até o último momento indicavam o ex-governador como reeleito?

Marcelo Miranda
- Olha não estou aqui para criticar ninguém, então acredito que essa pergunta deve ser feita a ele [Gaguim]. É importante frisar que todos os companheiros de Gaguim, vestiram a camisa inclusive, Marcelo Miranda. Mas entendo que uma eleição para Governo tem que ser levada a sério, com compromisso e isso eu falo por experiência própria, pois concorri duas vezes e felizmente fui vitorioso. Agora acredito que o povo também entendeu qual era a melhor proposta e eu, particularmente torço para que o Estado dê certo.

Tony Veras - Como cidadão tocantinense que governou por dois mandatos o Estado, o que Marcelo Miranda espera desse novo Governo?

Marcelo Miranda - Como já disse anteriormente, sou um torcedor do Estado e entendo que todo Governo que entra tem seu projeto, sua forma de trabalhar. Eu tinha um jeito, procurei resgatar o ser humano e espero que o atual governador possa olhar mais para os cidadãos que sonham em dar o melhor para suas famílias e para aqueles que continuam acreditando, espero que possam entender a importância de um Estado em desenvolvimento.

Tony Veras - Recentemente o Ministério Público Estadual (MPE) ajuizou uma Ação contra você e Carlos Gaguim, uma vez que deixaram de implantar a Unidade de Internação para Menores Infratores em Araguaína. Como você tem se movido com relação ao caso?


Marcelo Miranda - Bem, meus advogados já estão cuidando dessa questão. Mas eu preciso deixar claro que jamais iria confrontar o MPE, pelo contrário, quem acompanhou nossa administração pode constatar que nunca tive problemas com nenhuma instituição, outra coisa, a obra que foi designada para ser construída em Araguaína era com recurso Federal, tanto que o Estado defendeu-se na época e o Supremo Tribunal Federal não estipulou data para ser construído. Claro que não poderíamos fugir da obrigação do Estado e não quero jogar culpa em ninguém mas acredito com todo o respeito que o MPE deveria cobrar isso do Estado e não da pessoa, Marcelo Miranda.

Tony Veras - Como você vê a articulação do deputado federal Júnior Coimbra (PMDB) para assumir o Diretório Estadual do PMDB?

Marcelo Miranda - Vejo como algo natural, pelo que eu sei, o deputado Júnior Coimbra articulou a questão sob a orientação nacional do partido que é entregar os diretórios para membros que estejam exercendo mandato e nada mais justo que Coimbra assumir o Diretório já que é o único deputado federal eleito do partido.

Tony Veras - Pra finalizar a entrevista, com sua experiência de quatro anos na direção da Assembléia e mais dois mandatos à frente do Governo do Estado, como você avalia a administração de Valuar e como gestor que foi do Estado, que é muito mais complexo do que governar uma única cidade, que conselho você daria ao prefeito Valuar?

Marcelo Miranda -
Graças aos esforços dos parceiros nas esferas federal, estadual e municipal, fizemos juntos algumas obras importantes com recursos do Estado, procuramos assim, deixar a marca do governo Marcelo Miranda. O conselho que posso dar é que continue trabalhando, buscando obras que venham de encontro com o anseio da população. Gostaria de dizer que estou impressionado com o progresso de Araguaína, mas a adminitração precisa marcar sua passagem e é isso que os líderes municipais precisam entender, a importância da cidade no contesto estadual e nacional. Araguaína é uma cidade universitária, temos a Ferrovia Norte-Sul ao lado, a expansão de companhias aéreas no aeroporto e muitas pessoas de fora do Estado tem acreditado na cidade e como já disse a gestão de Valuar tem que trabalhar muito e deixar sua marca registrada no desenvolvimento de Araguaína.



Ao Vivo